<body>

Deixa com o Beque !!

sábado, dezembro 15, 2001

NO VASO...

DIARRÉIA
TARDERRÉIA
NOITERRÉIA

Literalmente "mijando" pelo rabo...

*Publicado por Dhuvi-Luvio 11:13 AM


SEM COMENTÁRIOS...

O expediente de "comentários" não está funcionando. Parece que o serviço morreu de vez...

Vou pensar em outra solução...

*Publicado por Dhuvi-Luvio 11:10 AM


quinta-feira, dezembro 13, 2001

NUM QUARTO ESCURO (Rio 25-04-96)

Olhei meio de lado, desligado
Molhei os olhos, colírio invertido
Ninguém me vê agora
Ninguém me vem a memória
A não ser o vulto que percebo
Com o resto de visão que ainda tenho
Sei que não é você, não ouço ruídos
Sei que de novo é a saudade me rondando
Uma sombra grande que parece ter peso

Olhei meio desconfiado, de lado
Molhei o rosto, o resto quando pisquei
Ninguém me socorreu na hora
Ninguém sabe de minha história
A não ser o vulto que percebo
Com o resto de razão que ainda empenho
Sei que é você, pois não ouço nada
Sei que de novo é você se revelando
Como um rolo de filme num quarto escuro

*Publicado por Dhuvi-Luvio 9:20 PM





Vocês acham que os japas não são engraçados ??

*Publicado por Dhuvi-Luvio 8:59 PM




Para não esquecer do cara...

*Publicado por Dhuvi-Luvio 8:57 PM


Quem já jogou Base Estelar ??

Parece um daqueles joguinhos de MSX...

*Publicado por Dhuvi-Luvio 8:53 PM


DICAS CONTRA RESSACA



NA FESTA
- Escolha com cuidado o que vai beber. Chope dá menos dor de cabeça do que cerveja em lata ou garrafa.
- Vinho tinto é melhor que o branco
- Para cada drinque, beba um copo d´água. A desidratação é o que mais dá ressaca
- Não se esqueça de comer. A comida protege o estômago contra a acidez

EM CASA
- Beba mais líquido. Bebidas isotônicas, como Gatorade ou Marathon, repõem os sais que vão embora com tanto xixi
- Vitaminas: ajudam o corpo a recolocar as coisas no lugar. As do complexo B são as melhores

AO ACORDAR
- Analgésicos: para dor de cabeça, o melhor é a Dipirona, presente na Novalgina e no Magnupirol.
- Problemas no fígado? Evite o Paracetamol, presente na fórmula do Tylenol
- Café: para driblar a moleza, tome café. A cafeína estimula o sistema nervoso e dá aquela levantada

Dicas do dr. Carlos Eduardo Pompílio, clínico geral do Hospital das Clínicas de São Paulo

*Publicado por Dhuvi-Luvio 8:48 PM




Abaixo as impressões ao se dirigir um carrinho chamado PORSHE:

"O motorista que entra em um Porsche não quer sair mais. Em primeiro lugar, porque é muito fácil encontrar a posição de dirigir nesse esportivo. Depois, porque após girar a chave não se quer mais parar de dirigir o modelo. Foi o que aconteceu comigo, ao volante do 911 Turbo. Esse Porsche é simplesmente tido como o melhor, fabricado em série, da fábrica alemã. O que ele tem demais? Um motor boxer de seis cilindros opostos, bi-turbo-intercooler e comando de válvulas variável.

São 420 cv de potência, que levam o carro a acelerar de 0 a 100 km/h em 4,2 segundos e a atingir os 305 km/h de velocidade máxima. Mas não é só isso que nos prende. Ao contrário de outros esportivos, seu acabamento é primoroso. Na versão testada, o revestimento dos bancos era em couro e, no painel, havia fibra de carbono. Além disso seu rodar é surpreendentemente confortável, a ponto de o motorista poder usar o carro confortavelmente durante todo o dia – e à noite. Se o 911 fosse uma mulher, eu diria que, socialmente, no trânsito, ele é uma verdadeira dama. E, na intimidade de uma pista, se comporta como a mais dedicada das amantes.

E foi na pista que o 911 Turbo realizou minhas fantasias de velocidade. Equipado com tração integral, ele permanece o tempo todo grudado no asfalto. O motorista leva o esportivo pelo traçado que quiser. Nas retas, pé no fundo e olho no conta-giros, que fica bem no centro do painel. As trocas de marcha (são seis ao todo) devem ser feitas de forma rápida e atenta. O giro do motor sobe depressa e invadir a faixa vermelha do conta-giros, que começa a 6500 rpm, é muito fácil. Dirigindo assim, o ronco do motor, que é baixo na cidade, invade a cabine. E a amante vertiginosa toma conta do condutor."

*Publicado por Dhuvi-Luvio 8:45 PM


terça-feira, dezembro 11, 2001



segunda-feira, dezembro 10, 2001




Como está o seu inglês ??

*Publicado por Dhuvi-Luvio 10:32 PM





Tá a fim de quebrar a cabeça ??

*Publicado por Dhuvi-Luvio 8:17 PM


BOSTA VERDE

"O dólar comercial fechou em forte baixa nesta segunda-feira, atingindo o valor mais baixo mais de cinco meses. A moeda norte-americana terminou o dia cotada para venda por R$ 2,333 (compra R$ 2,331), segundo o Banco Central. O dia foi marcado por farta entrada de moeda, disseram operadores.

O valor representa uma queda de 2,43% sobre o fechamento da sexta-feira, quando o dólar já havia encerrado o dia no nível mais baixo desde o final de julho (R$ 2,391 para venda). A última vez que o dólar fechou no abaixo de R$ 2,34 foi no dia 3 de julho passado, quando a moeda fechou vendida por R$ 2,339. No dia 2 de julho, o fechamento ficou em R$ 2,324.

Pelo valor do fechamento, o dólar acumular uma baixa de 6,72% sobre o real no mês. No ano, a alta caiu para 19,52%."


Só me fodi com essa merda verde...TOOOMMMAAAA!!!!

*Publicado por Dhuvi-Luvio 8:08 PM






domingo, dezembro 09, 2001





Muitos quiseram saber detalhes sobre "A Coisa". Pois é, fui pesquisar e fique decepcionado.

A pretensão de ser a revolução do terceiro milênio cai por água abaixo... O patinete metido a besta além de ser caro prá caralho (US$ 3,000) e carregar uma pessoa de no máximo 100 Kgs, perde atração com a autonomia: APENAS 17 KM !!!

É brincadeira, não dá para ir de Ipanema à Barra...

*Publicado por Dhuvi-Luvio 1:41 PM




Muitas crônicas disponibilizadas na Internet têm a assinatura do Luis Fernando Veríssimo, mas a grande maioria delas é de autores desconhecidos que para ter uma "audiência" maior taxa o nome do sujeito como autor. o Arnaldo Jabor também é campeão de falsa assinatura.

A crônica a seguir é mesmo do Veríssimo e saiu no jornal "O Globo" de hoje:

O nome é Tratamento de Emergências Sexuais Assinérgicas e Orgânicas. Ou “TESAO”, com o til subentendido. Começa com uma entrevista.
— Como podemos ajudá-lo?
— Eu não consigo mais ter uma ereção, doutor.
— Vamos dar um jeito nisso. O senhor sabe como nós trabalhamos?
— Não, eu...
— Passe para a salinha ao lado, tire toda a roupa e deite-se. De costas.
O homem passa para a salinha ao lado, tira toda a roupa e deita-se de costas. Dali a instantes entra uma moça vestida de enfermeira que também tira toda a roupa e deita-se ao lado do homem. Ela é linda. O homem hesita, depois pergunta:
— O que nós vamos fazer?
— Conversar.
— Conversar?
— Bem, eu vou falar. Mas o senhor pode fazer perguntas, se quiser.
E a moça passa a relatar sua vida sexual. Desde a primeira vez, aos 16 anos, com o namorado, e os pontos altos desde então. O que fazia, o que gostava, as experiências com posições diferentes, combinações de parceiros, acessórios... Depois de uma hora, o médico entra na salinha.
— E então?
— Nada — diz a moça, vestindo-se.
— Nada — confirma o paciente.
— Nem um tremor? Nem um abano?
— Nada.
— Muito bem — diz o médico. — O estímulo verbal não funcionou. Vamos passar para a Fase 2.
— Fase 2?
— A Sandrinha.
A Sandrinha também é linda. E a Sandrinha também tira toda a roupa, assim que o médico sai da salinha. Mas a Sandrinha não se deita ao lado do paciente. Trouxe seus óleos e pomadas e começa a massagear o paciente, concentrando-se na área deficiente. Sem resultado. Quando o médico volta, uma hora depois, ela apenas sacode a cabeça. Nada.
— Nada — confirma o paciente.
— Nem um aceno? Nem um bom-dia?
— Nada.
— Muito bem. O estímulo manual também não funcionou. Vamos passar para a Fase 3.
A Fase 3 é a Mônica. Outra beleza. Que também tira toda a roupa. E em seguida dá ao paciente uma pílula e, enquanto o paciente toma a pílula com a ajuda de um copinho d’água, tira da sua maleta uma seringa e uma agulha.
— Epa! — diz o paciente, quando vê a seringa.
— Não vai doer nada — diz a Mônica, ajustando a agulha. — Vire-se de bruços.
Realmente, a injeção na nádega não dói nada. Mas o homem arregala os olhos quando vê a Mônica mergulhar a mão na maleta outra vez.
— O que você vai fazer agora?
— Esperar para ver se faz efeito — diz Mônica, sorrindo.
E tira de dentro da maleta uma revista para ler enquanto espera.
— Vire-se — instrui Mônica.
O paciente fica deitado de costas e a Mônica fica lendo a sua “Caras”, e às vezes espiando para ver se há algum movimento, por uma hora. Até o médico reaparecer.
— Nada?
— Nada.
— Bom — diz o médico. — O estímulo verbal não funcionou, o estímulo manual não funcionou, o estímulo químico não funcionou...
— Eu estou desenganado, doutor?
— Nós nunca desistimos. Já estabelecemos que seu caso não pode ser resolvido cientificamente. Esqueceremos a ciência e passaremos à Fase 4.
— A Fase 4?
— A Jandira.
A Jandira já entra na salinha nua. É uma mulher magnífica, negra, com grandes seios, perfumada, ondulante. Como que por mágica, a iluminação da salinha diminui à sua entrada e sons de tambores enchem o ambiente.
— Oi, bem — diz Jandira, com sua voz rouca.
— Oi...
— Vamos começar?
— Va-vamos. Eu só acho que não vou con...
— Vai sim. Deixe que eu faço tudo.
O paciente fecha os olhos e se prepara para ser montado por aquele corpo quente, apertado por aquelas coxas lustrosas, docemente sufocado pelo volume daqueles seios rijos... Mas só o que sente são alguns respingos na barriga. Abre os olhos e vê que Jandira está espargindo um líquido sobre seu pênis com um galho do que parece ser arruda. Ela está de olhos fechados, com o rosto voltado para o alto, e começa a entoar:
— Iamantuê nanguem babô, iamantuê nanguem babô...
Uma velha encantação para convocar o espirito dos mortos.

*Publicado por Dhuvi-Luvio 12:59 PM



Você quer brincar de autorama ?? Clique aqui e divirta-se. Você mesmo monta a pista, a seu gosto. Use a tecla "D" para acelerar...

Quando eu era criança, eu era apaixonado por um autorama da estrela que tinha pista inclinada e carros de fórmula 1. Fiquei pentelhando o saco do meu pai o ano inteiro para ganhar o dito cujo, mas não levava muita fé que iria ganhar, pois meu irmão não fazia muito esforço e o filho-da-puta do autorama era caro prá caralho. Quando enfim o Natal chegou eu ganhei uma bola dente-de-leite para tapear e mais tarde veio aquela caixa gigantesca: era o autorama Estrela GP-F1. Lembro-me que surtei geral, não acreditava no que via, não sabia se ria ou chorava, ou se ria e chorava tudo junto. Foi demais, inesquecível !!!

Depois eu conto o episódio da bicicleta de marcha...

*Publicado por Dhuvi-Luvio 12:18 PM




Para o Décio não ficar com ciúme, aí vai um site para fazer palavras cruzadas...

*Publicado por Dhuvi-Luvio 11:56 AM


Bacalhoada von Staa

(pode-se fazer na panela ou no forno)

Colocar postas de bacalhau fresco (pode ser um outro peixe freso também) na panela ou pirex. Jogar suco de um limão, sal e pimenta. Deixar marinar. Enquanto isso lave e corte os legumes e verduras. Jogue alho picado por cima. Acrescente na panela ou pirex, em camadas: Batatas em pedaços, cebola em fatias, pimentão verde e vermelho em tiras (opcional, é claro), tomates em rodelas, bastante azeitonas pretas e cubra com algum tipo de verdura, cortada em fatias. Pode-se usar uma verdura chinesa chamada Bok Choy, mas deve ficar bom com acelga, couve, qualquer coisa verde! Salpica com sal e pimenta do reino, rega com azeite e põe no fogo baixo (ou no forno) por mais ou menos uma hora. Fica igualzinho bacalhoada, só que é feito com peixe fresco - mais saudável e mais barato!! Sirva com arroz e salada. Pode-se colocar uns ovos cozidos em cima, ao gosto do freguês. Saboreie !!

*Publicado por Dhuvi-Luvio 11:41 AM



A máquina dos peidos, pegue aqui (programinha flash sem vírus)...

*Publicado por Dhuvi-Luvio 11:19 AM




Para quem curte a gatinha Katie Holmes do seriado Dawson´s Creek...

*Publicado por Dhuvi-Luvio 11:12 AM





Nome : Dhuvi-Lúvio
Local: Batel-Pr
Email para mim


EM CURITIBA

Links
Antigos

Powered by Blogger
Site Meter