<body>

Deixa com o Beque !!

sexta-feira, julho 26, 2002



* O que eu acho que pesa mesmo é a nossa disposição para tolher nossa vida própria em função do ser que amamos. Acho que se não cobrarmos do outro a nossa porção de amor, atenção e sacrifício que nos cabe, a vida se encarregará de cobrar de nós o nosso tempo perdido em função de quem não merecia - acabaremos por descobrir... E o que fazemos com as sobras depois que alguém come apenas um pedaço? O que fazemos conosco quando nossas crenças se desfizerem e ficarmos à mercê de uma vida sem esperanças? Quantas vezes seremos capazes de recomeçar?... Sempre? Sempre pode ser tempo demais...


Débora Böttcher (Gata Bandida)


*Publicado por Dhuvi-Luvio 11:12 PM


*Publicado por Dhuvi-Luvio 11:11 PM




O QUE É MELHOR CHOCOLATE OU SEXO ????

1. O chocolate satisfaz mesmo quando amolece.
2. Você pode comer chocolate no carro sem ser interrompido pela polícia.
3. Você pode comer chocolate na frente da sua mãe.
4. Se você morder com força, o chocolate não grita e não reclama.
5. Duas pessoas do mesmo sexo podem comer chocolate juntas sem serem chamadas por nomes feios.
6. Chocolate não reclama que você o comeu muito rápido.
7. Você pode pedir chocolate a alguém sem levar um tapa na cara.
8. Chocolate não deixa pêlos na sua boca.
9. Você não precisa mentir para o chocolate.
10. O chocolate não liga se você é virgem ou não.
11.Você pode comer chocolate quando está menstruada ou menstruado.....sei lá.....
12. Você pode comer chocolate em qualquer dia da semana.
13. Um bom chocolate é fácil de se encontrar.
14. Você nunca é muito jovem , ou muito velho para comer chocolate.
15. Quando você come chocolate os vizinhos não ouvem.
16. O tamanho do chocolate não importa, apenas o prazer que ele proporciona.
17. O chocolate sempre cheira bem.
18. Não dói comer chocolate pela primeira vez.
19. Você pode levar o chocolate na bolsa.
20. Você pode comer chocolate à vontade , que nunca vai engravidar.
21. Chocolate não transmite AIDS.
22. Você não precisa usar camisinha pra comer chocolate.
23. Se o seu filho lhe vir comendo chocolate, não vai ficar fazendo perguntas constrangedoras.
24. Ninguém termina um casamento por falta de chocolate.
25. Você não precisa esperar quase uma hora pra comer outro chocolate.
26. Depois de comer, não precisa ficar abraçado com a embalagem.

*Publicado por Dhuvi-Luvio 11:11 PM







Se você possui um telefone da marca NOKIA e não está nem um pouco a fim de fazer propaganda de sua operadora (já basta a conta no fim do mês), veio ao lugar certo.

Abaixo está a maneira de substituir este nome por um mais agradável a você, como por exemplo seu próprio nome:

- Digite *3001#12345#
- Selecione NAM1;
- Aparecerá na tela "Own number" e logo abaixo o número de seu celular;
- Tecle "seta para baixo";
- Aparecerá "Alpha Tag" e logo abaixo o nome que você quer substituir;
- Tecle o botão de seleção;
- Proceda como se fosse mudar um nome da agenda;
- Tecle de novo o botão de seleção;
- Desligue e torne a ligar o seu telefone;
- Viu ?? Não é fácil ???
- Se você tiver duas linha no mesmo aparelho, repita os passos acima para a seleção NAM2;

P.S. : Viu como eu descobri fácil, Fefê ??

*Publicado por Dhuvi-Luvio 10:55 PM


terça-feira, julho 23, 2002


Portuga
Manoel estava há dois anos no Brasil, trabalhando em uma multi-nacional até que não agüentou de saudades de Maria e voltou para Lisboa. Chegando lá, foi correndo ver sua esposa e lhe confessou uma coisa: - Maria, o Brasil é um país maravilhoso, cheio de lindas mulheres e eu não pude resistir a me envolver com elas... Maria olhou, sem se alterar e Manoel prosseguiu: - Mas eu quero que tu saibas que quando eu me deitava com elas, eu me lembrava de ti e, na hora H, saía de cima! Maria ficou pensativa. - Agora me digas uma coisa, Maria... Você foi fiel a mim durante estes dois anos? Maria deu um sorriso com o canto da boca e respondeu: - Bem Manoel... Eu também pensei muito em ti... Mas você tem que entender que sair de baixo é bem mais difícil que sair de cima!

*Publicado por Dhuvi-Luvio 7:06 PM



Joãozinho e o Padre
Preocupada com a quantidade de palavrões que o Joãozinho dizia, a mãe dele decidiu pedir ajuda ao padre da paróquia. O padre deu o seguinte conselho: -Leve este caderno e anote cada vez que seu filho disser um palavrão. No final do mês, desconte dez centavos por palavra da mesada do menino e os doe à igreja". No final do mês, o padre foi visitar a família e a primeira coisa que fez foi chamar o Joãozinho e conferir o caderno. Contou os palavrões e disse: -Meu filho, você proferiu 99 palavrões esse mês! Isso é terrível! Sua mãe descontará R$9,90 da sua mesada". -Vamos acertar logo isso", disse o menino. Sem esconder a irritação, Joãozinho tirou uma nota de R$10,00 do bolso e entregou ao padre. -Mas eu não tenho R$0,10 de troco". -Então o senhor vai tomar no CÚ e fica tudo certo".

*Publicado por Dhuvi-Luvio 7:03 PM


*Publicado por Dhuvi-Luvio 6:59 PM


*Publicado por Dhuvi-Luvio 6:58 PM


PIADA
A morte precoce do pujante gorila fazia definhar a fogosa gorila. O atento diretor da Divisão de Primatas logo percebeu a
carência específica do belo animal, mas como satisfazê-la? Não havia outra saída: ninguém tinha melhores relações com a gorila do que o
limpador da jaula, o Sr. Manuel Dalemar e Trasdosmontes.
- Você compreende - O diretor explicou ao rapaz. - Isso tem importância científica. Contamos com você. E são 500 mil reais!
Precavido, o rapaz impôs três condiões:
- Não pode ser na jaula, tem ser num motel.
- Está ótimo, tens razão - Concordou o diretor.
- Vocês não vão deixar a minha Maria saber disso. - é evidente -
Concordou o diretor. - Confie em nós. Que mais?
- A terceira é o seguinte: posso pagar os 500 reais em cinco vezes?

*Publicado por Dhuvi-Luvio 6:51 PM





*Publicado por Dhuvi-Luvio 6:14 PM


AOS QUE VIEREM DEPOIS DE NÓS

Realmente, vivemos tempos sombrios!
A inocência é loucura. Uma fronte sem rugas
denota insensibilidade. Aquêle que ri
ainda não recebeu a terrível notícia
que está para chegar.

Que tempos são êstes, em que
é quase um delito
falar de coisas inocentes.
Pois implica silenciar tantos horrores!
Êsse que cruza tranqüilamente a rua
não poderá jamais ser encontrado
pelos amigos que precisam de ajuda?

É certo: ganho o meu pão ainda.
Mas acreditai-me: é pura casualidade.
Nada do que faço justifica
que eu possa comer até fartar-me.
Por enquanto as coisas me correm bem (se a sorte me abandonar,
estou perdido).
E dizem-me: “Bebe, come! Alegra-te,
pois tens o quê!”

Mas como posso comer e beber,
se ao faminto arrebato o que como,
se o copo de água falta ao sedento?
E todavia continuo comendo e bebendo.

Também gostaria de ser um sábio.
Os livros antigos nos falam da sabedoria:
É quedar-se afastado das lutas do mundo
e, sem temores,
deixar correr o breve tempo. Mas
evitar a violência,
retribuir o mal com o bem,
não satisfazer os desejos, antes esquecê-los
é o que chamam sabedoria.
E eu não posso fazê-lo. Realmente,
vivemos tempos sombrios.

Para as cidades vim em tempos de desordem,
quando reinava a fome.
Misturei-me aos homens em tempos turbulentos
e indignei-me com êles.
Assim passou o tempo
que me foi concedido na terra.

Comi meu pão em meio às batalhas.
Deitei-me para dormir entre os assassinos.
Do amor me ocupei descuidadamente
e não tive paciência com a Natureza.
Assim passou o tempo
que me foi concedido na terra.

No meu tempo as ruas conduziam aos atoleiros
A palavra traíu-me ante o verdugo.
Era muito pouco o que eu podia. Mas os governantes
se sentiam, sem mim, mais seguros, – espero.
Assim passou o tempo
que me foi concedido na terra.

As fôrças eram escassas. E a meta
achava-se muito distante.
Pude divisá-la claramente,
ainda quando parecia, para mim, inatingível.
Assim passou o tempo
que me foi concedido na terra.

Vós, que surgireis da maré
em que perecemos,
lembrai-vos também,
quando falar-des das nossas fraquezas,
lembrai-vos dos tempos sombrios
de que pudestes escapar.

Íamos, com efeito,
mudando mais freqüentemente de país
do que de sapatos,
através das lutas de classes,
desesperados,
quando havia só injustiça e nenhuma indignação.

E, contudo, sabemos
que também o ódio contra a baixeza
endurece as feições;
que também a cólera contra a injustiça
entouquece a voz. Ah, os que quisemos
preparar terreno para a bondade
não pudemos ser bons.
Vós, porém, quando chegar o momento
em que o homem seja bom para o homem,
lembrai-vos de nós
com indulgência.

BERTOLT BRECHT
Tradução de MANUEL BANDEIRA


*Publicado por Dhuvi-Luvio 6:08 PM





Homem Que É Homem

Homem que é Homem não usa camiseta sem manga, a não ser pra jogar basquete. Homem que é Homem não gosta de canapés, de cebolinhas em conserva ou de qualquer outra coisa que leve menos de 30 segundos para mastigar e engolir. Homem que é Homem não come suflê. Homem que é Homem - de agora em diante chamado de HQEH - não deixa sua mulher mostrar a bunda pra ninguém, nem em baile de carnaval. HQEH não mostra a sua bunda pra ninguém. Só no vestiário, para outros homens, e assim mesmo, se olhar mais de 30 segundos dá briga.

HQEH só vai ao cinema ver filme do Franco Zeffirelli quando a mulher insiste muito, e passa todo tempo tentando ver as horas no escuro. HQEH não gosta de musical, filme com a Jill Claybourgh ou do Ingmar Bergman. Prefere filmes com o Lee Marvin e Charles Bronson. Diz que ator mesmo era o Spencer Tracy e que dos novos, tirando o Clint Eastwood, é tudo veado.

HQEH não vai mais a teatro porque também não gosta que mostrem a bunda a sua mulher. Se você quer um HQEH no momento mais baixo de sua vida, precisa vê-lo no ballet. Na saída ele diz ue até o porteiro é veado e que se enxergar mais alguém de malha justa, mata.

E o HQEH tem razão. Confesse, você está com ele. Você não quer que pensem que você é um primitivo, um retrógrado e um machista, mas lá no fundo você torce pelo HQEH. Claro, não concorda com tudo o que ele diz. Quando ele conta tudo o que vai fazer com a Gretchen no dia em que a pegar, você sacode a cabeça e reflete sobre o componente de misoginia patológica inerente à jactância sexual do homem latino. Depois começa a pensar em tudo o que vai fazer com a Gretchen no dia em que a pegar... Existe um HQEH dentro de cada brasileiro, sepultado sob camadas de civilização, de falsa sofisticação, de propaganda feminina e de acomodação. Sim, de acomodação. Quantas vezes, atirado na frente de um aparelho de TV vendo a novela das 8, uma história invariavelmente de humilhação, renúncia e superação femininas escrita pela Janete Clair ou por algum veado - você não se perguntou o que estava fazendo que não dava um salto, vencia a resistência do resto da família a pontapés e procurava uma reprise do Manix em outro canal ? HQEH só vê futebol na TV. Bebendo cerveja. E nada de cebolinha em conserva ! HQEH arrota e não pede desculpas.


*Publicado por Dhuvi-Luvio 5:38 PM


segunda-feira, julho 22, 2002



Se eu morrer, morre comigo um certo modo de ver, disse o poeta.
Um poeta é só isso: um certo modo de ver. O diabo é que, de tanto ver, a gente banaliza o olhar... vê, não vendo.
Experimente ver pela primeira vez o que você vê todo dia sem ver. Parece fácil, mas não é. O que nos é familiar, já não desperta curiosidade. O campo visual da nossa rotina é como um vazio. Você sai todo dia, por exemplo, pela mesma porta. Se alguém lhe perguntar o que é que você vê no seu caminho, você não sabe. De tanto ver, você não vê.
Sei de um profissional que passou 32 anos a fio pelo mesmo porteiro. Dava-lhe bom-dia e, às vezes, lhe passava um recado ou uma correspondência. Um dia, o porteiro cometeu a descortesia de falecer. Como era ele? Sua cara, sua voz, como se vestia? Não fazia a mínima idéia. Em 32 anos, nunca o viu. Para ser notado, o porteiro teve que morrer.
Se um dia, no seu lugar estivesse uma girafa cumprindo o rito, pode ser que ninguém desse por sua ausência.
O hábito suja os olhos e lhes baixa a voltagem. Mas, há sempre o que ver: gente, coisas, bichos. E vemos? Não, não vemos.
Uma criança vê o que um adulto não vê., pois tem olhos atentos e limpos para o espetáculo do mundo.
O poeta é capaz de ver pela primeira vez o que, de tão visto, ninguém vê. Há pai que nunca viu o próprio filho, marido que nunca viu a própria mulher.
Isso exige muito. Nossos olhos se gastam no dia-a-dia. É por aí que se instala no coração o monstro da indiferença.

*Publicado por Dhuvi-Luvio 12:43 PM


*Publicado por Dhuvi-Luvio 12:41 PM



*Publicado por Dhuvi-Luvio 12:38 PM



Existem determinadas atitudes e maneiras que demonstram nossas contradições entre palavras e ações bem como entre intenções e verdadeiras atitudes.
Mas isso me parece normal. é humano... sobretudo, humano.
Não deveria espantar nem mesmo causar quaquer tipo de reação [embora exista a reação sim!] - não sei explicar o porquê.
Aliás, dentre as minhas inúmeras fraquezas, 'não explicar os porquês' ocupa um lugar especial.
Hoje descubro autores que demonstram com leveza, humor e tudo o mais, essa coisa toda de você querer, sentir, mas simplesmente não conseguir dizer.
E como é legal, essa confusão contada num romance.... e como é pífia na vida real....
Escrevo isso por uma série de motivações - que por sua vez, geram outra série de debates internos (entre meus eus) -
O que provoca certa angústia [tudo bem que irrelevante quando colocada em confronto com a vida inteira...
Voltando: o que provoca certa angústia é essa caminhada em círculos que dou [e damos, todos]. procuro fazer uma relação geográfica, imaginando às vezes que, por ser a terra redonda, tudo aliás é redondo ou arredonda do universo - que além de curvo me cheira a redondo, provoca essa vida de emoções circulares.
Cérebro e intestinos são dispostos em forma de lombrigas inertes - se não redondas - pelo menos sem formas retas, sem quinas.
Se meu cérebro não tem quina, minha vida não pode ser reta.
Daí voltaria para a conversa que tive à tarde.
A vida não é reta. nada deve ser reto
E esse conceito de retidão e certeza é tolo e babaca.

*Publicado por Dhuvi-Luvio 12:28 PM




*Publicado por Dhuvi-Luvio 12:15 PM






Nome : Dhuvi-Lúvio
Local: Batel-Pr
Email para mim


EM CURITIBA

Links
Antigos

Powered by Blogger
Site Meter