<body>

Deixa com o Beque !!

quinta-feira, dezembro 12, 2002



A origem do bigode...

*Publicado por Dhuvi-Luvio 12:02 PM


*Publicado por Dhuvi-Luvio 11:56 AM


Questão de nacionalidade...
Um francês, um inglês e um brasileiro estão no Louvre, diante de um quadro de Adão e Eva no Paraíso.
O francês diz:
- Olhem que lindos os dois. Ela alta e magra, e ele com um físico trabalhado. Devem ser franceses.
E o inglês retruca:
- Que nada. Olhem os olhos frios, reservados. Só podem ser ingleses.
E o brasileiro:
- Descordo totalmente. Olhem bem: eles não têm roupas, não têm casa, só têm uma maçã para comer e ainda pensam que estão no Paraíso. Só podem ser argentinos!!!

*Publicado por Dhuvi-Luvio 11:45 AM




ETS nas artes antigas...

*Publicado por Dhuvi-Luvio 11:30 AM


SMART

Um réu estava sendo julgado por asssassinato na Inglaterra. Havia fortes evidências sobre a sua culpa, mas o cadáver não aparecera. Quase no final da sua sustentação oral, o advogado temeroso de que seu cliente fosse condenado - recorreu a um truque:

"Senhoras e senhores do júri, eu tenho uma surpresa para todos vocês", disse o advogado, olhando para o seu relógio.
"Dentro de um minuto, a pessoa presumivelmente assassinada, neste caso, vai entrar neste tribunal."

E olhou para a porta. Os jurados, surpresos, também ansiosos, ficaram olhando para a porta. Um minuto passou. Nada aconteceu. O advogado, então, completou:

"Realmente, eu falei e todos vocês olharam com expectativa. Portanto, ficou claro que vocês, neste caso, têm dúvida se alguém realmente foi morto, por isso insisto para que vocês considerem o meu cliente inocente!"

Os jurados, visivelmente surpresos, retiraram-se para a decisão final.
Alguns minutos depois, o júri voltou e pronunciou o veredito:
"Culpado!"
"Mas como?" - perguntou o advogado
"Vocês estavam em dúvida, eu vi todos vocês olharem fixamente para a porta!"
E o juiz esclareceu:
"Sim, todos nós olhamos para a porta, mas o seu cliente não..."

*Publicado por Dhuvi-Luvio 11:16 AM


terça-feira, dezembro 10, 2002






CIRCULANDO...

"Todo tempo que temos é só agora, é sempre já e só este instante, que não há nenhum outro, e nossa vida inteira é esse momento distentido, dilatado, esticado pela nossa existência. E é assim que, apesar de sermos bebês, já somos velhos, adolescentes, jovens, moleques, senis, adultos, em crescimento, grudados às nossas mães pelos cordões umbilicais. Não temos outro instante para tentar; temos de fazer valer agora, já, imediatamente, nossa vida toda".



Senhor, acalmai meu coração, serenai minha alma. Dai-me o equilíbrio necessário para caminhar entre os homens mais necessitados, sem ser contaminado por suas fraquezas, por seus medos, por sua insanidade. Sede minha proteção, meu abrigo. Fazei-me justo. Dai-me a bênção se aprender a semear a esperança; a cada um que eu encontrar em meu caminho, caibam as bênçãos e a fartura das colheitas.

*Publicado por Dhuvi-Luvio 12:18 PM





Massageando o ego de Sandy

03.Dez.2002 | Deve haver coisa mais importante sobre a qual falar nesse momento, não há dúvida. Mas o que mais me chamou a atenção na semana passada, vocês me desculpem, não foi a volta da inflação, nem as especulações para saber se 2003 será mesmo um ano perdido, muito menos qual vai ser o ministério de Lula ou até quando vai durar o alisamento japonês do cabelo da governadora eleita Rosinha Garotinho. Talvez porque eu tenha ficado muito tempo sem votar, o fato é que o que mais atraiu o meu interesse foi uma eleição.

Não votei nela, não sei se vocês votaram, não participei de campanha e só tomei conhecimento dos resultados, assim mesmo com atraso. Eles foram anunciados no site Globo.com, na coluna “Dirce que Dirce”: “Preferência nacional: Sandy é a mulher que os homens querem ver nua”. Vocês sabiam? Pois é: 60 mil pessoas foram às urnas, isto é, ao computador, e responderam com seus votos à pergunta “que mulher você gostaria de ver nua?”.

Sandy recebeu 43,3% dos votos, na frente de Luana Piovani (23,9%), Malu Mader (14,9%), Luciana Gimenez (8,8%), Maria Paula (4,8%) e Susana Werner (4,5%). Surpresa, a vencedora declarou: “É claro que é muito legal saber que as pessoas enxergam sensualidade em mim, mesmo sem eu provocar. Dá aquela massageada no ego, né?”

Dediquei boa parte de minhas preocupações nesse fim de semana a essa questão: “Por que Sandy (que durante muito tempo achei que se chamava Sandy Júnior, sem no entanto descobrir o pai responsável pelo ‘Júnior’)?” A colunista que deu a notícia levantou algumas hipóteses: “Seriam os olhos expressivos, a cintura fina, o rosto simetricamente perfeito, os cabelos?”

A eleita, ela mesma, não entendeu, até porque não fez lobby e nem, como disse, qualquer esforço para obter a vitória: “Não faz parte dos meus planos profissionais ser a mais sexy, a mais desejada”. O engraçado é que consegue o que diz: a meu ver (que por sinal não vê tão bem assim), não há ninguém menos sexy que essa jovem cantora. Vai entender o desejo do homem brasileiro?

Soa quase como ofensa você dizer que alguém não é sexy. A nossa cultura de massa está tão dominada pelo sexo como valor de consumo que a mulher tem que ser sexy na voz, na maneira de andar, no olhar, nas olheiras, no sorriso. Até para vender cerveja, uma bebida que não tem nada de afrodisíaca (talvez por isso mesmo), o corpo da mulher está sendo usado pela publicidade. Não sei se já viram um anúncio que se pretende erótico, em que um casal de namorados se excita trocando beijos com gosto de cerveja: argh! No meu tempo, isso era mau gosto.

Sem querer fazer teoria sobre as nossas preferências eróticas – quem sou eu? – o resultado da eleição de Sandy pode ser recebido como uma reação a essa super-exposição a que está sujeito o corpo feminino nesses tempos pós-modernos. Considerando que a cantora vitoriosa, pelo que sei e vejo, não rebola, não fica exibindo suas formas, é recatada, quase pudica em matéria de expor o corpo, talvez se possa acrescentar mais uma hipótese nessa tentativa de desvendar o mistério da vitória de Sandy: as pessoas querem ver o que não vêem.

Se eu entendesse do assunto, chamaria a atenção para um outro fator que, quem sabe, transformou a irmã de Júnior num objeto de desejo: justamente aquele ar meio angelical, a cara de Lolita, o corpinho de adolescente eternamente virgem, puro e sem pecado, de quem nunca cometeu um ato ilícito ou um desviozinho. Desse jeito, ela desafia e excita a vontade de transgredir, de romper as interdições, de conspurcar. Sandy pode ter mobilizado todas as fantasias, perversões e tabus de seus eleitores – todas as taras, como se dizia antigamente. Será isso? Com a palavra, algum psicanalista num intervalo de consulta.

Disse que não entendia do assunto, mas entendo de coração e mente de um certo macho brasileiro, aquele tão bem descrito por Nelson Rodrigues. Aliás, por falar nele, uma das lendas que mais o fascinavam, a ele e a todos nós jovens daquela época, anos 40/50, era a da “zona” de normalistas. Contava-se que funcionava na Tijuca, perto do Instituto de Educação, que então só aceitava moças, um bordel muito especial. Freqüentada por poderosos figurões da política (mas dizem que Tutty e Joaquim também fizeram aí sua iniciação precoce), a casa só trabalhava com normalistas, recrutadas, supunha-se, na Escola Normal vizinha: estudantes vestidas de blusa branca e saia azul pregueada, meias soquetes e, bem entendido, uma calcinha aparecendo. Um sucesso. Para uma geração de onanistas reprimidos, nada mais excitante.

Me pergunto se a revolução sexual dos anos 60 chegou mesmo a acabar com esse obscuro combustível do desejo masculino brasileiro.

*Publicado por Dhuvi-Luvio 12:02 PM


*Publicado por Dhuvi-Luvio 11:57 AM




ETezinho achado no Chile ???!!!

*Publicado por Dhuvi-Luvio 11:51 AM


*Publicado por Dhuvi-Luvio 11:49 AM





Nome : Dhuvi-Lúvio
Local: Batel-Pr
Email para mim


EM CURITIBA

Links
Antigos

Powered by Blogger
Site Meter