<body>

Deixa com o Beque !!

sábado, março 01, 2003

*Publicado por Dhuvi-Luvio 9:30 PM


Sabedoria

Quem tem espírito de porco
Só serve
Para encher lingüiça

*Publicado por Dhuvi-Luvio 9:29 PM




Dotô

O médico do interior é chamado para examinar aquele velhinho que, há muito, tá mais pra lá do que pra cá. O doutor examina e informa, pesaroso, à mulher do velhote:
- Seu marido está morto.
Mas, da cama, o velhinho balbucia:
- Muié, eu tô vivo...
- Cale a boca, diacho! Quem foi qui estudô? Você ou o dotô?

*Publicado por Dhuvi-Luvio 9:27 PM


NO PAIN, NO GAIN
Luciano Pires

Era uma entrevista de Oscar Schmidt para Marilia Gabriela. A pergunta era interessante: os jogadores de futebol dizem que o orgasmo do futebol é o gol. Qual seria o equivalente no basquete?
- Jogar pela seleção. Vestir a amarelinha.
E o campeão passa a contar como se sentia e o que tinha que fazer para defender o time brasileiro. E ele jogava sem seguro. Terminada a temporada na Itália, vinha para o Brasil e continuava jogando pela seleção. Sem ganhar nada. Sem seguro, sem conforto.
- Já imaginou - dizia ele para Marilia - aqueles gigantes de mais de dois metros, viajando na classe econômica, encolhidinhos, por 20, 30 horas, até a China? Não era mole não. Tudo pelo amor à camisa...
Vi o tempo todo o brilho dos olhos de nosso experiente campeão... Que sacrifício... Aí me lembro do Popó contando sobre seu início de carreira. E o Piquet também. E então vejo uma matéria com nosso grande ator Lima Duarte, no Mercado Municipal de São Paulo, contando que chegou ali, num pau-de-arara, vindo do nordeste, com uma mão na frente e outra atrás... E fica impossível não fazer um paralelo com nosso Presidente Lula.
Gente que, para chegar onde chegou, levou anos... investiu tempo e energia e, não raro, comeu o pão que o diabo amassou.
Uma vez, quando comecei a fazer academia, para tentar manter a forma física, um cartaz na parede chamava a atenção: NO PAIN, NO GAIN. Mais ou menos: SEM DOR, SEM GANHO. Era preciso malhar muito, suar a camisa, sentir as dores musculares para ver os resultados. Na moleza, nada de músculos.
Pois durante toda a vida tive milhares de exemplos que apenas vieram a comprovar essa tese. Mas o melhor de todos aconteceu quando fiz minha caminhada ao Campo Base do Everest, no Nepal, em abril de 2001. São 200 quilômetros de pura exaustão. Subidas íngremes e descidas para acabar com qualquer joelho. Dores de cabeça. Falta de oxigênio. Frio abaixo de zero. Em determinados momentos, eu achei que não conseguiria prosseguir, tamanho sofrimento...
Mas sabe o que eu fazia nos momentos de desespero? Eu olhava para cima. E via montanhas com 8 mil metros de altura. Via que eu estava no Himalaia. A caminho do meu sonho. Essa constatação bastava para me dar as forças que faltavam. No final da viagem, ao fazer um levantamento das coisas que vi e vivi, ficou claro que aquela minha experiência não poderia ter sido de graça. Não dá para simplesmente pegar um avião, descer no Campo Base do Everest e ver o que eu vi, viver o que vivi.
As maravilhas que me impactaram para o resto da vida têm um custo: o sofrimento da caminhada. É preciso sofrer tudo aquilo para vivenciar minha experiência. Sem sacrifício, não se conquista a montanha.

No pain, no gain.

Quando minha viagem terminou, ficou aquela sensação gostosa do dever cumprido. Um prazer saboreado ao recordar cada passo, rever cada foto. Uma sensação como aquela dor muscular gostosa depois da atividade física. A dor que nos dá a certeza de que estamos progredindo. A dor que é vencida conforme vamos ficando melhores.
De volta ao Brasil, pude perceber que o valor que as pessoas davam à minha viagem, não era pelo fato de ter alcançado meu objetivo. Mas pela coragem de assumir o risco, de enfrentar o sacrifício. E descobri que SACRIFÍCIO anda junto com REALIZAÇÃO. Com RESPEITO. Com CONQUISTA.
É o SACRIFÍCIO que nos faz fortes, que nos prepara para desafios maiores, que nos dá um dos únicos verdadeiros tesouros da existência: a EXPERIÊNCIA.


Artigo de Luciano Pires, profissional de comunicação, jornalista, escritor, conferencista e cartunista, atualmente Diretor de Comunicação Corporativa da Dana. E-mail: luciano.pires@dana.com

*Publicado por Dhuvi-Luvio 9:22 PM




PARA QUEM ASSISTE OU ASSISTIU O CHAVES...
Uma análise político-econômica comparando o continente americano aos personagens do seriado Chaves


CHAVES (Venezuela): Representa a pobreza na América Latina, que sofre na mão da burguesia, mas luta (ainda que os métodos nem sempre sejam corretos) para fazer valer os direitos do povo.
SEU MADRUGA (Brasil): É pobre, passa fome e sempre dá um jeitinho de não pagar as dividas, apesar de ter sua vida controlada pelo Seu Barriga (FMI), por causa de seus problemas financeiros.
BRUXA DO 71 (Argentina): Ninguém gosta dela, e ela fica sempre atrás do Seu Madruga tentando foder com ele. Sempre se dá mal, cada vez mais.
QUICO (Paraguai): É o mais chacoteado de todos, e sua cacterística principal é possuir brinquedinhos caros que nem sempre funcionam.
NHONHO (Canadá): É grande e rico, mas ninguém dá importância. Sempre que aparece apanha.
PROFESSOR GIRAFALES (EUA): Tem poder sobre todos. Tenta passar sua "cultura" para todo mundo, apesar de alunos como Chaves (Venezuela) sempre darem uma zoadinha e sairem por cima no final.
CHIQUINHA (Cuba): É a melhor amiga do Chaves (Venezuela). Pequena, mas faz um barulho danado, o que incomoda todo mundo, principalmente o Professor Girafales (EUA).
DONA FLORINDA (Costa Rica): Vive atrelada ao Professor Girafales (EUA).
GODINES E SEU JAIMINHO (Suriname e Guiana Francesa): Aparecem de vez em quando, mas ninguém lembra que existem.

*Publicado por Dhuvi-Luvio 9:16 PM



*Publicado por Dhuvi-Luvio 9:10 PM








Uma cidade dessas não merecia passar o que está passando. Ou será que merecia ??
Quem elege Rosinha Matheus como governadora, quem mantém Eurico e caixa d´água no comando do campeonato, quem possui a maior folha de funcionalismo federal do Brasil, quem concentra a maior fatia da economia informal, quem possui o maior número de favelas do mundo...

O fato é que a imagem é mesmo muito bela, mas se a câmera girar 180° a ciosa fica muito feia. Quem já aterrisou no Rio em céu de brigadeiro sabe de que estou falando. Por todos os lados reina a favelização...

Ontem mesmo vi uma cena inusitada, para não dizer melancólica: ao invés de armarem seus barracos debaixo dos viadutos, os "engenheiros" resolveram levantar os barracos lá em cima do viaduto, do lado da via férrea. É lógico que as condições são subumanas, não há água, esgoto, etc...O pior é ver que a coisa nunca pára de crescer, ou seja, cada vez mais as pessoas estão migrando para a favela por conta da necessidade. Ninguém escolheria morar em favelas !!

Infelizmente até a paisagem aí de cima já está ameaçada, o principal cartão postal do Rio já tem sete favelas subindo e crescendo morro acima. Quem sabe eles querem estar mais perto de Deus...

*Publicado por Dhuvi-Luvio 8:21 PM






SALMÃO COM MOLHO DE ALCAPARRA
(rendimento: 4 porções)

Ingredientes:

- 2 postas de salmão com cerca de 2,5 cm de espessura (200 A 230g cada)
- 2 colheres (sopa) de margarina light
- 1 colher (sopa) de alcaparra, lavada e escorrida
- 2 colheres (chá) de salsa picada
- ½ colher (café) de cebola em pó
- 1 pitada de páprica
- 1 pitada de pimenta-do-reino

Modo de Preparar:

Arranje o salmão sobre a grade para assar, com o lado mais grosso virado para fora. Cubra com papel-manteiga e cozinhe-o no microondas, em potência média-alta por 7 a 10 minutos (até o peixe começar a desmanchar sob a ponta do garfo), girando o prato 1 ou 2 vezes. Deixe descansar coberto enquanto prepara o molho.

Misture todos os ingrediente acima citados e aqueça-os no microondas em potência Alta por 30 segundos a 1 minuto.

Coloque o molho sobre o salmão e sirva.



*Publicado por Dhuvi-Luvio 7:50 PM




*Publicado por Dhuvi-Luvio 6:46 PM





O PIQUENIQUE DAS TARTARUGAS

Uma família de tartarugas decidiu sair para um piquenique. As tartarugas, sendo naturalmente lentas, levaram sete anos para prepararem-se para seu passeio.
Finalmente a família de tartarugas saiu de casa para procurar um lugar apropriado. Durante o segundo ano da viagem encontraram um lugar ideal!
Por aproximadamente seis meses limparam a área, desembalaram a cesta de piquenique e terminaram os arranjos.Então descobriram que tinham esquecido o sal. Um
piquenique sem sal seria um desastre, todas concordaram. Após uma longa discussão, a tartaruga mais nova foi escolhida para voltar em casa e
pegar o sal, pois era a mais rápida das tartarugas. A pequena tartaruga lamentou, chorou,e esperneou. Concordou em ir mas com uma condição: que ninguém comeria até
que ela retornasse. A família consentiu e a pequena tartaruga saiu. Três anos se passaram e a pequena tartaruga não tinha retornado.
Cinco anos... Seis anos... Então, no sétimo ano de sua ausência, a tartaruga mais velha não agüentava mais conter sua fome. Anunciou que ia
comer e começou a desembalar um sanduíche. Nesta hora, a pequena tartaruga saiu de trás de uma árvore e gritou,
- Viu! Eu sabia que vocês não iam me esperar. Agora que eu não vou mesmo buscar o sal.


Descontando os exageros da estória, na nossa vida as coisas acontecem mais ou menos da mesma fora. Nós desperdiçamos nosso tempo esperando que as pessoas vivam à altura de nossas expectativas. Ficamos tão preocupados com o quê os outros estão fazendo que deixamos de fazer nossas próprias coisas.

*Publicado por Dhuvi-Luvio 6:39 PM


terça-feira, fevereiro 25, 2003



Não entendeu ?? Então clique aí em cima...

*Publicado por Dhuvi-Luvio 9:35 PM



Rio no começo do século, veja e ouça com trilha de bossa-nova

*Publicado por Dhuvi-Luvio 9:26 PM


*Publicado por Dhuvi-Luvio 9:22 PM






Pergunta aí se ele tá preocupado com o que tá ocorrendo no reino da felinagem feroz, esse da rapinagem e da loucura, onde daqui a pouco muitos inocentes do Iraque podem ser imolados por ordem de apocalíptico cavaleiro, um diabo papudinho a serviço dos interesses das ganâncias.

Pergunta aí se ele tá puto porque o cara que fo ieleito por estas bandas foi engolido pelo FMI, igualzinho ao outro que se foi, e daqui a pouco muitos inocentes daqui podem ser sacrificados no mesmo altar das tais ganâncias com comida zero.

Não tá nem aí pras outras grandes mazelas desse mundão. Por isso na próxima encarnação quero ser um gato, que tirante a o perigo de virar tamborim, parece que o resto é moleza, e ainda me livro do lero enganador desses que se dizem gentes.


(epifanias imperfeitas)

*Publicado por Dhuvi-Luvio 9:00 PM


segunda-feira, fevereiro 24, 2003

NOVAS COTAS UNIVERSITÁRIAS

O governo do Rio de Janeiro acha que a solução da educação está nas cotas universitárias, em vez de tentar resolver primeiro os problemas do ensino básico. Já que na Uerj a banda passou a tocar assim, porque não experimentar outros tipos de cotas, de acordo com um raciocínio semelhante? Basta “democratizar” (favor não confundir com “impor”) alguns cursos em que a existência de uma maioria seja evidente. Vamos aos exemplos:

- Os cursos de pedagogia, serviço social e letras, infestados de canhões, barangas e jaburus, abriria cotas de 20% para mulheres bonitas.

- Em contrapartida, 20% das vagas dos cursos de psicologia, nutrição e fisioterapia seriam destinadas à mulheres feias.

- 20% das vagas de história, geografia e sociologia ficariam resevadas para pessoas que tomem banho todos os dias, que não fumem qualquer tipo de mato e não usem camisas esfarrapadas do Che Guevara.

- Nos cursos de engenharia, 20% das vagas iriam para mulheres, nem tão bonitas, mas também nem tão feias quanto as que já existem no curso. Essas mulheres, digamos, “básicas” fariam com que os nerds do referido curso não invadissem chopadas de outros cursos a procura de material tão raro entre eles.


(do VELA)

*Publicado por Dhuvi-Luvio 9:08 PM


*Publicado por Dhuvi-Luvio 9:07 PM











[ Já Sei Guerrear : George W Bush* ]

Já sei bombardear,
Já sei armar o míssil agora só me falta atirar
Já sei invadir, já sei peitar a ONU agora só me falta explodir

Não tenho paciencia pra negociação
Eu tenho é mania de perseguição

Não ouço ninguém,
acuso todo mundo: o Bin Laden e o Hussein

Não livro ninguém, exploro todo mundo
Acho que o mundo é meu também

Já sei derrubar,
já sei jogar a bomba na tua base militar

Eu sou o juiz,
e não tô nem aí pra tantas vidas de civis

Peguei experiência com o Afeganistão
Se antes eu falhei, agora não erro não

Não ouço ninguém, até o Colin Powell
Tá igual a mim também

Não livro ninguém, primeiro o petróleo
Depois Amazônia também

Eu tô querendo, Saddam Hussein
Eu tô querendo, tudo o que tiver
Tô te querendo, não tem pra ninguém
Tô te querendo, petróleo do Hussein...



*Publicado por Dhuvi-Luvio 8:32 PM



Livro conta a história do maior site pornô do Brasil

A identidade do CEO do maior site pornô do Brasil finalmente está revelada. Renato Cavalcanti ou Ricardo Cavallini lança "A Arte de Desperdiçar Energia", um livro sobre a história do BoaBronha.com, líder de audiência em um gênero nunca antes explorado, o pornô com bom humor e qualidade.

"A Arte de Desperdiçar Energia" é um mistura de manual de negócios com relatos do comportamento sexual do brasileiro online. Cavallini, profissional que gerencia desenvolvimento de sites para grandes empresas, começou o BoaBronha.com como um hobby.

O site, no entanto, logo provou ser um sucesso maior que o esperado. O BoaBronha.com logo se tornou o site pornô mais visitado do Brasil em apenas 3 meses, sem nenhum investimento.

A experiência do BoaBronha.com contou ainda com o concurso publicitário Boa Bronha. Foram dezenas de peças enviadas e julgadas por nomes famosos da propaganda brasileira. As melhores peças estão reproduzidas no livro.

Ricardo Cavallini tem 15 anos de experiência na área de tecnologia e através do pseudônimo Renato Cavalcanti, realizou o empreendimento BoaBronha.com. O BoaBronha.com recebeu testemunhos em forma de emails e ICQs de diversos tipos de internautas de todo o Brasil.

Ricardo Cavallini é colaborador da Magnet e da Macmania, da Editora Bookmakers. O lançamento do livro "A Arte de Desperdiçar Energia" acontece em São Paulo, com sessão de autógrafos do autor.


Lançamento
Data: 26/12/2002
Local: Livraria da Vila - R. Fradique Coutinho, 915, Vila Madalena
Livro: A Arte de Desperdiçar Energia
Autor: Ricardo Cavallini
Formato: 16 x 25 cm; 128 páginas
Preço: R$ 19,90

*Publicado por Dhuvi-Luvio 8:25 PM


*Publicado por Dhuvi-Luvio 8:22 PM




PÉROLAS

"De ordem do Exmo. Delegado de Polícia, faço saber aos senhores criminosos que andam perambulando pelas ruas que fujam com urgência, sob pena de serem presos".
(Aviso afixado em cartazes, a mando do delegado de polícia de Cabrobró, PE)

"Metade das mentiras que nossos adversários dizem sobre nós não são verdades"
(membro do Parlamento inglês, discursando)

"Apenas para sócios e não sócios"
(tabuleta pregada na porta de uma discoteca num clube mexicano)

"De nenhuma maneira é possível que uma pessoa esteja em dois lugares ao mesmo tempo, especialmente se houver uma grande distância entre eles"
(Juiz Amado Guerrero, 10º Tribunal Regional do México)

"Quando um grande número de pessoas não consegue arrumar trabalho, o resultado é o desemprego"
(Calvin Coolidge, senador norte-americano, discursando sobre a situação econômica dos EUA)

"Nós cometemos um número grande demais de enganos errados"
(Yogi Berra, ex-jogador do New York Yankess, explicando por que o time perdeu o campeonato de beisebol)

"A vítima foi encontrada às margens do rio Sucuriú, retalhada em quatro pedaços, com os membros separados do tronco, dentro de um saco de aniagem, amarrado e atado a uma pesada pedra. Ao que tudo indica, parece afastada a hipótese de suicídio"
(relatório de um delegado do Mato Grosso)

"Cuidado! Tocar nesses fios provoca morte instantânea. Quem for flagrado fazendo isso será Processado"
(tabuleta afixada numa estação do metrô no Rio)

"Tudo indica que o esqueleto foi colocado na vala com o maior respeito"
(médico legista colombiano, sobre a descoberta da ossada do guerrilheiro Che Guevara)

"...seis dos quatro jovens que viajavam no Passat morreram na madrugada do domingo."
(Jornal do Brasil)

"A família da enfermeira Carla Cortes Passos, que morreu domingo, devido à infecção por meningite, quer agora saber se ela contraiu a doença na clínica onde trabalhava. No domingo, dia 30, ela sentiu-se mal, com febre e dor no corpo. Foi dispensada do trabalho, voltou para casa e deitou-se. Ao acordar, Carla estava morta."
(jornal Hora do Povo, de S.P)

"...outra medida a ser adotada é a colocação de mais de 170 latões de concreto na faixa de areia da praia"
(o jornal A Tribuna, de Santos, explicando a campanha da prefeitura contra olixo)

"A cólera é uma febre terrível com óbito quase fatal ao fim de dois ou três dias"
(obra-prima da Gazeta de Santo Amaro, cidade paulista)

E a última, certamente a melhor:

"Professor, nunca entendi esse negócio direito, afinal, Getúlio Vargas renunciou no primeiro mandato e suicidou-se no segundo, ou suicidou-se no primeiro e renunciou no segundo?".
(uma aluna, em plena aula de história, no cursinho pré-vestibular)

*Publicado por Dhuvi-Luvio 8:15 PM




Nome : Dhuvi-Lúvio
Local: Batel-Pr
Email para mim


EM CURITIBA

Links
Antigos

Powered by Blogger
Site Meter