<body>

Deixa com o Beque !!

sábado, junho 07, 2003

*Publicado por Dhuvi-Luvio 6:03 PM


O que é trabalhar autônomo!

Você trabalha em horários estranhos (que nem as putas!)
Te pagam pra fazer o cliente feliz (que nem as putas!)
O cliente até que as vezes paga muito, mas teu empregador fica com quase tudo (que nem as putas!)
Seu trabalho sempre vai além do expediente (que nem as putas !)
Você é mais produtivo à noite (que nem as putas!)
Você é recompensado por realizar as idéias do cliente (que nem as putas!)
Seus amigos se distanciam de você, e você só anda com outros iguais a você (que nem as putas!)
Quando vai ao encontro do cliente, você tem de estar sempre apresentável (que nem as putas!)
Mas quando você volta, parece saido do inferno (que nem as putas!)
O cliente quer sempre pagar menos e que você faça maravilhas (que nem as putas!)
Quando te perguntam em que trabalhas, tens dificuldade de explicar (que nem as putas!)
Se as coisas dão errado, é sempre culpa sua (que nem as putas!)
Todo dia, ao acordar, você diz: NÃO VOU PASSAR O RESTO DA VIDA FAZENDO ISSO (que nem as putas)

*Publicado por Dhuvi-Luvio 5:57 PM


"...o único afrodisíaco verdadeiramente infalível é o amor. Nada consegue deter a paixão acesa de duas pessoas apaixonadas. Neste caso não importam os achaques da existência, o furor dos anos, o envelhecimento físico ou a mesquinhez das oportunidades; os amantes dão um jeito de se amarem porque, por definição, esse é o seu destino." (Isabel Allende)

*Publicado por Dhuvi-Luvio 5:54 PM


*Publicado por Dhuvi-Luvio 5:54 PM



*Publicado por Dhuvi-Luvio 5:49 PM




sexta-feira, junho 06, 2003

FUCK

*Publicado por Dhuvi-Luvio 4:18 PM




*Publicado por Dhuvi-Luvio 4:15 PM


George W. Bush tem uma crise cardíaca e morre!

Claro que ele aparece no Inferno, onde o Diabo o aguardava.
O diabo diz-lhe:
- Nem sei o que fazer com você, evidente que você está na minha lista, porém não tenho mais nenhum lugar livre! Está claro que seu lugar é aqui.
Depois de refletir por cinco minutos ele diz:
- Já sei o que vou fazer: Tenho aqui algumas pessoas que não são tão ruins quanto você. Vou mandar uma delas pro Purgatório, e você deverá ficar no lugar dela. Até vou lhe fazer um favor: você poderá escolher quem você deve substituir!
Bush acha até que a proposta não está tão ruim quanto ele esperava e diz que concorda!
O diabo abre uma primeira porta: Lá dentro está Richard Nixon numa piscina na qual ele nada sem parar, mas quando se aproxima da borda, a borda recua e Nixon continua a nadar, nadar e nadar!
- Não! diz George W. Bush, aí sinto que não vou me dar bem, sou um mau nadador e acho que não conseguiria fazer isso o dia todo!
O Diabo o leva a um segundo compartimento: Joseph Stalin está lá, com uma marreta enorme e fica quebrando pedaços de uma pedra gigante.
- Não, diz George W. Bush. Tenho um tremendo problema nas costas e seria uma agonia perpétua se eu tivesse que quebrar pedras o tempo todo!
O Diabo abre uma terceira porta. Lá dentro está Bill Clinton deitado na cama, pés e mãos amarrados na estrutura da cama. Debruçada sobre ele Mônica Levinski faz o que ela melhor sabe fazer na vida - boquete! Bush olha para aquela cena incrível durante um momento e diz:
- OK fico com esse castigo!
O Diabo sorri e diz:
- OK, Mônica, você pode ir para o Purgatório!

*Publicado por Dhuvi-Luvio 4:12 PM


JOSÉ SIMÃO

Buemba! Sheila Mello trai as louras!

Buemba! Buemba! Macaco Simão Urgente! O braço armado da gandaia nacional. Direto da República da Lingua Plesa! Alta Traição! Sheila Mello pinta o cabelo de ruivo! Mas continua loira de coração! E sabe o que é a Sheila Mello pintar o cabelo loiro de ruivo? Inteligência Artificial! E como é que trai as louras assim? Como é que abandona a piada? Loira pra mudar a cor do cabelo tem que fazer plebiscito! Ela tinha que continuar loira e fazer como a Carla Perez: que escreveu ACM com "C" cedilha! AÇM !!
E agora eu quero saber uma coisa importantíssima: ela pintou TUDO de ruivo? Senão ela vai ficar parecendo táxi argentino: uma cor em cima e outra embaixo. Rarará! Temos que esperar a próxima "Playboy"! E ser? que não fazia parte do contrato? Saiu do "É o Tchan" não pode ser mais loura! É mole? É mole, mas sobe!
E o Zé Alencar? O Zé Alencar parece o Toppo Giggio! E diz que ele se anuncia assim: "Meu nome é José Alencar, J de Juros e A de Altos". E por que ele nao fez um JURAmento de silêncio? E diz que o Zé Dirceu vai dar uma gelada no Zé Alencar: embaixador no pólo Norte. Ou entao assessor do Itamar. Alias, sabe qual a diferença entre o Itamar e o Zé Alencar? O topete! E sabe por que o Lula se encontrou com o Zé Alencar na Base Aérea de Brasilia? Pra mandar o mineiro pro espaço!
Buemba 2! Lula é vaiado na CUT! O Lula sendo vaiado na CUT só pode ser VAIA AMIGA! Deixa eu entender: o home tem 78% de aprovaçao e é vaiado? Vaia Amiga! E ai o vice da CUT, Wagner Gomes, disse que foi uma vaia residual. E o que diabos quer dizer vaia residual? Ja sei, vaia simples: ÚÚÚ????! Vaia residual: Ú?!
E a Hebe? A minha Lourebe Camargo! Recebeu da Fiam o titulo de professora honoris causa. Errado. Devia ser perua honoris causa! Rarara! E olha essa noticia bombástica: "Bordel americano faz promoção para veteranos de guerra". Tradução: mate um iraquiano e fature uma coelhinha! Só pode ser!
E a penultima derradeira final do Bestiario Tucanês. ? que um amigo entrou num restaurante em Lagoa da Prata, Minas, quando leu no cardápio: "galináceo do campo". Tucanaram a galinha caipira! Pior, um amigo estava andando quando viu uma casa com um são Jorge iluminado e a placa "orientador espiritual". Tucanaram o macumbêro. Socorro. Chama o Oswaldo Cruz pra erradicar o tucanês!
E atençao. Cartilha do Lula. Mais um verbete pro obvio lulante. "Extraído": companheiro que não é mais chifrado, companheiro que deixou de ser corno. Rarara! Nóis sofre, mas nóis goza. Hoje só amanhã. Que eu vou pingar o meu colírio alucinógeno!

*Publicado por Dhuvi-Luvio 3:50 PM


quinta-feira, junho 05, 2003

*Publicado por Dhuvi-Luvio 1:39 PM



*Publicado por Dhuvi-Luvio 1:25 PM


TREBADAS

Duas amigas casadas resolveram sair pra botar as fofocas em dia, sem os maridos.
Na volta, ja de madrugada as duas, "trêbadas", sentiram uma vontade irresistivel de fazer xixi.
Ficaram procurando um lugar escondido, até que passaram na porta de um cemitério.
Um pouco apavoradas, mas muito bêbadas e sem outra alternativa, pararam o carro e decidiram entrar la mesmo pra despejar as cervejas.
A primeira foi, se aliviou, e entao se lembrou de que nao tinha nada para se secar.
Entao pegou a calcinha, se secou e jogou-a fora.
A segunda, que também nao tinha nada para se secar, pensou:
- "Eu nao vou jogar fora esta calcinha carérrima e linda."
Entao, tateou no escuro, pegou a fita de uma coroa que estava em cima de um tumulo e se secou.
No dia seguinte, os maridos se encontraram.
Muito preocupado, um deles puxa assunto:
- "Nos temos que ficar de olho. Acho que essas duas estao aprontando: a minha mulher chegou em casa ontem mamada e sem calcinha."
E o outro:
Isso nao é nada! Você tem sorte! Muito pior foi a minha, que chegou em casa caindo de bêbada com uma faixa presa no bunda com a inscriçao:
- "Jamais te esqueceremos."

*Publicado por Dhuvi-Luvio 1:22 PM


*Publicado por Dhuvi-Luvio 1:15 PM



Lugares onde você pode levar seu melhor amigo em IPANEMA

Café?na Padaria na Farme de Amoedo, onde o cachorro recebe um pote de água.
Celeiro Restaurante na Dias Ferreira. Os cachorrinhos podem ficar acompanhados do seu dono, nas mesas localizadas na calçada.
Espaço Macla Loja de multimarcas, na Visconde de Piraj?. O local conta com brinquedinhos para distrair os cães.
Ettore Restaurante na Armando Lombardi. Os cães podem ficar nas mesas do lado de fora.
Fashion Clinic Neste cabelereiro da Visconde de Piraj?, os cães maiores podem aguardar seus donos no escrit?rio.
Mil Frutas Os cachorrinhos ganham água e biscoitinhos, na sorveteria da Garcia D 'ávila.
Via Sete Os cachorros podem acompanhar seus donos nas mesas da varanda, do restaurante da Visconde de Pirajá.

*Publicado por Dhuvi-Luvio 11:20 AM


*Publicado por Dhuvi-Luvio 11:20 AM


Tipos de Sogras

Sogra tranqüila
Nome Científico: sogronis nadelas
Uma espécie bem resolvida. Deixa o filhote livre para namorar sem fazer perguntas. E ainda serve chá com biscoitos quando a(o) conhece. Migra várias vezes por ano, deixando a casa liberada.

Sogra jararaca
Nome Científico: sogronis peçonhentus
Essa é um perigo. Sua língua venenosa acaba com as tentativas de namoro do filhote; o tipo mais comum.

Sogra querida
Nome Científico: sogronis simpaticcus
Espécie amorosa, que adota as namoradas(os), escuta seus problemas e torce pelo namoro. Rara e em extinção, quem captura não solta.

Sogra intrometida
Nome Científico: sogronis enxeridis
Se mete quando você menos espera e adora elogiar a ex-namorada(o) dele(a). Vence sua presa no cansaço. Costuma ir morar com o filhote quando ele(a) se casa.

Sogra dupla face
Nome Científico: sogronis falsidis
Faz a linha fina, mas na real quer puxar seu tapete. Nunca faz nada contra você perto da filhona(ão) para que ele(a) não acredite nas suas reclamações.
Dê presentes ou arrume um mané para ela voltar a reproduzir.

Sogra fashion
Nome Científico: sogronis modernetes
Ela não quer saber quem é você, mas o que você veste. Se você for básica(o), j? era. Para ela, nora ideal usa scarpin com meia, customiza o uniforme e faz artesanato com o copo de requeijão.

Sogra Trabalhadora
Nome Científico: sogronis workaholic
Ela tem três empregos, faz hidroginástica, adora levar trabalho pra casa e quando você aparece te põe para trabalhar. Para ela, nora ideal tem que fazer tudo o que ela faz e ainda estar sempre sexy e bem-humorada. Para o filhote dela isso é o mínimo.

Sogra Ideal
Nome Científico: sogronis defuntus
Está enterrada a pelo menos 7 palmos do chão.

*Publicado por Dhuvi-Luvio 11:12 AM


*Publicado por Dhuvi-Luvio 11:05 AM


quarta-feira, junho 04, 2003

A mulher - sua origem e seu fim
(sem assinatura)


"Existem várias lendas sobre a origem da Mulher. Uma diz que Deus pôs o primeiro homem a dormir, inaugurando assim a anestesia geral, tirou uma de suas costelas e com ela fez a primeira Mulher. E que a primeira provação de Eva foi cuidar de Adão e agüentar o seu mau humor enquanto ele convalescia da operação. Uma variante desta lenda diz que Deus, com seu prazo para a Criação estourado, fez o homem às pressas, pensando "Depois eu melhoro", e, mais tarde, com o tempo, fez um homem mais bem-acabado, que chamou Mulher, que é "melhor" em aramaico. Outra lenda diz que Deus fez a mulher primeiro e caprichou nas suas formas, e aparou aqui e tirou dali, e com o que sobrou fez o homem só pra não jogar barro fora. Zeus teria arrancado a Mulher de sua própria cabeça. Alguns povos nórdicos cultivam o mito da Grande Ursa Olga, origem de todas as mulheres do mundo, o que explica o fato das mulheres se enrolarem periodicamente em pêlos de animais, cedendo a um incontrolável impulso atávico, nem que seja só para experimentar na loja e depois quase desmaiar com o preço. Em certas tribos nômades do Meio Oriente, ainda se acredita que a mulher foi, originariamente, um camelo que, na ânsia de servir seu mestre de todas as maneiras, foi se transformando até adquirir sua forma atual. No Extremo Oriente existe a lenda de que as mulheres caem do céu, já de 'kimono'. E em certas partes do Ocidente persiste a crença de que mulher se compra através dos classificados, podendo-se escolher idade, cor da pele e tipo de massagem.
Todas estas lendas, claro, têm pouco a ver com a verdade científica.

Hoje se sabe que o Homem é o produto de um processo evolutivo que começou com a primeira ameba a sair do mar, e é o descendente direto de uma linha específica de primatas, tendo passado por várias fases até atingir o seu estágio atual - e aí encontrar a Mulher, que ninguém ainda sabe de onde veio. É certamente ridículo pensar que as mulheres também descendem de macacos. A minha mãe, não! Uma das teses mais aceitáveis sobre o papel da mulher na evolução do homem é a de que o primeiro encontro entre os dois se deu no período paleolítico, quando um homo-sapiens mas não muito, chamado, possivelmente, Ugh, saiu para caçar e avistou, sentado numa pedra penteando os cabelos, um ser que lhe provocou o seguinte pensamento, em linguagem de hoje: "Isso é que é mulher e não aquilo que tenho na caverna". Ugh aproximou-se da mulher e, naquele seu jeitão, deu a entender que queria procriar com ela. "Agh maakgrom grom", ou coisa parecida. A mulher olhou-o de cima a baixo e desatou a rir. É preciso lembrar que Ugh, embora fosse até bem apessoado pelos padrões da época, era pouco mais do que um animal aos olhos da mulher. Tinha a testa estreita e as mandíbulas pronunciadas e usava gordura de mamute nos cabelos. A mulher disse alguma coisa como "Você não se enxerga, não?" e afastou-se, enojada, deixando Ugh desolado. Antes dela desaparecer por completo, Ugh ainda gritou "Espera uns 10 mil anos prá você ver!", e de volta à caverna exortou seus companheiros a aprimorarem o processo evolutivo.

Desde então, o objetivo da evolução do homem foi o de proporcionar um par à altura para a mulher, para que, vendo o casal, ninguém dissesse que ela só saía com ele pelo dinheiro, ou para espantar assaltantes. Se não fosse por aquele encontro fortuito em alguma planície do mundo primitivo, o homem ainda seria o mesmo troglodita desleixado e sem ambição, interessado apenas em caçar e catar seus piolhos, e um fracasso social.
Mas de onde veio a primeira mulher, já que podemos descartar tanto a evolução quanto as fantasias religiosas e mitológicas sobre a criação? Inclino-me para a tese da origem extraterrena. A mulher viria (isto é pura especulação, claro) de outro planeta. Venho observando-as durante anos - inclusive casei com uma, para poder estudá-las mais de perto - e julgo ter colecionado provas irrefutáveis de que elas não são deste mundo. Observei que elas não têm os mesmos instintos que nós, e volta e meia são surpreendidas em devaneio, como que captando ordens de outra galáxia, embora disfarcem e digam que só estavam pensando no jantar. Têm uma lógica completamente diferente da nossa. Ultimamente têm tentado dissimular sua peculiaridade, assumindo atitudes masculinas e fazendo coisas - como dirigir grandes empresas e xingar a mãe do motorista ao lado - impensáveis há alguns anos, o que só aumenta a suspeita de que se trata de uma estratégia para camuflar nossas diferenças, que estavam começando a dar na vista. Quando comentamos o fato, nos acusam de ser machistas, presos a preconceitos e incapazes de reconhecer seus direitos, ou então roçam a nossa nuca com o nariz, dizendo coisas como "ioink, ioink" que nos deixam arrepiados e sem argumentos. Claramente combinaram isto. Estão sempre combinando maneiras novas de impedir que se descubra que são alienígenas e têm desígnios próprios para a nossa terra. É o que fazem quando vão, todas juntas, ao banheiro, sabendo que não podemos ir atrás para ouvir. Muitas vezes, mesmo na nossa presença, falam uma linguagem incompreensível que só elas entendem, obviamente um código para transmitir instruções do Planeta Mãe.
E têm seus golpes baixos. Seus truques covardes. Seus olhos 'laser', claros ou profundamente escuros, suas bocas. Meu Deus, algumas até sardas no nariz! Seus seios, aqueles mísseis inteligentes. Aquela curva suave da coxa quando está chegando no quadril, e a Convenção de Genebra não vê isso! E as armas químicas - perfumes, loções, cremes. São de uma civilização superior, o que podem nossos tacapes contra os seus exércitos de encantos?
Breve dominarão o mundo. Breve saberemos o que elas querem.


Se depois de sair este artigo eu for encontrado morto com sinais de ter sido carinhosamente asfixiado, com um sorriso, minha tese está certa. Se nada me acontecer, é sinal de que a tese está certa mas elas não temem mais o desmascaramento. O que elas querem, afinal? Se a mulher realmente veio ao mundo para inspirar o homem e ser digno dela, pode ter chegado à conclusão de que falhou, que este velho guerreiro nunca tomará jeito. Continuaremos a ser mulheres com defeito, uma experiência menos num planeta inferior. O que sugere a possibilidade de que, assim como veio, a mulher está pronta a partir, desiludida conosco. E se for isso que elas conspiram nos banheiros?
A retirada? Seríamos abandonados à nossa própria estupidez. Elas levariam as suas filhas e nos deixariam com caras de Ugh.
Posso ver o fim da nossa espécie. Nossos melhores cientistas abandonando tudo e se dedicando a intermináveis testes com a costela, depois de desistir da mulher sintética. Tentando recriar a mágica da criação. Uma mulher qualquer mulher, de qualquer jeito. Prometemos que desta vez não as decepcionaremos. Uma mulher! Como é que se faz uma mulher?"

*Publicado por Dhuvi-Luvio 6:16 PM


*Publicado por Dhuvi-Luvio 6:15 PM


Complô das mulheres
Em setembro de 1999 as mulheres, em reunião mundial, resolveram fazer um complô contra os homens e decretaram que, a partir daquela data não iriam fazer mais nada em casa. Três meses depois, em outra reunião, elas decidiram contar a novidade (o que tinha acontecido daquela data em diante):
Primeiro a francesa: - Eu, quando cheguei em casa, fui logo dizendo ao meu marido: - A partir de hoje não faço mais nada aqui em casa. Não cozinho um grão de arroz sequer. No 1º dia não vi nada. No 2º dia não vi nada. No 3º dia ja o vi cozinhando seu arroz, fritando seu ovo ...
Vendo a francesa falar a outras se empolgaram e a americana começou:
- Quando cheguei em casa fui logo dizendo: - Eu, a partir de hoje, não lavo uma peça de roupa sequer. Nenhuma cueca mais. No 1º dia não vi nada. No 2º dia também não vi nada. No 3º dia já o vi indo para o tanque, lavando suas cuecas...
Foi a vez da brasileira: - Chegando em casa já fui logo falando: A partir de hoje não faço mais porra nenhuma, mas nada mesmo. No 1º dia não vi nada. No 2º dia não vi nada. No 3º dia o olho já foi desinchando, já fui vendo o vulto dos meninos passando..........

*Publicado por Dhuvi-Luvio 6:04 PM


*Publicado por Dhuvi-Luvio 5:50 PM



Bebês e chimpanzés
(Olavo de Carvalho)

Com poucos dias de intervalo, publicações científicas noticiaram que os chimpanzés são geneticamente humanos e que os bebês em gestação reconhecem as vozes de suas mães. Não é preciso ser muito esperto para antever as reações dos intelelectuais: a primeira notícia será aceita com entusiasmo, a segunda suscitará fortes reações de protesto ou pelo menos uma epidemia de ponderações atenuantes. Lógico: para os representantes da classe esclarecida, é muito mais fácil admitir a humanidade dos chimpanzés que a de seus próprios filhos ainda não nascidos.

O sr. Peter Singer, por exemplo, acha que comer galinhas é um crime tão grande quanto o Holocausto, e o prof. Renato Janine Ribeiro julga uma desumanidade adestrar os cães para que não façam pipi na sala.

Os inimigos da pena de morte para crimes hediondos celebram a execução de bebês culpados do crime de não ter nascido em tempo de escapar do aborto.

A condição de pessoa humana é, segundo os cientistas sociais, uma convenção cultural, de modo que não há contradição em atribuí-la aos chimpanzés e ao mesmo tempo negá-la ao bebê humano em gestação, reduzindo-o à condição de excrecência do corpo da mãe que, assim, tem o direito de cortá-lo como se fosse uma unha ou um joanete -- prática que, aplicada aos chimpanzés, seria considerada extremamente desumana.

Mas a diferença específica do humano ante o não-humano é genética ou cultural? Se é genética, está presente desde a concepção, sem esperar pelo nascimento. Se é cultural, não pode beneficiar os chimpanzés. Por isso veremos doravante imperar nas discussões letradas uma dupla concepção do humano: genética, para sustentar os direitos humanos dos chimpanzés; cultural, para legitimar o assassinato dos bebês no ventre de suas mães.

*Publicado por Dhuvi-Luvio 5:36 PM



*Publicado por Dhuvi-Luvio 5:30 PM


terça-feira, junho 03, 2003

As 10 resoluções mais polêmicas do novo "Estatuto do Torcedor":

10. Caso a partida termine em 0 a 0, o torcedor poderá pedir o dinheiro do ingresso de volta.
9. Todos no estádio terão que ser mostrados por pelo menos 5 segundos nas transmissões televisivas para poderem exibir tranquilamente os seus cartazes com recadinhos para a mãe, esposa, namorada e/ou atriz gostosa do momento.
8. Além de se sentar em uma confortável cadeira numerada, o torcedor pode levá-la para casa após o jogo.
7. O placar nos estádios deverá mostrar os resultados nas seguintes sistemas de numeração: Indo-Arábico, Romano, Binário e Hexadecimal.
6. As comemorações de gol deverão ser elaboradas e ensaiadas com uma extensa equipe de roteiristas, coreógrafos e dançarinos; adicionando assim um elemento adicional para o "pleno entretenimento" do torcedor.
5. Direito a indenização por danos morais caso o seu time vire motivo de chacota diante dos companheiros de trabalho.
4. "Replay ao vivo": Caso haja um gol ou lance polêmico, as equipes deverão encenar imediatamente uma reconstituição da jogada. De preferência em câmera lenta, para que todos os presentes no estádio possam acompanhar cada detalhe do lance.
3. Fica proibida a venda de Kaiser, Cintra, Schincariol , Bavária e outras cervejas intragáveis no interior e nas imediações dos estádios.
2. Além do número e do nome, as camisetas dos jogadores terão que apresentar informações adicionais em braile.
1. Desconto de 25% no puteiro mais próximo do estádio para poder "ir à forra" com a mãe do juiz.

*Publicado por Dhuvi-Luvio 5:53 PM


*Publicado por Dhuvi-Luvio 5:50 PM





O TEATRO DOS VAMPIROS
(Renato Russo)

sempre precisei de um pouco de atenção
acho que não sei quem sou
só sei do que não gosto
e destes dias tão estranhos
fica a poeira se escondendo pelos cantos

este é o nosso mundo:
o que é demais nunca é o bastante
e a primeira vez é sempre a última chance
ninguém vê onde chegamos

os assassinos estão livres, nós não estamos

vamos sair - mas não temos mais dinheiro
os meus amigos todos estão procurando emprego
voltamos a viver como há dez anos atrás
e a cada hora que passa
envelhecemos dez semanas

vamos lá, tudo bem - eu só quero me divertir
esquecer, dessa noite ter um lugar legal prá ir
já entregamos o alvo e a artilharia
comparamos nossas vidas
e esperamos que um dia
nossas vidas possam se encontrar

quando me vi tendo de viver comigo apenas
e com o mundo
você me veio como um sonho bom
eu me assustei
não sou perfeito
eu não esqueço

a riqueza que nós temos
ninguém consegue perceber
e de pensar nisso tudo, eu, homem feito
tive medo e não consegui dormir

comparamos nossas vidas
e mesmo assim,
não tenho pena de ninguém.

*Publicado por Dhuvi-Luvio 5:28 PM






O peido:

O que faz os peidos federem?
O odor dos peidos vem de pequenas quantidades de sulfeto de hidrogênio (gás sulfídrico) e "skatole" na mistura. Esses compostos contêm enxofre. Quanto mais rica em enxofre for sua dieta, mais desses gases vão ser produzidos pelas bactérias no seu intestino e mais seus peidos vão feder. Pratos como couve-flor, ovos e carne são notórios por produzirem peidos fedidos.

Do que é feito o peido?
A composição do gás é altamente variável. A maior parte do ar que engolimos, especialmente o componente Oxigênio, é absorvido pelo corpo antes que o gás alcance os intestinos. Quando o ar atinge os intestinos, a maior parte do que resta é nitrogênio. Reações químicas entre o ácido estomacal e os fluidos intestinais também podem produzir dióxido de carbono, que também é um componente do ar e um produto da ação bacteriana. Bactérias também produzem Hidrogênio e metano.

Por que peidos fazem barulho?
Os sons são produzidos pela vibração da abertura anal. O som depende da velocidade da expulsão do gás e de quanto estreita for a abertura dos músculos do esfíncter anal.

Quanto gás uma pessoa normal produz por dia?
Em média, uma pessoa produz mais ou menos um litro de peido por dia, distribuído em cerca de 14 peidos diários. Pode ser difícil para você determinar o volume dos seus peidos diários, você pode estimar quantas vezes você peida. Você pode pensar nisso como um pequeno experimento científico: anote tudo que você come e conte o número de vezes que você peida. Você pode inclusive anotar sobre o fedor deles. Veja se você pode descobrir uma relação entre o que você come, quanto você peida e quanto seus peidos fedem.

Quanto tempo demora até que o peido chegue até o nariz de alguém?
Isso depende das condições atmosféricas como umidade e velocidade do vento, e da distância entre as pessoas também. Os peidos também se dispersam, e sua potência diminui com a diluição. Geralmente, se o peido não for percebido dentro de alguns segundos, ele vai ser diluído demais para ser percebido e perdido na atmosfera para sempre. Condições excepcionais existem quando o peido é liberado numa área pequena e fechada como um elevador, um quarto pequeno ou um carro, porque essas condições limitam a quantidade de diluente possível (ar), e o peido vai permanecer numa concentração perceptível por mais tempo, até que se condense nas paredes.

É verdade que algumas pessoas nunca peidam?
Não, se elas estiverem vivas. Pessoas podem peidar até mesmo um pouco depois de mortas.

Homens peidam mais que mulheres?
Não, mulheres peidam tanto quanto homens. O caso é que os homens têm mais orgulho disso. Existe uma grande variação em quanto gás uma pessoa pode produzir por dia, mas essa variação não está relacionada ao sexo. Talvez homens peidem com mais freqüência do que mulheres. Se isso for verdade, então as mulheres tendem a segurá-los e então liberar mais gás por peido.

Em que parte do dia um gentleman está mais sujeito a peidar?
Durante a manhã, quando estiver no banheiro. Isso é conhecido como "trovão matinal", e se o gentleman conseguir uma boa ressonância, ele pode ser ouvido na casa inteira.

Por que feijão faz as pessoas peidarem tanto?
Feijão contém açúcares que seres humanos não conseguem digerir. Quando esses açúcares chegam em nossos intestinos, as bactérias fazem a festa e produzem um monte de gás! Outros produtores notórios de peidos são: milho,pimentinha, repolho e leite.

Um peido é mesmo só um arroto que saiu pelo lado errado?
Não, um arroto vem do estômago e tem composição química diferente de um peido. Peidos têm menos ar atmosférico e mais gases produzidos por bactérias.

Por quanto tempo seria possível não peidar?
Um peido pode escapar toda vez que uma pessoa relaxa. Isso quer dizer que muitas pessoas que assiduamente seguram seus peidos durante o dia devem peidar um monte quando dormem. Então a resposta seria: você pode segurar seus peidos pelo mesmo tempo que conseguir ficar acordado!

Para onde vão os peidos quando você segura eles?
Quantas vezes você segurou um peido, pretendendo soltá-lo na primeira oportunidade apropriada, e depois descobriu que ele tinha desaparecido quando você estava pronto? Ele saiu lentamente sem pessoa saber? Foi absorvido pela corrente sangüínea? O que aconteceu com ele? Os médicos concordam que o peido não é nem liberado nem absorvido. Ele simplesmente volta para os intestinos e sai depois. Isso reafirma o fato de que os peidos não são realmente perdidos, e sim adiados.

É possível mesmo "acender" peidos?
A resposta para isso é SIM! Entretanto, você deve estar avisado de que colocar um peido em ignição é perigoso. Não só a chama pode subir de volta para seu cólon, como a sua roupa e o que estiver ao redor pode pegar fogo. Cerca de um quarto das pessoas que já fizeram isso se queimaram. Também existem casos em que os gases intestinais com um teor de oxigênio mais alto que o normal explodiram durante cirurgia quando algum tipo de cauterizador elétrico foi utilizado pelo cirurgião.

Por que é possível queimar peidos?
Porque normalmente esses gases incluem metano e hidrogênio, ambos são gases inflamáveis. Peidos tendem a se traduzir em chamas azuis ou amarelas.

Por que meninas não assumem seus peidos?
Acho que você deveria começar dizendo que somente algumas meninas não assumem seus peidos. A razão é que elas devem ter sido ensinadas a pensar que peidar não são coisas que uma dama faça. É um grande erro pensar que peidos não são coisas de dama. Todas as pessoas peidam, incluindo damas. Se qualquer coisa que damas façam são coisas de damas, então isso inclui a emissão de gases anais.

Se eu ficar o dia inteiro cheirando o peido de outras pessoas meus próprios peidos vão ser mais fedidos?
Não, peidos inalados vão para seus pulmões, não para seu sistema digestivo. Talvez alguns componentes do peido passem para sua corrente sangüínea mas não todos. Se você quer se beneficiar de peidos de outras pessoas, você vai ter que engoli-los de alguma forma.

Cheirar peido deixa chapado?
Não se conhecem agentes intoxicantes na flatulência. Entretanto, a maior parte dos peidos contém muito pouco oxigênio e você pode ficar tonto se inalar uma quantidade superconcerntrada de essência de peido, simplesmente por falta de oxigênio. E se você está respirando rápido perto do peido para cheirar o mais possível, pode ficar tonto por causa de hiperventilação, não do peido.

Um peido pode te matar?
A opinião médica é que não, um peido não pode ser fatal. Mas se você tentar bastante e com afinco, pode se matar com qualquer coisa. A história de um gordo restrito à própria cama que morreu por inalação dos seus peidos, e cujos peidos quase mataram os paramédicos, é lenda urbana.

É verdade que mulheres podem peidar pela vagina e de onde vem o gás?
Sim. O gás que emerge é simplesmente ar preso; não há produção de gases na genitália feminina. O ar pode entrar porque o sistema está aberto ao meio externo. Americanos chamam isso de "queef".

Um homem pode peidar por sua abertura genital?
Normalmente os homens negam isso enfaticamente.

É possível enlatar um peido para uso posterior?
Teoricamente sim, mas há uma série de problemas logísticos. Você pode tentar usar um saco plástico ao invés de uma lata. Você pode usar o seguinte como uma experiência de feira de ciências: Peide em vários sacos plásticos e feche, vede com cuidado. Então encha outros sacos com ar normal. Espere 24 horas. Então eleja voluntários para cheirar o conteúdo dos sacos para ver se eles conseguem dizer se o que tem ali dentro é peido ou é ar. Isso vai te dar a informação se é possível estocar peidos. Se você fizer na banheira, e se inclinar de forma que seus peidos emerjam como bolhas na sua frente e não por trás, você pode pegar as bolhas numa garrafa, e ter peidos dentro de garrafas sem estar contaminados com ar atmosférico.

É estranho gostar de peidar?
Não é incomum. Se a pessoa peida numa quantidade que lhe traz problemas e infelicidade, deveria consultar seu médico.

Que cor é o peido?
Via de regra, incolores, porque os gases que o constituem são incolores. Imagine que interessante seria peidar laranja, tipo dióxido de nitrogênio. Ninguém mais perguntaria de quem é o peido.

Outras pessoas cheiram mais o peido do que quem peidou?
O peido deveria cheirar tanto para quem o fez quanto para as outras pessoas. Mas quem fez está protegido pelo fato de que propeliu o ar para longe do seu corpo numa direção oposta à do seu nariz. Peidar contra o vento anula essa vantagem.

*Publicado por Dhuvi-Luvio 1:48 PM





*Publicado por Dhuvi-Luvio 1:31 PM






O Rio precisa de um mecanismo de defesa

Isto aqui é um rascunho. Não faz mal, porque tudo no Rio, hoje, é um rascunho. A cidade não tem um texto limpo, não tem um programa limpo que se possa entender entre os meninos que pedem esmola fazendo malabarismos nos sinais de trânsito, enquanto o Cesar Maia planeja o factóide do museu Guggenheim de 300 milhões de dólares. O absurdo tomou conta da cidade e acelera-se num ritmo de catástrofe, de ciclone, de lava descendo os morros sob os olhos em pânico de uma população sem defesa, sem organização civil, sem nada, além das terríveis noticias de jornal e gritos inócuos de “que horror”, “santo Deus” ou “Virgem Maria”.

Por isso, esse artigo é quixotesco, utópico, babaca, mas aqui vai: precisamos urgentemente criar um fórum, um Congresso, um seminário permanente, um organismo de defesa da cidade do Rio de Janeiro. Algo assim.

Como disse, isso é um rascunho de alguma coisa que tem de ser feita. Pois, vamos botar a bola no chão: nem a prefeitura, nem a Rosinha, nem seu Garotinho, nem a polícia, nem a máquina pública municipal, estadual, federal, nem zorra nenhuma tem condições de resolver zorra nenhuma, nem há solução a curto prazo para nada nessa cidade, onde abrimos o jornal para saber qual foi o crime do dia, que delegado morreu, que bala perdida aleijou quem, se o “microondas” do morro está queimando muita gente.

O problema é que a idéia de “solução” é obsessiva, ridícula e superada. O problema é que o crime faz parte de um leque de atrasos, de erros, de uma velha sordidez política que só poderá ser atenuada pela recolocação do problema pela sociedade civil, por uma iniciativa inédita de participação dos habitantes civilizados. Vamos encarar o bode: ninguém sabe nada, ninguém sabe o que fazer, ninguém conhece a extensão da esculhambação, do frege carioca, pois os aparelhos do poder e de avaliação são parte do crime e do mesmo frege, são elefantes doentes e já contaminados pelos vírus mutantes dos crimes que eles provocaram e que tentam combater, muitas vezes se aliando a eles, volteantes num balé sangrento, num pas-de-deux imundo.

O que acontece é que os habitantes do Rio vivem de expectativas e esperanças, clamando por alguma resposta, por uma ajuda de algum messias, de algum milagre ou então de “forças tarefas” do governo “Federal” — e a palavra ganha foros de grandeza — “federal” — como se o Executivo de Lula, afogado em burocracia e falido, pagando 26,5% ao ano aos velhinhos da Filadélfia, tivesse condições de vir com suas legiões para resolver o problema.

E mais: o crime organizado virou causa, quando é conseqüência de uma soma de crimes políticos não coibidos para sempre; “tráfico”, “violência” e outras palavrinhas servem de tapume para encobrir um fato maior, mais escandaloso, que é a evidência de que a máquina pública carioca quebrou.

Pior: esta falência agrada a milhares de psicopatas corruptos, pois esse defeito transforma a cidade num rico viveiro para roubos contumazes e indetectáveis. A falência do Rio faz a felicidade dos donos do poder. A cocaína serviu ao menos para mostrar que não temos mais governabilidade. Esta é a verdade inapelável e brutal: o Rio está ingovernável. Tem cabimento a segurança pública entregue aos cuidados de um Garotinho? Não há nenhuma organização, projeto na ala da “civilização”, diante dessa barbárie na lama dos morros e na lama da incompetência funcional.

Por isso, aqui vai meu rascunho.

Desculpem o tom de “cassandra”, desculpem o clamor de epopéia, mas acho que temos de criar um fórum permanente, uma organização não-partidária, uma super ONG ativa, composta por homens-de-bem — sim, a palavra é esta: “homens-de-bem” — dessa cidade para entendê-la, para protegê-la de novo. E não se trata de mais um movimento de “cidadania” (palavra idealista com o “sociedade civil”, mas, não temos outras...) para chorar, lamentar, fazer camiseta e fortalecer a esperança. Não. Teria de ser uma organização para nos defender atacando nossos precários representantes, para denunciar os crimes públicos, para deflagrar ações populares, para acusar, desmascarar alem do que é permitido à imprensa ou ao indivíduo sozinho, para vocalizar nossos desejos, pois estamos à mercê de medíocres nos governando de dentro do labirinto burocrático.

Esse fórum, congresso, câmara permanente, sei lá o quê, seria um centro de processamento de informações inter-disciplinares, para se ter um mapa concreto das mazelas do Rio, de modo a integrar ações conjuntas. Temos de avizinhar os vários campos: urbanismo, contatos profundos com o pensamento do Estado Maior das Forças Armadas, com os representantes do alto aparelho policial ainda intacto, para se dirigir diretamente ao Governo Federal, cooperando, exigindo providências. Como seria o desenho jurídico e institucional? Não sei também. Não quero ser frívolo em relação às organizações de cidadania já existentes... Não participo delas, e posso estar errado, mas creio que elas tinham de intensificar sua ação, talvez se unificar numa grande ONG, de modo a serem mais atacantes e menos defensivas, olhos, vigilantes implacavelmente críticos da política concreta do Rio.

Quem formaria uma organização dessas? Líderes de comunidades carentes, urbanistas, intelectuais dentro e fora da academia, artistas, representantes da indústria, comércio, da polícia, do Exército, sociólogos, lideranças da mídia, diretores de jornais... por aí... Como disse, isso é um rascunho. Pode ser que pessoas mais informadas, mas ligadas às organizações existentes saibam melhor que esse pobre jornalista...

Qualquer coisa serve. Desde que seja feita qualquer coisa. Porque a situação do Rio é grave demais para ficar entregue a burocratas fisiológicos e anacrônicos. Dirão que isso é voluntarismo? Talvez. Só sei que o Rio tem de se politizar. Não adianta mais chamar a polícia, nem os bombeiros, nem a ambulância, nem a carrocinha de cachorro, nem nada. Temos de chamar a nós mesmos.

*Publicado por Dhuvi-Luvio 1:18 PM


domingo, junho 01, 2003




*Publicado por Dhuvi-Luvio 2:28 PM


*Publicado por Dhuvi-Luvio 2:27 PM




O diálogo entre Neo e o Arquiteto
(Não tem graça alguma se você não assistiu ao filme)

O Arquiteto - Olá, Neo.

Neo - Quem é você?

O Arquiteto - Eu sou o Arquiteto. Eu criei a Matrix. Eu estava à sua espera. Você tem muitas perguntas, e embora o processo tenha alterado sua consciência, você continua irrevogavelmente humano. Assim sendo, algumas de minhas respostas você entenderá, e outras não. Em consonância, ainda que sua primeira pergunta possa ser a mais pertinente, você pode ou não se dar conta de que ela é também irrelevante.

Neo - Por que eu estou aqui?

O Arquiteto - Sua vida é a soma do saldo de uma equação desequilibrada inerente à programação da Matrix. Você é o desenlace de uma anomalia, que, a despeito de meus mais sinceros esforços, fui incapaz de eliminar daquela, caso conseguisse, seria uma harmonia de precisão matemática. Ainda que continue a ser uma tarefa árdua diligentemente evita-la, ela não é inesperada, e portanto não está além de qualquer controle. Fato este que o trouxe, inexoravelmente, aqui.

Neo - Você não respondeu à minha pergunta.

O Arquiteto - Exatamente. Interessante. Foi mais rápido do que os outros.

*As respostas dos outros Predestinados aparecem nos monitores: Outros? Que outros? Quantos? Me responda!'*

O Arquiteto - A Matrix é mais velha do que você imagina. Eu prefiro contar a partir do surgimento de uma anomalia integral para a seguinte. Neste caso, esta é a sexta versão.

*De novo, as respostas dos outros Predestinados aparecem nos monitores: Cinco versões? Três? Mentiram pra mim também! Isso é conversa fiada.*

Neo - Só há duas explicações possíveis: Ou ninguém me disse ou ninguém sabe.

O Arquiteto - Precisamente. Como, sem dúvida, você está percebendo, a anomalia é sistêmica, criando flutuações até mesmo nas equações mais simples.

* Mais uma vez, as respostas dos outros Predestinados aparecem nos monitores: Você não pode me controlar! Vai se f*&%#! Eu vou te matar! Você não pode me obrigar a fazer nada!*

Neo - Escolha. O problema é a escolha.

*A cena corta para Trinity lutando com um agente e volta para a sala do Arquiteto.*

O Arquiteto - A primeira Matrix que eu projetei era evidentemente perfeita, uma obra de arte, impecável, sublime. Um triunfo equiparado apenas ao seu fracasso monumental. A inevitabilidade de sua ruína é tão evidente para mim agora quanto é uma conseqüência da imperfeição inerente a todo ser humano. Assim sendo, eu a redesenhei com base na história de vocês para refletir com maior precisão as variações grotescas de sua natureza. Todavia, mais uma vez, eu fui frustrado pelo fracasso. Desde então, compreendi que a resposta me escapava, porque ela necessitava de uma mente inferior, ou talvez uma mente menos afeita aos parâmetros da perfeição. Portanto, a resposta foi encontrada, por acaso, por outrem, um programa intuitivo, inicialmente criado para investigar certos aspectos da psique humana. Se eu sou o pai da Matrix, ela sem dúvida seria a mãe.

Neo - A Oráculo!

O Arquiteto - Oh, por favor... Como eu dizia, ela se deparou por acaso com uma solução por meio da qual quase 99,9% de todas as cobaias aceitavam o programa, contanto que lhes fosse dada uma escolha, mesmo que só estivessem cientes dela em um nível quase inconsciente. Embora esta resposta funcionasse, ela era óbvia e fundamentalmente defeituosa, criando, assim, a anomalia sistêmica contraditória, a qual, sem vigilância, poderia ameaçar o próprio sistema. Por conseguinte, aqueles que recusavam o programa, ainda que uma minoria, se não vigiados, constituiriam uma probabilidade crescente de catástrofe.

Neo - Isso tem a ver com Zion.

O Arquiteto - Você está aqui, porque Zion está prestes a ser destruída. Cada um de seus habitantes será exterminado, sua inteira existência erradicada.

Neo - Papo furado!

* De novo, as respostas dos outros Neos aparecem nos monitores: Papo furado!*

O Arquiteto - A negação é a mais previsível de todas as reações humanas. Todavia, não tenha dúvida, esta será a sexta vez que a destruiremos, e estamos nos tornando extremamente eficientes nesta tarefa.

*A cena corta para Trinity lutando com um agente e volta para a sala do Arquiteto.*

O Arquiteto - A função do Predestinado agora é retornar à fonte, permitindo uma temporária disseminação do código que você carrega, reinserindo o programa principal. Em seguida, você receberá a incumbência de escolher 23 indivíduos - 16 mulheres e 7 homens - da Matrix a fim de reconstruir Zion. Em caso de discordância deste processo, o resultado será um crash de sistema cataclísmico, matando todos aqueles conectados com a Matrix, o que, somado ao extermínio de Zion, em última análise, acarretará a extinção da raça humana.

Neo - Você não deixará isso acontecer. Não pode. Vocês precisam dos seres humanos para sobreviver.

O Arquiteto - Há níveis de sobrevivência que estamos preparados para aceitar. Todavia, a questão relevante é se você está ou não apto para aceitar a responsabilidade pela morte de todos os seres humanos deste mundo.

*O Arquiteto pressiona um botão na caneta que segura e aparecem, nos monitores, imagens de pessoas de toda a Matrix.*

O Arquiteto - É interessante ler suas reações. Seus cinco predecessores eram, por conta de seu projeto, baseados em uma mesma premissa, uma afirmação contingente responsável por criar um profundo vínculo com o resto de sua espécie, facilitando a função do Predestinado. Enquanto os outros experimentaram isto de maneira genérica, sua experiência é bem mais especial. Vis-à-vis, amor.

*Imagens da Trinity lutando com o agente que apareceu no sonho de Neo tomam os monitores*

Neo - Trinity.

O Arquiteto - A propósito, ela entrou na Matrix para salvar sua vida ao custo da própria.

Neo - Não!

O Arquiteto - O que nos traz finalmente ao momento da verdade, em que a falha fundamental é definitivamente expressa e a anomalia revela ser tanto o começo quanto o fim. Há duas portas. A à sua direita leva para a fonte e a salvação de Zion. A à sua esquerda leva para a Matrix, para ela [Trinity] e o fim de sua espécie. Como você com muita propriedade manifestou, o problema é a escolha. No entanto, nós já sabemos o que você fará, não é mesmo? Já posso ver a reação em cadeia, os precursores químicos que sinalizam o raiar da emoção, projetados especificamente para sobrepujar a lógica e a razão. Uma emoção que já o cega para a verdade simples e óbvia: ela vai morrer e não há nada que você possa fazer para impedir.

*Neo caminha em direção à porta da esquerda.*

O Arquiteto - Humff. Esperança. Eis a quintessência do delírio humano, ao mesmo tempo fonte de sua maior força e de sua maior fraqueza.

Neo - No seu lugar, eu torceria para que nós não nos encontremos de novo.

O Arquiteto - Nós não nos encontraremos.

Fim do diálogo.

*Publicado por Dhuvi-Luvio 2:03 PM



Escala de Potencial Destrutivo Etílico, para que vocês não saiam por aí fazendo besteira.

Nível 1: Cerveja. Tem pouco álcool e é fácil de controlar. Claro, sempre tem alguém que é desacostumado a um copo e fica troncho com dois goles de cerva. Juro por São Jorge, se eu fosse assim já estaria milionário. Mas para a média do populacho, é preciso beber bastante para tornar-se um quadrúpede (tem gente que não precisa beber nada), portanto a cerveja é relativamente inofensiva, desde que o sujeito não liquide com uma caixa inteira de Sapporo sozinho.

Nível 2: Vinho. Como as mulheres, existem vinhos que enganam. Chegam de mansinho, são agradáveis, cheiram bem, tem gosto bom mas, meu amigo, no outro dia pode haver surpresas desagradáveis. Creiam, crianças, poucas coisas são tão terríveis na vida do que uma ressaca de vinho. Padre Onofre, meu colega de Santo Ofício, resumiu muito bem a sensação: dá um desgosto de estar vivo. Porém o vinho também é fácil de controlar, e não deixa tanto bafo quanto a cerveja.

Nível 3: Saquê. Bebida traiçoeira, feito um Ronin(*). Posso dizer, sem Jaça na Consciência, que já pude aplicar meu Cajado em muita gente graças a este vinho de arroz. Se for de boa qualidade, é tão suave que não se percebe a quantidade de álcool que contém. Quando você vê, BANZAI! Existem alguns energúmenos que fazem caipirinha com saquê, o que acho uma estupidez sem tamanho - a bebida é saborosa por si só, não precisa de aditivos.

Nível 4: Cerveja acompanhada de Destilados. É uma espécie de cursinho pré-vestibular antes de partir para coisas mais fortes. O destilado pode ser pinga, vodka, steinhager ou gin. Tem gente que mistura a cerveja e o destilado no mesmo copo, o que julgo ser uma heresia - inclusive encomendarei a Alma destes infiéis à Boca do Lúcifer Maior. O correto, segundo o Concílio de Trento, é dar uma bicada no destilado e depois tomar um gole da breja. Dá para ficar numa boa com apenas duas cervejas e duas doses de vodka, o que, convenhamos, é uma pechincha.

Nível 5: Uísque. Para os que estão adentrando no Maravilhoso Mundo dos Destilados, é aconselhável sempre diluir o uísque em água gelada e botar bastante gelo. Principalmente se o uísque for uma querosene daquelas brabas, tipo Oldêiti, Drury's, Teacher's e outros sucedâneos de Pinho Sol. Já se for uísque dos bons, beba puro pois é pecado estragar com água ou gelo obras de arte da Fina Arte da Destilaria. O uísque exige mais controle por parte do usuário, pois já vi muita gente fazendo revelações estarrecedoras depois de uns tragos, mas não posso dar mais detalhes pois isso é Segredo de Confissão.

Nivel 6: Gin. Diziam os Peçonhentos Tablóides Londrinos que o Sorriso Perpétuo da Rainha-Mãe era decorrente do fato de que ela enxugava um litro de gin por dia. E vejam bem, a Matrona viveu até os Cento e Um Anos. Claro que se você quiser viver muito, não deve tentar fazer isso, a não ser que você seja a Rainha da Inglaterra. O gin é forte pacas e normalmente não é bebido puro, mas combinado com outras coisas, como no caso do Gin-Tônica e o Gin-Fizz. Curiosamente, essa bebida surgiu como remédio tonificante. Depois que o farmacêutico que a inventou percebeu que aquele monte de marmanjos que ia comprar Gin fazia uso recreativo do seu "tônico", passou a fabricá-lo em quantidade e a vendê-lo pros pubs. Isso é que é tino comercial!

Nível 7: Smurf. Esse é um drinque de minha autoria e conta com minha Bênção. Em primeiro lugar, passe na farmácia e pegue três vidrinhos de água de melissa. A título de curiosidade, veja a composição da água de melissa (vidro de 50 ml):
- Essências (erva cidreira, cravo da índia, jaçapé, limão, noz-moscada, coentro, canela): muito pouco
- Álcool: 37, 5 ml
- Água: o suficiente para 50 ml
Se você consegue fazer contas de dividir, já percebeu que 75% da inocente água de melissa é puro álcool potável - aí é que está a diversão. Passe no supermercado e compre uma garrafa de Curaçao Blue e um maço de hortelã. Chegando em casa, amasse umas folhas de hortelã com açúcar. Pegue uma coqueteleira, coloque a pasta de hortelã amassada, uma dose de Curaçao, a água de melissa e uma dose de água gelada. Chacoalhe bem. Pegue um copo alto cheio de gelo e, usando um coador, despeje nele o drinque. Espere o gelo derreter um pouco e então mexa com uma colher comprida. O resultado final é um creme azul gelado com álcool suficiente para descontrair até o mais carrancudo Pastor Luterano.

Nível 8: O Quinto Cavaleiro do Apocalipse. Bem, se você conseguiu chegar a este nível vivo, é sinal que está à procura de encrenca. Tudo bem, não vou decepcioná-lo. Pegue meio tablete de manteiga sem sal. Derreta em uma panela em fogo bem baixo. Quando a manteiga estiver liquefeita, apague o fogo. Vá mexendo com uma colher de pau enquanto despeja devagar um litro de rum. Misture bem e então beba. Você não vai sentir nada, pois a gordura da manteiga retarda a absorção do álcool. Vá bebendo. Beba tudo. Você ainda não sentiu nada. Espere só um pouquinho. Só um pouquinho.


(*) Samurai sem Senhor. Depois do final do shogunato, no Japão, esse pessoal ficava ao léu, andando pra lá e pra cá, alugando seus serviços para quem quisesse, por exemplo, capar o folgado que engravidou sua caçula.

*Publicado por Dhuvi-Luvio 1:45 PM


Entrevista da escritora americana Susan Sontag ao jornal O Globo

‘Uma guerra sem fim’

A metralhadora giratória de Susan Sontag permanece mais ativa do que nunca. O alvo preferencial ainda é o governo de George W. Bush. Segundo ela, os Estados Unidos tentam criar um modo de eternizar o estado de alerta, já que, como a pobreza e as drogas, é impossível acabar com o terror. É o que chama de guerra sem fim. O ditador cubano, Fidel Castro, que recentemente prendeu 78 dissidentes, também é alvo de seus petardos. Porém, os disparos cessam quando o assunto é o presidente Luiz Inácio Lula da Silva: “Algo de bom aconteceu”.
Renato Galeno

O governo americano invadiu o Iraque sem apresentar provas contra Saddam; rotulou os ataques terroristas contra os EUA como um crime contra a Humanidade, mas retirou a assinatura do tratado que criou o Tribunal Penal Internacional; e afirmou que os terroristas são cruéis e covardes, mas não respeita a Convenção de Genebra na prisão de Guantánamo. Ainda assim, o presidente Bush mantém mais de 60% de aprovação no país. O que está acontecendo com o povo americano?

SUSAN SONTAG: Acredito que esta não foi uma guerra legítima, os motivos apresentados eram falsos. Os americanos declararam que não se consideram atados a qualquer tratado internacional. Assim, estão violando a Convenção de Genebra ao construir esta Ilha do Diabo, este pequeno gulag que é Guantánamo. A questão é: por que Bush é popular? Por que não há críticas a isso tudo? Há uma pretensão de que os EUA devam ser um império, que alguns países não precisam obedecer às regras. Isso é uma velha tradição nos EUA. Temos uma tradição isolacionista e imperialista que data dos anos 1840, quando os americanos invadiram o México e tomaram metade do país. Nos EUA há, essencialmente, apenas um partido político. Não temos um partido de oposição, que represente um ponto de vista diferente. O Partido Democrata, na prática, cometeu suicídio. Não tem a coragem de representar um outro ponto de vista. Assim, a mídia está completamente dominada pelo ponto de vista que apóia o governo Bush. É muito difícil para as pessoas terem uma idéia mais crítica. O cidadão médio é ignorante em qualquer lugar. Um cidadão médio não tem um profundo conhecimento de política e história. Ele tem de ouvir outras pessoas inteligentes e atraentes articulando um outro ponto de vista. Pessoas que foram eleitas, que fazem parte da classe política. Pode-se ter escritores ou colunistas em alguns jornais, mas isso não é suficiente. Se as visões da oposição não são representadas por integrantes ativos da classe política, a maior parte das pessoas irá presumir que tudo o que está acontecendo tinha de estar acontecendo. Qual é a visão da maioria das pessoas? “Estamos ameaçados, temos de nos proteger. Saddam é o responsável pelo 11 de Setembro”.

Semanas atrás, durante a entrega do prêmio Príncipe das Astúrias de literatura, a senhora chamou Bush de “serial killer”...

SONTAG: Venho dizendo isso há três anos. Chamo-o de serial killer , de uma forma sarcástica, não devido à invasão do Iraque. Falo do que fez quando era governador do Texas. O Texas executou mais pessoas do que qualquer outro estado. Mais de 300 pessoas foram mortas durante o tempo de Bush no governo do estado. O estado que tem o segundo maior número de aplicações da pena capital é a Flórida, estado governado por Jeb Bush, seu irmão.

Hoje em dia a palavra terror seria uma substituta para a palavra comunismo para este governo? Estão usando, ou criando, esta ameaça para manipular a opinião pública?

SONTAG: Com certeza. Há um inimigo ainda mais vago que o comunismo. O terror pode estar em qualquer lugar. Não é sequer necessariamente associado a um país em particular. Claro que este é o tipo de retórica usada para construir uma noção de guerra sem fim. A chave para a noção de guerra contra o terrorismo é o uso da palavra guerra. Sabe-se quando a guerra é usada neste sentido quando se fala de guerra contra a pobreza, contra as drogas ou até contra o câncer. Quando se fala estas coisas, sabe-se que sempre haverá alguma pobreza, sempre haverá algumas drogas, sempre haverá câncer. Logo, sempre haverá terrorismo, mas assim se pode falar: “Estamos em guerra”. E, assim, Bush anuncia que a primeira vitória na guerra contra o terrorismo foi a conquista do Iraque. E isso nada tem a ver com a realidade. Os EUA não se comprometeram, com dinheiro e soldados, o suficiente para governar o Iraque. Querem é ter quatro bases permanentes no Iraque. Na minha opinião, este foi o motivo pelo qual o Iraque foi escolhido: era o mais fraco dos países do Oriente Médio e aquele que tinha o mais odiado ditador. Tinha um Exército muito fraco e não tinha armamentos. E os americanos sabiam disso. Fingiam que era uma ameaça, mas era o oposto. O que os EUA querem são suas bases e o petróleo.

O que a senhora acha da decisão do Conselho de Segurança da ONU, que permitiu a ocupação anglo-americana do Iraque?

SONTAG: Os países estão sendo punidos e não querem ser. Logo, estão cedendo. Não é porque eles pensem que os americanos estão corretos, é porque sabem que eles têm o poder. No momento, os americanos têm um avassalador monopólio do poder e por isso as coisas funcionam assim. Não é uma questão de legitimidade, é uma questão de poder.

Depois de suas declarações, e de outros intelectuais, sobre a recente perseguição de Fidel Castro a dissidentes, ele tentou se explicar, se justificar...

SONTAG: (cortando a pergunta) Não acho que ele tenha explicado sua decisão. Acredito que ele tenha justificado, mas não que ele tenha explicado. Acho indefensável. Foi a justificativa de uma ditadura. Silenciar a dissidência. Ele poderia ter colocado aquelas 78 pessoas num avião e as mandado para Madri.

O fato de Fidel Castro ter sido um parâmetro para pensadores de esquerda durante décadas devido à sua resistência aos EUA pode ter tornado difícil para algumas pessoas ficar contra ele agora? Por exemplo, Gabriel García Márquez?

SONTAG: Pode-se ser um oponente do imperialismo americano e ser crítico em relação ao governo de Fidel. Estas posições são absolutamente compatíveis. José Saramago ainda se considera um comunista. Ele é um crítico do imperialismo americano e sabe que o que Fidel fez foi errado. É infantil pensar que se você é crítico do imperialismo americano tem de apoiar a revoltante restrição das liberdades civis em Cuba. Não é uma questão de direita ou esquerda.

A senhora já publicou livros em que analisa o uso da imagem. Tornou-se mais forte o uso da imagem pelos governos devido à ameaça do terrorismo? Usa-se mais as imagens para conseguir credibilidade?

SONTAG: É uma boa pergunta. Não tenho certeza. Não é tanto uma questão de credibilidade, mas o fato de que imagens sempre existiram dentro de um certo contexto político. Por exemplo: a invasão e conquista do Iraque. Se você estivesse aqui e visse a invasão na TV e as fotos nos jornais, veria fotos bem diferentes do que aquelas que veria em Inglaterra, França, Alemanha, Espanha, Itália. Veria fotos mais horríveis lá. Eram mais limpas aqui. Há muita censura, muito mais do que as pessoas pensam. Não é que tenhamos um escritório de censura do governo, é mais uma auto-censura — que eu acho que é o pior tipo de censura. E a mídia estava dizendo: “Não é patriótico mostrar estas fotos porque são deprimentes”. A questão não são as fotos, mas quais fotos, o que as pessoas estão vendo e qual é o contexto político no qual elas vêem estas fotos. A cobertura da guerra foi diferente em outros países. E não necessariamente pelo fato de o governo estar a favor ou contra a guerra. A Inglaterra é como o 51 estado americano. E, mesmo assim, a cobertura da BBC era muito mais dura e mais verdadeira que a americana. O grande problema é o que jornais e TVs escolhem publicar. Há muita censura ou muita moldagem do que é relatado na mídia. E, assim, a mesma foto pode ser usada de modos diferentes. No fim de tudo, são as palavras que contam, não as fotos. As fotos não falam por si mesmas.

Há relatos de pessoas que tiveram problemas pessoais ou no emprego por terem externado posições contrárias ao governo desde o 11 de Setembro nos EUA. Isso é verdade?

SONTAG: Não acho que seja bom para os EUA ou para o mundo que o presidente dos EUA seja o presidente do planeta. Mas não sou uma professora que pode ser demitida. Não trabalho na indústria do entretenimento cujos filmes ou canções podem ser boicotadas. Há muita retaliação. Sou uma pessoa autônoma, não tenho um emprego que possa perder. Mas as pessoas normais têm empregos. É difícil para elas serem valentes quando podem ser demitidas. Para Noam Chomsky ou para mim, sim, podemos falar o que quisermos. O que é importante é construir um movimento político, não ter apenas vozes isoladas. Bush será reeleito por uma maioria avassaladora. Eu deveria me corrigir: ele não será reeleito, será eleito (risos). Da outra vez, ele não foi.

Qual o significado da vitória de Lula no Brasil, em sua opinião?

SONTAG: Fiquei inacreditavelmente feliz. Foi o único resultado eleitoral que me fez feliz no último ano. É um país sobre o qual digo: “ok, o mocinho venceu”. É um cenário tão escuro, mas digo para mim mesma: “algo de bom aconteceu”. Sei que ele tem muitos problemas e que não pode fazer tudo o que as pessoas querem, mas, para mim, foi muito positivo.

*Publicado por Dhuvi-Luvio 1:41 PM




Privilégios da terceira idade
(JOÃO UBALDO RIBEIRO)

Já começa por esse negócio de "terceira idade". Todo mundo sabe que não há primeira, nem segunda, nem terceira ou quarta idade — existe só a idade que o sujeito tem mesmo, que nunca, aliás, vale nada. Idade só vale para o futuro ou o passado. Jamais para o presente, porque mente quase todo mundo que afirma estar satisfeito com a idade que tem. Não está. Quando é menino (não vou fazer aqui feito americano e me referir explicitamente aos dois sexos; todo mundo sabe que estou querendo referir-me aos dois e não tenho culpa de a gramática inglesa complicar a fala politicamente correta deles e, por sinal, esse negócio de politicamente correto também enche o saco das pessoas normais), quer ser mais velho, para pode fazer o que os mais velhos fazem, notadamente extraordinárias burrices, tais como fumar e beber. Quando é rapaz e já se tornou um farrapo humano capaz de filar um cigarro de alguém que acabou de conhecer ou mesmo não conhece, quer ser mais velho para poder pegar as mulheres que, nessa fase, o consideram um pirralho (a palavra hoje deve ser outra, mas deixei de atualizar o vocabulário há uns vinte anos, deve haver esse privilégio na lei também). Quando passa essa idade, não tem grana para sair com as mulheres e é obrigado a gastar tempo defendendo algum, além da odiosa e sempre somítica mesada. Quando a grana melhora, se melhora, o trabalho piora e tem pelo menos uma mulher que gruda e toma conta. E por aí vai, todo mundo se queixando até o dia de encerrar o expediente neste vale de lágrimas.

A terceira idade vem, como se sabe, acompanhada pela agravante de a gente virar tio. Não tem coisa mais insuportável do que virar tio de qualquer fedelho que apareça. Ou fedelha: neste caso, cabe a referência explícita ao sexo, principalmente quando a fedelha tem 25 anos, é a cara da Nicole Kidman e namora um xibunguinho qualquer que ainda nem bigode pode ter. Não sei se cabe aqui, neste jornal de família, sugerir a eloqüente resposta habitual dada pelo meu amigo Luciano Quibe Frito, rico milionário árabe, que é um pouco mais velho do que eu, mas não se queixa muito da idade, não só porque o dinheiro disfarça bastante os cabelos brancos, como porque deve tomar Viagra na veia. A resposta é um pouquinho ríspida, mas, que diabo, pelo menos hoje resolvemos que não seremos politicamente corretos. Ele responde dizendo “meu jovem, eu não posso ser seu tio porque não tenho irmã na zona”, é isso que ele diz e eu também devia ser macho o suficiente para dizer e um dia ainda digo.

E tem um rosário interminável de humilhações juridicamente consagradas, todas um complô para que subamos ao Pão de Açúcar e nos joguemos do bondinho, o que só não faço porque, no necrológio, ainda ia sair que eu sofria das faculdades mentais. Outro dia mesmo, estou eu trêmulo no banco, eis que, em bancos, fico invariavelmente trêmulo, assim como em cartórios e repartições sortidas, esperando ser preso (espero sempre ser preso, é por isso que quero me inscrever finalmente na Ordem dos Advogados, para ter aquela carteirinha que dá direito a não ser preso numa cela de oito metros quadrados com mais 120 companheiros), quando um caixa me acenou:

— Gestantes e deficientes! — berrou ele.

Inspecionei minha barriga. Está certo que não se trata propriamente de uma tábua de passar, mas não chega a parecer de oito meses, como indicava a cara dele, além de que mantenho a expectativa de o bigode e a careca sustentarem minha aparência masculina — pois a esta altura, com mais de 60 anos de prática, fica um pouco tarde para mudar.

— Gestantes e deficientes! — repetiu ele, depois que olhei em torno e achei que não era comigo.

— Mas eu... — tentei timidamente objetar.

— É a mesma coisa, tudo a mesma fila, terceira idade também!

É por essas e outras que não tenho arma e muito menos ando armado, porque, numa hora assim, a pessoa pode experimentar a chamada privação de sentidos (isso se dizia no meu tempo; acho que hoje se diz “surto”, não é? ou era há dez anos? bem, é uma parada — gostaram? — dessas qualquer) e cometer um tresloucado gesto, no caso descarregar minha centenária garrucha no ofensor. Se ele complementasse me chamando de tio, acho que eu encerrava a conta no banco e talvez até levasse uma gruja de 15 centavos, a título de “abono de terceira idade”, eles são capazes de perpetrar isso. Mas não fiz nada, arrastei meus pobres pés de velho até a fila indicada e lá fiquei um bom tempinho, até porque, e este é outro requinte, ela era mais longa que as outras.

Na Bienal do Livro, onde entrei como autor, uma vezinha só, pude observar que estavam isentos de pagamento os menores de um metro e maiores de 60 anos. Quer dizer, eu, meus amigos e o Bloco dos Anões da Praça Onze, ou qualquer outra agremiação que congregue os — é assim que se diz “anão” hoje em dia, isto eu aprendi — verticalmente prejudicados. Numa só semana, fui chamado de deficiente, anão, transexual tarado e futura mamãe. Tinha até pensado em experimentar um teste pessoal da passagem de ônibus grátis, só pelo gostinho, mas, como agora sei que seria pelo desgostinho, não vou experimentar nada. Aliás, aguardo ansioso a próxima medida, que provavelmente será proibir os terceiro-idadistas de sair de casa, para não expô-los à jângal da cidade grande. Concordo, concordo, contanto que eles ponham uns boys aqui, para cuidar dessas coisinhas de banco e correio para nós, coroas do prédio. E contanto que eles não chamem a gente de tio, é claro. Tio é a mãe e eu não tenho irmã na zona etc. etc.

*Publicado por Dhuvi-Luvio 1:38 PM




O CÃO QUE FALAVA

Um ventríloquo achava-se em péssima situação financeira, mas, além de ser magnífico na profissão era ainda bastante esperto. Por isso, não se atrapalhou muito; saiu andando pela rua e catou o primeiro vira-lata que encontrou. Com o bicho debaixo do braço, caminhou até o boteco mais próximo, e, chamando o gerente de parte, disse-lhe:
- Olhe aqui. A única coisa que ainda tenho no mundo é este cachorro, que sabe falar. O senhor quer me dar duzentos reais por ele?
O gerente ficou logo na defensiva, desconfiado.
O ventríloquo começou a trabalhar. O cachorrinho deu um latido estridente e disse:
- Claro que eu sei falar! Vou aproveitar para reclamar que a comida neste boteco não presta. Já estive aqui uma vez!
O gerente coçou a cabeça espantadíssimo. O ventríloquo sorriu com ternura para o cão, e disse ao outro:
- O senhor vê, para mim é uma tristeza me separar dele, mas eu preciso muito desse dinheiro. O senhor está disposto a comprar o bichinho?
- Duzentos reais é muito. Eu dou cem.
Dizendo isso, enfiou a mão no bolso por trás do avental, e tirou o dinheiro.
O nosso amigo não estava em condições de regatear. Agarrou a nota, agradecendo comovido, e foi saindo. Mas quando já se aproximava da porta, o cachorro gritou:
- Então eu não valho mais de cem reais, hein? Pois só por isso eu agora nunca mais falo uma palavra!
E, ao que parece, cumpriu a promessa...

*Publicado por Dhuvi-Luvio 1:35 PM




ORAÇÃO A MARIA DESATADORA DOS NÓS

Virgem Maria, Mãe do belo amor, Mãe que jamais deixa de vir em socorro a um filho aflito, Mãe cujas as mãos não param nunca de servir seus amados filhos, pois são movidas pelo amor divino e a imensa misericórdia que existem em teu coração, volta o teu olhar compassivo sobre mim e vê o emaranhado de nós que há em minha vida. Tu bem conheces o meu desespero, a minha dor e o quanto estou amarrado por causa destes nós. Maria, Mãe que Deus encarregou de desatar os nós da vida dos seus filhos, confio hoje a fita da minha vida em tuas mãos. Ninguém, nem mesmo o Maligno, poderá tirá-la do teu precioso amparo. Em tuas mãos não há nó que não poderá ser desfeito. Mãe poderosa, por tua graça e teu poder intercessor junto a Teu Filho e Meu Libertador, Jesus, recebe hoje em tuas mãos este nó... Peço-te para desatá-lo para a glória de Deus, e por todo o sempre. Vós sois a minha esperança. Ó Senhora minha, sois a minha única consolação dada por Deus, a fortaleza das minhas débeis forças, a riqueza das minhas misérias, a liberdade, com Cristo, das minhas cadeias. Ouve minha súplica. Guarda-me, guia-me, protege-me, ó seguro refúgio! Maria, Desatadora dos nós, roga por mim.

Rezar 1 Pai Nosso, 1 Ave Maria e fazer o Sinal da Cruz.

*Publicado por Dhuvi-Luvio 1:27 PM




Um dia, o burro de um camponês caiu num poço. Não chegou a se ferir, mas não podia sair dali por conta própria. Por isso o animal chorou fortemente durante horas, enquanto o camponês pensava no que fazer.
Finalmente, o camponês tomou uma decisão cruel: concluiu que já que o burro estava muito velho e que o poço estava mesmo seco, precisaria ser tapado de alguma forma.
Portanto, não valia a pena se esforçar para tirar o burro de dentro do poço. Ao contrário, chamou seus vizinhos para ajudá-lo a enterrar vivo o burro. Cada um deles pegou uma pá e começou a jogar terra dentro do poço. O burro não tardou a se dar conta do que estavam fazendo com ele e chorou desesperadamente.
Porém, para surpresa de todos, o burro aquietou-se depois de umas quantas pás de terra que levou. O camponês finalmente olhou para o fundo do poço e se surpreendeu com o que viu.
A cada pá de terra que caía sobre suas costas o burro a sacudia, dando um passo sobre esta mesma terra que caía ao chão. Assim, em pouco tempo, todos viram como o burro conseguiu chegar até a boca do poço, passar por cima da borda e sair dali trotando.
A vida vai te jogar muita terra nas costas, principalmente, se você já estiver dentro de um poço.
Cada um de nossos problemas é um degrau que nos conduz para cima.
Podemos sair dos mais profundos buracos se não nos dermos por vencidos.
Use a terra que te jogam para seguir adiante!




"O QUE VALE NÃO É O QUANTO SE VIVE, MAS COMO SE VIVE"


"Nossas vidas são traidoras e nos fazem perder
o bem que poderíamos conquistar se não fosse
o medo de tentar" (William Shakespeare)



*Publicado por Dhuvi-Luvio 1:16 PM




Nome : Dhuvi-Lúvio
Local: Batel-Pr
Email para mim


EM CURITIBA

Links
Antigos

Powered by Blogger
Site Meter