<body>

Deixa com o Beque !!

sábado, julho 12, 2003



Muito simbólico, não ??

*Publicado por Dhuvi-Luvio 2:46 PM




Sexo oral de Elefante deve ser bem interessante...

*Publicado por Dhuvi-Luvio 2:41 PM




Nuvens negras sobre o Rio de Janeiro. É só o inverno querendo se firmar e se afirmar...

*Publicado por Dhuvi-Luvio 2:40 PM







HORÓSCOPO CHINÊS

O nativo de Coelho (Tu) é um ser tão espiritual que se sente perdido neste mundo materialista. Por isso se esconde e se torna tão reservado em relação às demais pessoas. Essa timidez excessiva esconde um ser indeciso, com problemas de entrosamento, seja no lar ou no trabalho. Para não se perder nesse meio, necessita de uma companhia ou de um chefe ou patrão compreensivo para estimular nele alguma ambição.
Na companhia de uma pessoa forte, que o obrigue a se posicionar com mais firmeza diante da vida, o Coelho pode desabrochar sua personalidade e revelar seu interior rico e extremamente sensível ao artístico e ao belo.
O nativo de Coelho é impulsivo, embora não seja dotado de muita energia. Claramente demonstra seu desagrado com as coisas, mesmo não verbalizando isso. Seu senso de justiça é muito forte. Costumam ser pessoas respeitadoras das leis, pacíficas e amantes da paz. Por ser detalhista e minucioso no trabalho, o Coelho se dá bem em qualquer profissão que exija essas habilidades.
Coelhos famosos: Hu Shih, Hu Yao-Bang, Kim Young Sam, Sally Ride, Dhuvi-Lúvio, Leonardo Di Caprio, Frank Sinatra, Bob Hope, Arturo Toscanini, Leontyne Price, Clare Boothe Luce, Tiger Woods.

*Publicado por Dhuvi-Luvio 2:17 PM







Eclipse Oculto
(Caetano Veloso )

Nosso amor não deu certo
Gargalhadas e lágrimas
De perto fomos quase nada
Tipo de amor que não pode dar certo
Na luz da manhã
E desperdiçamos os blues do Djavan

Demasiadas palavras
Fraco impulso de vida
Travada a mente na ideologia
E o corpo não agia
Como se o coração tivesse antes que optar
Entre o inseto e o inseticida

Não me queixo
Eu não soube te amar
Mas não deixo
De querer conquistar
Uma coisa qualquer em você
O que será?

Como nunca se mostra
O outro lado da lua
Eu desejo viajar
Pro outro lado da sua
Meu coração galinha de leão
Não quer mais amarrar frustação
O eclipse oculto na luz do verão

Mas bem que nós fomos muito felizes
Só durante o prelúdio
Gargalhadas e lágrimas
Até irmos pro estúdio
Mas na hora da cama nada pintou direito
É minha cara falar
Não sou proveito
Sou pura fama

Não me queixo
Eu não soube te amar
Mas não deixo
De querer conquistar
Uma coisa qualquer em você
O que será?

Nada tem que dar certo
Nosso amor é bonito
Só não disse ao que veio
Atrasado e aflito
E paramos no meio
Sem saber os desejos
Aonde é que iam dar
E aquele projeto
Ainda estará no ar?

Não quero que você
Fique fera comigo
Quero ser seu amor
Quero ser seu amigo
Quero que tudo saia
Como o som de Tim Maia
Sem grilos de mim
Sem desespero, sem tédio, sem fim

Não me queixo
Eu não soube te amar
Mas não deixo
De querer conquistar
Uma coisa qualquer em você
O que será?

*Publicado por Dhuvi-Luvio 1:37 PM




sexta-feira, julho 11, 2003

*Publicado por Dhuvi-Luvio 3:44 PM


Você se lembra deste esqueleto em flash ?? É muito legal, mesmo !!

*Publicado por Dhuvi-Luvio 3:41 PM




Coca-Cola é investigada por fraude e contaminação de bebidas

A promotoria federal dos Estados Unidos está investigando denúncias feitas por um ex-funcionário da Coca-Cola, que acusa a empresa de divulgar publicidade enganosa, fraudar as contas e permitir a contaminação de alguns de seus produtos.
A Coca-Cola divulgou em um comunicado que deve cooperar com as investigações.
A investigação está sendo feita pela Procuradoria de Atlanta. A comissão mobiliária americana já havia solicitado documentos para avaliar informalmente denúncias feitas pelo ex-funcionário Matthew Whitley.
Whitley foi demitido em março junto centenas de outros colegas durante um processo de reestruturação feito pela Coca-Cola. Ele pede US$ 44,4 milhões pela demissão sem justa causa e pelos problemas que enfrentou na empresa.
O ex-funcionário alega, por exemplo, que alguns gerentes sabiam dos problemas de mal funcionamento de máquinas de bebidas e que resíduos metálicos contaminavam alguns produtos.
A Coca-Cola já admitiu que alguns empregados já agiram de má-fé três anos atrás para ganhar uma concorrência para instalar máquinas na rede de lanchonetes Burger King. Mesmo assim, a Coca-Cola nega as acusações de Whitley.
A companhia descreveu o ex-funcionário como uma pessoa que ficou desapontada com a dispensa e que está lutando para ter razão na Justiça.
O aumento do interesse da Justiça nas ações da Coca-Cola aparece em uma época em que as empresas americanas estão sob pressão dos reguladores e investidores para que se tornem mais transparentes e honestas.
A Coca-Cola também está preocupada com a situação na tentativa de recuperar sua imagem, que foi abalada em 1999, quando houve a contaminação de produtos na Europa e ações de discriminação nos Estados Unidos.

A empresa também está sendo investigada por monopolizar o mercado. Com esses problemas, as ações da companhia caíram US$ 0,25 e estão cotadas a US$ 43,76 na Bolsa de Nova York.


Por isso que eu só tomo PEPSI !!!!!!

*Publicado por Dhuvi-Luvio 3:39 PM


Caixa antecipa pagamento de correção do FGTS para 615 mil pesssoas

O governo liberou a Caixa Econômica para efetuar o pagamento das perdas do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) com os planos Collor 1 e Verão para os trabalhadores que haviam aderido ao acordo desistindo de ações judiciais, mas que ainda esperavam que a desistência fosse homologada pela Justiça.
Com a liberação, feita por meio de decreto assinado hoje, a Caixa começa a efetuar o pagamento de 615,2 mil trabalhadores a partir do próximo dia 23. Serão pagos R$ 461,7 milhões, depositados em 1,1 milhão de contas (cada trabalhador pode ter mais de uma conta).
Esse valores se referem a quem tem a receber até R$ 2.000, e às primeiras parcelas dos trabalhadores que têm saldo entre R$ 2.000 e R$ 8.000.
Os trabalhadores que têm crédito superiores a R$ 8.000, apesar de também serem beneficiados, só começam a receber o dinheiro em janeiro de 2004. (Nota do Editor : TTOOOOMMMMMAAAAA!!!!!)
Segundo a Caixa, apesar da liberação antecipada, ainda será necessária a homologação da desistência das ações judiciais, mesmo que posteriormente ao recebimento do dinheiro.

*Publicado por Dhuvi-Luvio 3:35 PM




*Publicado por Dhuvi-Luvio 12:52 PM











Nelson Motta - revista TRIP

Parece impossível para alguém de mais de quarenta anos e de formação pré-internet entender que a indústria do disco, como até hoje a conhecemos, acabou. Kaput. Finita. Mas não é uma opinião, é um fato. É só uma questão de tempo. E dinheiro. O indício mais recente, que comprova o desespero pré-agônico: a truculenta RIAA, associação americana da indústria do disco, que já fechou judicialmente o Napster, mas não consegue impedir que nasçam e cresçam os novos sites de trocas de arquivo, agora atira pesado até contra seus ex-aliados históricos e maiores consumidores: os estudantes. Acaba de entrar com processos contra quatro universitários americanos que mantinham sites de trocas de arquivos musicais usando a banda ultra-rápida que as universidades disponibilizam para os estudantes em suas redes internas. Acusa-os de ladrões de copyright e exige bilhões, sim, bilhões de dólares de indenização, US$ 150 mil por música nas listas.

Claro, eles não esperam receber essa grana dos universitários e de suas famílias, querem só dar um susto. Por enquanto. Muitos falcões da indústria, em nome de seus lucros, adorariam levar à falência Harvard ou Princeton, como co-responsáveis pelas contravenções de seus alunos, conforme repetidas ameaças às direções das universidades. Por isso escolheram para inimigos quatro, entre dezenas de estudantes que mantêm sites de troca de arquivos nos campi, para serem exemplados, obrigados a fazer acordos judiciais públicos e humilhantes, que não serão bilionários, mas pelo menos, esperam os advogados, quebrarão as famílias dos réus, dos piratas, dos criminosos.

Esses mercenários da lei e da justiça enfrentam uma nova e estranha forma de contravenção: os contraventores não estavam ganhando um centavo com os sites, os serviços que ofereciam eram gratuitos, não eram empreendimentos comerciais, ninguém pagava e ninguém recebia. Era só um troca-troca. Sim, é desonesto — e ilegal — oferecer, mesmo de graça, propriedade alheia, sem autorização. Mas isso não é jeito de tratar jovens que amam a música e foram, desde sempre, o maior sustentáculo, a grande força promocional e massa consumidora da indústria do disco. Agora é guerra, que — como a de Bush contra o terrorismo — não terá fim.

*Publicado por Dhuvi-Luvio 12:11 PM



Jesus combate as drogas

Jesus chama os seus discípulos e apóstolos para uma
reunião de emergência, devido ao alto consumo de
drogas na Terra. Depois de muito pensar, chegam à
conclusão de que a melhor maneira de combater a
situação e resolvê-la definitivamente era provar a
droga eles mesmos e depois tomar as medidas adequadas.
Decide-se que uma comissão de discípulos desça ao
mundo e recolha diferentes drogas. Efetua-se a
operação secreta e dois dias depois começam a
regressar os comissários. Jesus espera à porta do céu,
quando chega o primeiro servo:
- Quem é?
- Sou Paulo.
Jesus abre a porta.
- E o que trazes, Paulo?
- Trago haxixe de Marrocos
Muito bem, filho. Entra.
- Quem é?
- Sou Marcos.
- E o que trazes, Marcos?
- Trago marijuana da Colômbia.
Muito bem, filho. Entra.
- Quem é?
- Sou Mateus.
- E o que trazes, Mateus?
- Trago cocaína da Bolívia.
- Muito bem, filho. Entra.
- Quem é?
- Sou João.
Jesus abre a porta e pergunta de novo:
- E tu, o que trazes, João?
- Trago crack de Nova Iorque.
- Muito bem, filho. Entra.
- Quem é?
- Sou Lucas.
- E o que trazes, Lucas?
- Trago speeds de Amsterdam.
- Muito bem, filho. Entra.
- Quem é?
- Sou Judas.
Jesus abre a porta.
- E tu, o que trazes, Judas?
- POLICIA FEDERAL!!! TODO MUNDO NA PAREDE, MÃO NA
CABEÇA! ENCOSTA AÍ, Ô CABELUDO!

*Publicado por Dhuvi-Luvio 11:22 AM


quinta-feira, julho 10, 2003

*Publicado por Dhuvi-Luvio 8:04 PM


*Publicado por Dhuvi-Luvio 4:32 PM





*Publicado por Dhuvi-Luvio 10:39 AM


Dicionário do C

Calamidade -- lembrete inequívoco de que não podemos controlar os fatos da vida. Há duas espécies de calamidade: o nosso fracasso e o sucesso dos outros.

Caminho -- extenso pedaço de terra que permite que sigamos de onde estamos cansados para onde é inútil ir

Campanha eleitoral -- publicidade oculta de pasta de dente

Candidato -- indivíduo que obtém dinheiro dos ricos e votos dos pobres para protegê-los uns dos outros

Canhão -- instrumento usado para a retificação de fronteiras nacionais

Canibal -- gastrônomo da velha escola que conserva o gosto simples pela dieta natural da época pré-porcina

Carne -- a Segunda Pessoa da Trindade secular

Carnívoro -- indivíduo viciado na crueldade de devorar assustadiços vegetarianos e toda a sua prole

Casa -- estrutura vazia construída para a moradia do homem, da barata, do rato, da mosca, do mosquito, da pulga, do piolho e do micróbio

Casamento -- cerimônia em que duas pessoas prometem ser uma, uma promete ser nada e nada promete ser suportável

Centauro -- espécie de indivíduos que existiam antes da divisão do trabalho e que seguiam a máxima da economia primitiva: "A cada homem o seu próprio cavalo".

Cérebro -- órgão que serve para pensar que pensamos

Circo -- lugar onde é permitido que cavalos, pôneis e elefantes vejam homens, mulheres e crianças fazendo papel de palhaço

Cleptomaníaco -- ladrão rico

Comércio -- espécie de transação onde o sujeito A rouba de B os bens pertencentes a C e, para compensar, B mete a mão no dinheiro de E que pertence a um tal de D

Comestível -- diz-se de tudo aquilo que se pode comer e é de digestão saudável, como o verme para o sapo, o sapo para a cobra, a cobra para o porco, o porco para o homem e o homem para o verme

Confidente -- alguém a quem A confiou os segredos de B, confidenciados a ele por C

Confissão -- método pelo qual se limpa a alma para começar a pecar de novo

Conforto -- estado de espírito evocado pela contemplação do desconforto do próximo

Congratulação -- inveja civilizada

Conhecimento -- coisas em que se acredita

Connoisseur -- especialista que sabe tudo sobre alguma coisa e nada sobre o resto

Consciência -- voz interior que nos adverte que alguém está nos olhando

Conservador -- político aferrado aos males existentes; diferente dos liberais, que querem substituí-los por outros

Consolo -- saber que alguém melhor do que nós é mais infeliz do que somos

Contador -- indivíduo que sabe o preço de tudo e o valor de nada

Contos infantis -- histórias de terror que preparam as crianças para no futuro lerem diários

Convento -- lugar para onde se retiram os ociosos a fim de meditar no vício do ócio

Corporação -- invento engenhoso para se obter lucro individual sem responsabilidade individual

Covarde -- aquele que nas situações de perigo pensa com as pernas

Cristão -- aquele que acredita que o Novo Testamento é um livro de inspiração divina perfeitamente recomendado para as necessidades espirituais dos outros

Crítico -- indivíduo que finge ser tão difícil de agradar que ninguém chega a tentar


*Publicado por Dhuvi-Luvio 10:37 AM




NEWS FROM IPANEMA

- O São Paulo estacionou que foi uma beleza na Marinha;
- Dona Luzia disse que iria comigo para onde eu fosse. Deixa a Dona Rosinha saber...
- Entre todos os familiares a Daniela pediu a mim que levasse o Caio para o aeroporto;
- Há muitas vagas não preenchidas para Engenharia Naval. Vai ser o boom dos próximos anos.
- Em terra de cego quem tem um olho sou eu.
- Um novo vírus envia mensagens que estão guardadas em seu micro para pessoas de sua caixa postal.
- Os meus versos hoje são todos secretos, não que escondam algo, eu é que me escondo.
- Já estou decorando todas as músicas do Cosmotron do Skank.
- Preciso de US$ 150.000, alguém pode me emprestar. Pago nas próximas três reencarnações...
- Não sei porque o JÔ ainda insiste naquele programa, muito chaaattoo.
- A julgar pelo que me mandam por email eu sou velho, feio, gordo, brocha e de pau pequeno.
- A vizinha ficou de ver o apartamento ainda esta semana. Gente Boa.
- Esqueci completamente do aniversário do João Paulo. Não poderia mesmo ir pois estava na Marinha.
- Lu Paru chega este sábado mas vai ficar o final de semana na Pedra.

*Publicado por Dhuvi-Luvio 10:21 AM



VERDINHO

No primeiro dia de aula a professora resolveu perguntar a profissão do
pai de cada um, para conhece-los melhor.
- Pedrinho qual a profissão de seu pai?
- Advogado, professora.
- E a do seu pai, Marianinha?
- Engenheiro.
- E o seu, Aninha?
- Ele é médico.
- E o seu pai, Joãozinho, o que faz?
- Ele...Ele...Ele é GAY.
- Como assim?? - pergunta a professora, surpresa.
- Fessora... Ele dança em boates, com uma sunguinha minúscula cheia de
lantejoulas, brilhos, onde homens másculos passam a mão nele e põem
dinheiro no elástico da sunga e depois saem para fazer programa com ele.
- A professora rapidamente dispensou toda a classe, exceto Joãozinho.
- Ela caminha até o garoto e novamente pergunta:
- Menino, o seu pai realmente é Gay?
- Não, professora. Agora que a classe ficou vazia, ficou mais fácil de
falar. É que meu pai joga no Palmeiras, e eu tenho vergonha de contar
perto dos outros.....

*Publicado por Dhuvi-Luvio 9:41 AM


terça-feira, julho 08, 2003


*Publicado por Dhuvi-Luvio 9:50 PM



Normal em Curitiba
Rita Lee - Roberto de Carvalho

Saudades da terra
Daquela vidinha boa
Entre um milagre e uma guerra
Quando Deus era brasileiro
E ria-se à toa
Lá no sul do Cruzeiro
Destino desejo
Santo pandemônio
Saudades do Ozônio
Da minha infância querida

Quero o essencial da vida
Quero ser normal em Curitiba

Saudades da terra daquele planeta azulzinho
Entre Vênus e Marte quando arte era puro dinheiro
E o estranho no ninho
Vinha lá do estrangeiro
New York, Paris
É impossível ser feliz
Saudades da Elis
Da minha infância querida

Quero o essencial da vida
Quero ser normal em Curitiba

Renascer de parto natural
Mamar numa doce muxiba
Crescer num país tropical
Supermercado em Carapicuíba
Manter o ciclo menstrual
Noivar, casar com o Giba
Viver de aumento salarial
Campeã de buraco e biriba

Quero o essencial da vida
Quero ser normal em Curitiba

*Publicado por Dhuvi-Luvio 9:44 PM


*Publicado por Dhuvi-Luvio 9:40 PM




Eu caminho sobre linhas. Linhas em muitos sentidos, é bem verdade. Muitas vezes quando digo que caminho sobre linhas quero apenas dizer que meus olhos as percorrem sobre textos e meus dedos as perseguem sobre o teclado. Mas nem sempre é isto. Nem sempre é tão simples. Algumas vezes as linhas estão em livros. Outras vezes, estão nas minhas ruas, atrás de links. Há ocasiões em que estas linhas formam imagens, então já não são exatamente linhas, podem ser pinceladas, podem ser “cliques”. Então também caminho sobre tintas, e sobre luzes, e sobre claros e escuros, e sobre cores, e sobre os contrastes... São os movimentos de meus olhos, movimentos que produzem sentido em algum lugar dentro de mim e que justificam o meu caminhar. Para que eu caminhe, é necessário que as linhas existam. São elas que provocam o meu espanto, os risos ou lágrimas, o desejo de andar mais um pouco, descobrir as trilhas, o que se esconde por trás de uma montanha, qual a sensação de escorregar por um penhasco, qual a temperatura da água que desliza sobre as rochas. Preciso das linhas, em suas formas variadas. Elas me alimentam o sonho...

*Publicado por Dhuvi-Luvio 6:43 PM



Skank - Cosmotron

01. Supernova
02. As Noites
03. Pegadas na Lua
04. Amores Perfeitos
05. Por um Triz
06. Dois Rios
07. Nômades
08. Vou Deixar
09. Formato Mínimo
10. Resta um Pouco Mais
11. Os Ofendidos
12. É Tarde
13. Um Segundo
14. Sambatron

Simplesmente o melhor disco dos últimos tempos aqui na terra tupiniquim...
Baixeis as músicas do Kazaa e vou comprar o disco, não percam porque dessa vez os caras capricharam. Não dá nem para dizer qual o estilo. A faixa 6 (Dois Rios) não pára de tocar nas rádios...Veja a letra abaixo:

Dois Rios
(Samuel Rosa - Nando Reis - Lô Borges)

O céu está no chão
o céu não cai do alto
é o claro, é a escuridão

O céu que toca o chão
e o céu que vai no alto
dois lados deram as mãos

Como eu fiz também
só pra poder conhecer
o que a voz da vida vem dizer

Que os braços sentem
e os olhos vêem
e os lábios sejam
dois rios inteiros
sem direção

O sol é o pé e a mão
O sol é a mãe e o pai
dissolve a escuridão

O sol se põe, se vai
e após se pôr
O sol renasce no Japão

Eu vi também
só pra poder entender
na voz a vida ouvi dizer

Que os braços sentem
e os olhos vêem
que os lábios sejam
dois rios inteiros
sem direção

E o meu lugar é esse
ao lado seu, no corpo inteiro
dou o meu lugar pois o seu lugar
é o meu amor primeiro
o dia e a noite as quatro estações.




Nota 10!





*Publicado por Dhuvi-Luvio 6:15 PM




Um afeto descuidado. Ela me dava um afeto descuidado. Tipo roupa no varal, em dia de chuva. Você fala de descuido? Saca só aquele homem que anda rápido. Não gosto dos que caminham como se não soubessem que estão caminhando - e, ao mesmo tempo, os invejo, assim, soltos de si. Por isso vim pra cá: com o objetivo de não construir uma cidade mas um deserto: alvo claro, sem contestação: me entende? Agora, caramujo emagrecido, trago comigo só um papel no bolso pontuando em itens tudo que me restou. O papel queima, centelha seca. Mas a tinta fica... O passado não passa.

Pensava que dor, se na vera, nada. Três copos depois, muda tudo... Na lógica: se a derrota é proporcional à vitória, dependendo da tua mancada se considere um winner, my friend. Aqui meu troféu: um corpo surrado, maltratado, às traças. Meu corpo - um relógio sempre atrasado. E, neste outro corpo aqui, moro também ainda; numa casa, a dela, a que era nossa: depósito baldio de paixões oxidadas. Do engano vem a vergonha - prato de que você não vai comer nem uma migalha. O amor é um labirinto visto de dentro.

Um molho de portas sem chaves, um maço de selos sem cartas, uma muda de festas sem roupas, uma série de documentos que tentam provar-me, uma série de retângulos com nomes que supostamente existem, um par de sapatos molhados por uma chuva muito antiga. Por toda a minha vida deixei meus sapatos úmidos secarem atrás da geladeira, encastelados no motor. Agora se foi o congelador, dentro dele o vinho, dentro dele o sonho, dele o remédio, o repúdio à garoa que intermite em nossas costas. Ela era assim um desafio ao meu medo da morte, meu gol aos 47 do segundo tempo. E eu - aquele cara que leva sua angústia pra todo lugar feito ela fosse um mascote - a bicha tem um pescoço comprido e os olhos gordos, desse jeitão mesmo, dá pra ver nítido, nada de engraçado nisso. E, muito observadora, ela não pára de questionar os rostos das pessoas que transitam à frente - sempre em comparação comigo, ou com sabe-se quem - aí, a bichinha põe um olho na TV que passa um jogo de futebol em que meu time perde e outro na rua e outro nas pessoas deste bar, o Bar das Empanadas: as pessoas em seus diálogos à volta de suas mesas, falando sem se ouvirem - surdo-mudez amigável - pessoas que dão grandes veredictos. Costumava ser assim, e acreditava nisso. Agora, já não sei.

Um copo lentamente enchido pela água que sai da moringa - as borbulhas, o som, o ritmo - até a boca: aí, o silêncio. Esta, nossa intimidade - a água antes de dormir. Parecia pouco... era tudo. Um amor de férias que não seguiu abraçar a cota fria do cotidiano, um amor que começou em Ouro Preto e se abreviou na Ilha do Mel - não o óbvio inverso. Forma: abreviou-se, desterminou, tipo uma nomenclatura aberta ao próximo uso e não em si encerrada como uma história ou o líquido pleno deste copo gelado. Minha vida toda isso: nada chega ao fim.

Como naquele ônibus em movimento, aquele velho ônibus dentro do sol... Você meio que vê, num ponto de ônibus, o rosto de uma mulher coberta na obscuridade tanto trazida pela poeira quanto pela sombra paquidérmica do coletivo. Ela chega, sobe. De dentro, você, à janela, ainda todo envolto em pó, vendo mas não visto. À sua frente, vem o rosto, flutua, sonoro, ouro-poroso - pulverizado como a catedral de Ruão o é pela luz nas mínimas pinceladas de Monet - e este já é então um rosto muito amado. E aí você é reconhecido, e daí...

Ou: caro diário. Seu carro no portão - todos os pássaros levantando vôo.

Ou: corpos dançando, iludidos.

Ou: - Que olhos mais estranhos são esses seus! Parecem de cavalo-marinho...

Ou:
- Uma espera é feita de sustos, perfumes e degraus...
- E meia hora de atraso é admissível?
- Ah, sim? E o que você me diz de uma vida toda em atraso?

[Essas coisas existem. E voltam, sempre. Para, afinal, a porta sempre aberta, não se sabe se na vinda se na ida - depois, um último pensamento: nuvem, relâmpago - e daí, só calmaria, chaves e mala na mão, cartas e fotos rasgadas, este papel no bolso e seu rol de objetos inúteis, este copo, este jogo só empatado à revelia.]

Sozinho no bar. Maior nudez que essa não tem, não tem... A noite cai em cima do bar feito uma bigorna, jogando suas luzes suspeitas no que nunca deveria ser exposto. A mesa do bar, um círculo preto. Quatro paredes o espaço enrugado, uma delas a calçada. O em torno - simplicidade derrotada em tons manchados. E no centro um quadrilátero verde, dentro a luta entre os homens com números nas costas, ao redor os gritos e os calores. Vem uma garçonete, sorrindo: seu sorriso aumentando os lábios densos e vermelhos numa boca abrindo em bocarra, em carranca. Mas não, não, é só uma garota de avental, tímida e linda, e nada mais. Contudo, do outro lado já penso que seus olhos, tão solícitos, trazem embutido meu pedido. Outro começo? Tudo de novo? Mais um deste, por favor, mais uma desta, obrigado. É o que elas mais querem ouvir. E é o que mais ouvem..

Minha angústia procura salvação e espia por sobre os ombros: gosto de quem caminha lento - você pensa - depositando o olhar sobre as coisas como se as acariciasse, com cuidado enquanto que com renúncia; um certo pudor por não tê-las, coisas, de não ter com elas continuidade ou algo de íntimo. Pois há que se ter cuidados: loucura mansa é estrela sem pontas - mas é estrela. E de onde vem essa certeza absoluta, límpida, de eternidade? - se da esperança bebi, se do desconsolo fumei - se da falta me cuspi? Venho me alimentando de desesperos feito animal acuado, planta, verme, só porque costumo sempre acreditar ser esta a nossa condição: nadamos todos aflitos, pelos dias de todos os dias, fugindo dos tubarões, até que chegamos à bóia dos fins-de-semana, quarenta e oito horas que pouco a pouco se desmancham atraindo os tubarões e logo estamos à beira do naufrágio ou da tragédia a céu aberto, quando tornamos aflitos a nadar, nadar, nadar, e daí essa sensação de todos desesperançados - à menor sensação de porto, atracamos breve e então lançamos ao mar nossa satisfeita bóia: assim é que perdemos o almoço, na promessa da sobremesa que não vem, que nunca virá.

[Mas existem no frio desta cerveja - espuma sobre espuma - mares cordiais e sóis desconhecidos. Talvez por isso os grandes veredictos, as risadas gigantescas, os abraços ferozes - constelações que tapam nossos furos, nossos buracos-negros.] E assim, permanecemos cegos, como se na verdade fossem as coisas a nos olhar detidamente; como sabe aquele homem que na calçada ia lento.

Ô cidade - você, negra em suas luzes mínimas, não me responderá nunca as questões que encerro em meu peito? E agora? O que sobrou de você em meu projeto de homem? Esse papel roto no bolso? Esse aço cravado na tua pele mais íntima? Este esquema de deserto? O esqueleto de uma pipa na antena de TV na casa ali da esquina? Uma pipa empinada pelo filho que não tive. O juiz apita: desgraçado, afunda o teu limão no céu da boca. A conta, por favor. Oh, sim, obrigado. A esperança é a última que morre. Mas morre.


[Vila Madalena, outono, 1997 - FakeFakir]

*Publicado por Dhuvi-Luvio 5:33 PM




Debaixo dos caracóis dos seus cabelos
(Roberto-Erasmo)

Um dia a areia branca teus pés irão tocar
E vai molhar os seus cabelos
A água azul do mar.
Janelas e portas vão se abrir
Pra ver você chegar
E ao se sentir em casa
Sorrindo vai chorar.

Debaixo dos caracóis dos seus cabelos
Uma história pra contar
De um mundo tão distante.
Debaixo dos caracóis dos seus cabelos
Um soluço e a vontade de ficar mais um instante.

As luzes e o colorido que você vê agora
Nas ruas por onde anda
Na casa onde mora.
Você olha tudo
E nada lhe faz ficar contente

Você só deseja agora
Voltar pra sua gente.

Debaixo dos caracóis dos seus cabelos
Uma história pra contar
De um mundo tão distante.
Debaixo dos caracóis dos seus cabelos
Um soluço e a vontade de ficar mais um instante.

Você anda pela tarde
E o seu olhar tristonho
Deixa sangrar no peito
Uma saudade um sonho.
Um dia vou ver você chegando num sorriso
Pisando a areia branca
Que é seu paraíso.

Debaixo dos caracóis dos seus cabelos
Uma história pra contar
De um mundo tão distante.
Debaixo dos caracóis dos seus cabelos
Um soluço e a vontade de ficar mais um instante.

*Publicado por Dhuvi-Luvio 5:28 PM







Lamento Borincano (el Jibarito)
Rafael Hernandez

Pasa loco de contento con su cargamento
para la ciudad, para la cuidad
lleva en su pensamiento todo un mundo
lleno de felicidad, de felicidad
piensa remediar su situación
del hogar que es toda su ilusión
y alegre, el jibarito va cantando así
diciendo así, bailando asi por el camino:
"si yo vendo la carga, mi dios querido
un traje a mi viejita voy a comprar"

Pasa la mañana entera sin que nadie quiera
su carga comprar, su carga comprar
todo, todo esta desierto, el pueblo está lleno
de necesidad, de necesidad
se oye ese lamento por doquier
en mi desdichada Borinquen
Y triste, el jibarito va llorando así
penando así, siguiendo así por el camino
"qué será de Borinquen mi dios querido
que será de mis hijos y de mi hogar"

Borinquen, la tierra del edén
la que al cantar, el gran Gautier
llamó la perla de los mares
y ahora que yo me encuentro con tus pesares
déjame que le cante yo también.

*Publicado por Dhuvi-Luvio 5:01 PM


*Publicado por Dhuvi-Luvio 4:55 PM


segunda-feira, julho 07, 2003

*Publicado por Dhuvi-Luvio 6:28 PM


No meio de uma viagem a aeromoca pergunta a um passageiro:
- O senhor aceita um docinho?
- Muito obrigado, mas eu sou diabético.
- Então o senhor aceitaria um suco de laranja?
- Não, laranja tem açúcar e eu sou diabético.
- O senhor quer uma pinga?
- Não, pinga vem da cana, cana tem açúcar e eu sou diabético.
- O que o senhor quer finalmente?
Ele se ergue enclinado e fala no ouvido dela:
- Eu quero seu rabo.
Ela com a maior cara de espanto responde:
- Vou contar do senhor ao comandante.....
- Comandante, aquele senhor disse que queria meu rabo. Então, o que você quer que eu faça?
- Vá lá e dê. Ele é o dono da companhia e nosso emprego está nas suas mãos, ou no seu rabo. Não vá fazer merda...
- Senhor, vamos lá pro fundo do avião que eu lhe darei o que o senhor pediu.
- Agora eu não quero mais.
- Como? Eu vou dar...
- Agora é tarde. Você fez cú doce, e eu sou diabético...

*Publicado por Dhuvi-Luvio 6:19 PM


Os ombros suportam o mundo
(Carlos Drummond de Andrade)

Chega um tempo em que não se diz mais: meu Deus.
Tempo de absoluta depuração.
Tempo em que não se diz mais: meu amor.
Porque o amor resultou inútil.
E os olhos não choram.
E as mãos tecem apenas o rude trabalho.
E o coração está seco.

Em vão batem à porta, não abrirás.
Ficaste sozinho, a luz apagou-se,
mas na sombra teus olhos resplandecem enormes.
És todo certeza, já não sabes sofrer.
E nada esperas de teus amigos.

Pouco importa venha a velhice, que é a velhice?
Teus ombros suportam o mundo
e ele não pesa mais que a mão de uma criança.
As guerras, as fomes, as discussões dentro dos edifícios
provam apenas que a vida prossegue
e nem todos se libertaram ainda.
Alguns, achando bárbaro o espetáculo
prefeririam (os delicados) morrer.
Chegou um tempo em que não adianta morrer.
Chegou um tempo em que a vida é uma ordem.
A vida apenas, sem mistificação.


*Publicado por Dhuvi-Luvio 6:11 PM




*Publicado por Dhuvi-Luvio 5:11 PM





*Publicado por Dhuvi-Luvio 4:58 PM


Refeições energéticas para a recuperação de dependentes

Para os dias de abstinência, depressão, infecção, desidratação e desnutrição, quanto mais precoce e rápido for o aporte de comida e líquidos, mais rápida será a recuperação do dependente viciado em drogase menos intensos serão os sintomas da síndrome de abstinência. A boa hidratação e o aporte energético de comida respondem na íntegra pela recuperação do viciado nessa fase. Se o viciado, estiver consciente e lúcido, e puder engolir, sem problemas, sólidos e líquidos, pode experimentar as receitas energéticas disponíveis no site AntiDrogas (clique aqui). Elas fazem foram retiradas do livro Salvar o Filho Drogado - Dr. Flávio Rotman - 2ª edição - Editora Record. Quer um exemplo?

Sopa de Cebolas: Descasque 5 cebolas médias, fatiando-as em anéis finos. Aqueça 1/4 de xícara de manteiga em uma panela. Junte as cebolas, cozinhando-as em fogo brando até que fiquem macias. Aumente depois o fogo, deixando as cebolas dourarem. Retire a panela do fogo, junte 5 xícaras de caldo de carne, levando para cozinhar novamente durante 30 minutos. Antes de servir, adicione 5 fatias de pão torrado. Cubra a sopa com 1 xícara de queijo parmesão. O sal fica a gosto de cada um. Esta é uma refeição energética, hidratante, rica em selênio. O selênio é um potente antioxidante, que protege as membranas celulares contra possíveis agressões.

(circulando.com)

*Publicado por Dhuvi-Luvio 4:54 PM


A principal mania de Roberto é dizer que não tem manias", brinca Miele. Ele recorda como se fosse hoje o dia em que, preparando o roteiro de mais um show do astro no Maracanãzinho, decidiu incluir no repertório "As Rosas Não Falam", a belíssima canção de Cartola. Já estava tudo certo: Roberto cantaria o clássico acompanhado de um coral de cem integrantes. Só faltava avisar a estrela da festa.

"O Roberto não gostou da idéia", lembra Miele. "Fui até o camarim e ele, sério: 'Pô, bicho, que negócio é esse de dizer que as rosas não falam? Você sabe que eu converso com as minhas plantas, sempre faço isso quando chego em casa'." Miele conta que tentou convencer o cantor, mas só piorou as coisas: "Falei para ele ir para casa e explicar para as rosas que iria cantar uma música com aquele título, mas que continuaria conversando com elas. Ele ficou bravo com a minha brincadeira e a nossa relação ficou estremecida por um tempo, mas depois voltamos a conversar."

*Publicado por Dhuvi-Luvio 4:52 PM




JOSÉ SIMÃO

Buemba! Tô lambendo tampa de Danoninho!

Buemba! Buemba! Macaco Simão Urgente! O braço armado da gandaia nacional. Direto da República da Língua Plesa! Duas notícias abalaram a nação. Essa é bombástica: ''Prótese do seio da ex-BBB Andréa explode''. É o PEITO-BOMBA! Já temos o sapato-bomba, o supositório-bomba e agora o peito-bomba. E essa outra: ''Sheila Melo ajuda deficientes visuais''. Já sei, vai lançar a bunda em braile!

E uma amiga me disse que o sexo na casa dela tá cada dia mais fantástico: uma vez por semana, domingo à noite! E um leitor me disse que sorte do Santos é o Boca ser Júnior: imagine se fosse Sênior. E o chargista Frank, aproveitando a polêmica do boné do MST do Lula, lançou uma campanha: ''Mande um boné pro presidente você também''. É a BONÉCRACIA! E um amigo meu foi a uma conferência do FHC, chegou atrasado e o porteiro falou: ''Favor não fazer barulho''. ''O quê? Já tem gente dormindo?'' Rarará!

E a minha empregada, depois de ver o Ibope, falou: ''Diminuiu a população do Lula''. E a situação tá tão braba que eu já tô lambendo tampa de Danoninho. E um amigo foi comprar uma geladeira e o vendedor perguntou: ''O senhor vai pagar como?''. ''Na Justiça.'' Rarará! E os juros do cheque especial estão a 200%. Então tem que mudar o nome pra cheque ESPACIAL.

E já tem que incluir camisinha na cesta básica: a comida acaba no primeiro dia e aí passa o resto do mês comendo a patroa. É o Come Zero! E um outro me disse que antigamente ele dava uma boiada pra não entrar numa briga, hoje briga por um bife!

E eu já disse que vou estrelar mais um comercial do Vivo: VIVO DURO! E a Heloísa Helena está tão famosa que já tem até site: www.heloisahelena.contra! E diz que o Lula não subsidia mais nada só pra não ter que ouvir o Palófi falar FUBFÍDIO! E o Zé Dirceu diz que não é nenhum deus no governo Lula: ''Juro por mim mesmo que não é verdade''. E o governo FHC foi um grande discurso e o governo Lula é uma grande reunião. Fazem reunião até pra marcar data da reunião!

E a penúltima derradeira final do Bestiário Tucanês. Uma amiga foi comprar apartamento e o corretor disse que o prédio tinha ''gazebo gourmet''. Tucanaram a churrasqueira! Socorro! Tá mais fácil a Heloísa Helena virar patricinha que erradicar o tucanês!

E atenção! Cartilha do Lula. Mais dois verbetes pro óbvio lulante. ''Manutenção'': sustentar o irmão. ''Cutícula'': organização das manicures ligada à CUT. Rarará! Nóis sofre, mas nóis goza. Hoje só amanhã. Que eu vou pingar o meu colírio alucinógeno! É mole? É mole, mas sobe! UFA!

*Publicado por Dhuvi-Luvio 4:49 PM



Boicote contra aumento na telefonia

"O Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) está organizando um protesto para que os consumidores de todo o Brasil façam um boicote à telefonia fixa no próximo dia 10, quinta-feira.

A proposta é que de 12 horas às 14 horas, os consumidores não utilizem seus telefones para ligar nem para receber chamadas, deixando-os fora do gancho, e que durante todo o dia os utilizem o mínimo possível.

Marilena Lazzarini, coordenadora executiva do Idec, explica que a idéia é fazer pressão contra o reajuste, pois as empresas só mudam o comportamento quando sentem os efeitos no próprio bolso:

? O boicote ?Caladão? é só por telefone. Ao mesmo tempo estamos incentivando os consumidores a enviarem cartas ou e-mails pedindo explicações à Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) e às empresas de telefonia.

O Idec também está apoiando um movimento organizado na internet que pretende um boicote aos telefones celulares durante 48 horas no próximo fim de semana (dias 5 e 6). O movimento é para protestar contra aumentos da telefonia celular no início do ano."

*Publicado por Dhuvi-Luvio 4:38 PM





Nome : Dhuvi-Lúvio
Local: Batel-Pr
Email para mim


EM CURITIBA

Links
Antigos

Powered by Blogger
Site Meter