<body>

Deixa com o Beque !!

sexta-feira, agosto 15, 2003


Baureihe W126 1979 - 1991 / S-Klasse

Minha Mercedes-Benz tem um apelido: DONA. Vem logicamente de "Mercedona", pelo seu tamanhozinho...
Pois é, a DONA está frequentando as sessões do AA, para ver se diminui o consumo. Aí vem alguém e diz: - mas como, Mercedes à Álcool ??
- Álcool sim, qual o problema ?? Enquanto o combustível estiver barato e o bolso do Beque estiver vazio, vai ser assim. - Mas não estraga o motor ??
- Sim e Não !! Mas não estou a fim de ficar dando explicações técnicas sobre mecânica. Além do mais eu sou eletrônico !!
Por favor, não me venham com piadinhas infames do tipo : - você entra na DONA pela porta da frente ou pela porta de trás ??

*Publicado por Dhuvi-Luvio 9:30 PM


*Publicado por Dhuvi-Luvio 9:19 PM


*Publicado por Dhuvi-Luvio 9:13 PM







Fiz todos os experimentos possíveis comigo mesmo em busca de encontrar um possível. Claro que seria viável se eu estivesse disposto a ceder muito, muito além daquilo que posso dar, que posso me permitir. Ceder mais do que é o limite é abstrair-se de. Se eu me abstrair serei apenas um não ser, com uma não história e um não prazer (nem desprazer). Não posso seguir o caminho dos que não vêm, dos que não sentem, como se estivesse eu mesmo anestesiado. Eu não tenho controle sobre os que se perdem de si mesmos e dos outros. Continuo sendo o enunciado de mim. Não tenho como renegar tudo o que fui, sou e serei apenas para atender a um nada, a uma abstração egoísta, ainda que, momentaneamente prazerosa. O preço é caro demais. Não sei dizer o que acontece com o córtex demasiadamente anestesiado e o quanto isso fica impregnado de uma espiritualidade rasa (falsa mística, própria dos AA e dos bárbaros), como isso pode traduzir-se no humano. Entretanto, não posso impedir que as pessoas, sentindo-se perdidas, ansiosas e prisioneiras de certa incognoscibilidade participem de um jogo que não é análogico, não é filosófico, não é fruto de nenhum pensamento concreto (nem abstrato). O que eu vejo muita vezes é uma certa dureza marginal, uma certa agressão ao outro não pelo outro, mas como forma de suprir, de aliviar sua própria fraqueza e incapacidade de lidar com o eu mais oculto, mais inconsciente.


*Publicado por Dhuvi-Luvio 7:50 PM





ENLARGE YOUR PENIS
Odisseu Kapyn

Acabou a moleza para o pênis. Nosso órgão não tem mais sossego. Se com a invenção do Viagra ele já teve que dar adeus aos planos de aposentadoria, as coisas ficaram mais duras agora com as idéias e ordens propostas pela avalanche de mensagens que inundam nosso correio eletrônico com a frase “Enlarge your penis now!” e suas variantes em português, em favelês (dialeto brasileiro repleto de erros gramaticais e ortográficos) e em outras técnicas duvidosas de marketing, como o “Faça de seu pênis um PÊNIS”. Os responsáveis por essas propagandas garantem que podem aumentar seu membro sexual entre dois e cinco centímetros. Peraí. Dois centímetros? Meu amigo, pare tudo e pegue uma régua. Já analisou bem o que são dois centímetros? Para que servem dois centímetros a mais de pica? Se você realmente acha que esses dois centímetros vão fazer diferença no status de seu pênis, na verdade sua necessidade deve ser muito maior. É melhor esperar e rezar pelo avanço da ciência no campo dos transplantes penianos. Ou cometer uma loucura e tacar silicone lá no bilau.

Ainda assim, várias pessoas se interessam pelas técnicas miraculosas do aumento peniano. Tenho para mim que esses sujeitos não devem estar abaixo da tal média dos 15 cm. Se tivesse tanta gente assim sofrendo de baixa centimetragem, o movimento nos consultórios de psicanalistas seriam muito maior. E também haveria dezenas de livros de auto-ajuda com o título “Tamanho não é documento” ou “Aprenda a vencer com seu amiguinho”. Deve haver outros motivos que levam o cara a sonhar com mais dois ou cinco centímetros de corpos cavernosos. E tenho certeza que são as razões mais insólitas possíveis. Não me espantaria se alguém dissesse que quer ter mais uns cinco centímetros de carne para demorar mais a ejacular. “Sabe como é. O esperma levaria mais tempo até chegar ao lado de fora”, diria essa pessoa. Ou quem sabe é alguém que quer fazer um agrado à namorada que vive reclamando de suas cuecas velhas. “Vou aumentar o pau para me sentir mais estimulado a comprar cuecas novas, trocando o tamanho delas”. É possível. Ou então pode ser alguém pensando em passar mais tempo nas preliminares. “Veja bem, com um pau maior, vou ter que desenrolar mais a camisinha. É mais tempo que ganho antes da penetração, cara!” . Pois é. Os motivos podem ser os mais incríveis. Até a vontade de estar apto a tatuar o nome da namorada no membro. Não só uma Ana, mas até uma Kelly Christine.

De qualquer forma, não me agrada nada a idéia de colocar o pênis para malhar. E não me venham dizer que sexo e masturbação já são exercícios. Por acaso o pulmão está fazendo esforço quando respiramos? O olho está sofrendo quando levantamos a pálpebra? Que nada. Nossos pênis não encaram o sexo como um sessão de cooper. Nossos amigos lá de baixo vêem essa prática como um joguinho de futebol, uma pelada pra descontrair e depois comentar as jogadas com os amigos. Mas esses manuais prometem novas dimensões ao órgão através de exercícios naturais. Meu irmão, eu não tenho a menor vontade de colocar meu pênis para pedalar numa bicicleta, puxar peso ou fazer um supino. Já não chega o coitado ter que carregar duas bolas pra tudo que é lugar que vai. E sinceramente, para você ganhar dois centímetros, deve haver algum jeito mais fácil. Se você não fez operação de fimose, pode muito bem aplicar botox lá na pelanca. Ganharia uns três centímetros mole mole. Também é possível fazer um recuo de saco, que daria a impressão de volume maior do pênis. Deve poder ser feito com elástico, sei lá. Mas há também boas dicas de moda. É fato que camisas de listras horizontes dão a impressão que a pessoa é mais gorda, enquanto as listras verticais fazem o indivíduo parecer mais alto. Por que não usar preservativos listrados na hora da cópula? Não duvido nada que um dia eles estarão no mercado. E na caixinha estará escrito “Enlarge your penis now”.



*Publicado por Dhuvi-Luvio 7:39 PM




O Poder do Photoshop

*Publicado por Dhuvi-Luvio 7:25 PM




Experiência polêmica lança nova forma de produzir células-tronco

Biólogos chineses conseguiram criar embriões ao introduzir células humanas adultas reprogramadas em óvulos de coelhos previamente esvaziados de seu conteúdo genético. A polêmica experiência resultou na produção de células-tronco (capazes de se transformar em qualquer tipo de tecido) e abriu um novo caminho para a obtenção dessas células.
Os pesquisadores, coordenados por Huizhen Sheng, da Universidade Médica de Xangai, acreditam que essas células poderiam oferecer uma alternativa àquelas obtidas de embriões humanos e ser úteis para tratamentos médicos. Especialistas que analisaram o trabalho, no entanto, afirmam que elas não teriam a mesma capacidade das células-tronco humanas de se multiplicar indefinidamente. O estudo será publicado esta semana no site da “Cell Research”, ligada à Academia Chinesa de Ciências, mas Sheng é motivo de debate na comunidade científica desde o ano passado, quando o “Wall Street Journal” publicou reportagem sobre o início de suas experiências. Muitos especialistas questionam eticamente experiências envolvendo a fusão de células de duas espécies. A pesquisa foi considerada importante porque, até agora, os cientistas só haviam conseguido gerar células-tronco de animais a partir de núcleos reprogramados. Pela primeira vez, eles reprogramaram células adultas humanas para que assumissem um estágio embrionário e gerassem células-tronco que poderiam ser usadas em terapias. — É o primeiro estudo a demonstrar de forma convincente que é possível reprogramar células humanas — afirmou Robin Lovell-Badge, biólogo do Instituto Nacional de Pesquisa Médica de Londres. A pesquisadora chinesa pretende agora testar as células obtidas na experiência em animais. A idéia é verificar se elas serão rejeitadas.

AS CÉLULAS DOS EMBRIÕES DE POUCOS DIAS TÊM A CAPACIDADE DE ORIGINAR TODOS OS ÓRGÃOS E TECIDOS DO ORGANISMO ADULTO. CHAMADAS DE CÉLULAS-TRONCO TOTIPOTENTES, ELAS SÃO ALVO DE UMA SÉRIE DE PESQUISAS MÉDICAS, POIS ACREDITA-SE QUE POSSAM SER USADAS PARA GERAR ÓRGÃOS E TRATAMENTOS PARA DOENÇAS HOJE INCURÁVEIS, COMO DIABETES, MAL DE ALZHEIMER, VARIADAS FORMAS DE CÂNCER E TODAS AS DOENÇAS AUTO-IMUNES.

*Publicado por Dhuvi-Luvio 7:22 PM


quinta-feira, agosto 14, 2003





(Help) I need somebody
(Help) Not just anybody
(Help) You know I need someone
(Help)

When I was younger, so much younger than today
I never needed anybody's help in any way
But now these days are gone
I'm not so self assured
Now I find I've changed my mind
I've opened up the doors

Help me if you can, I'm feeling down
And I do appreciate you being 'round
Help me get my feet back on the ground
Won't you please, please help me

And now my life hand changed in oh, so many ways
My independence seems to vanish in the haze
But every now and then I feel so insecure
I know that I just need you like
I've never done before

Help me if you can, I'm feeling down
And I do appreciate you being 'round
Help me get my feet back on the ground
Won't you please, please help me

When I was younger, so much younger than today
I never needed anybody's help in any way
But now these days are gone
I'm not so self assured
Now I find I've changed my mind
I've opened up the doors

Help me if you can, I'm feeling down
And I do appreciate you being 'round
Help me get my feet back on the ground
Won't you please, please help me, me, me, Oo

*Publicado por Dhuvi-Luvio 7:02 PM





Mamãe camelo mascava umas folhinhas, à toa, quando, de repente, o bebê camelo perguntou:
- Mãe, mãe, posso te perguntar umas coisas?
- Claro, filhinho! O que está incomodando o meu bebê?
- Por que os camelos têm corcova, mamãe?
- Bem, filhinho..., nós somos animais do deserto, precisamos das corcovas para reservar água e gordura e, por isso mesmo, somos conhecidos por sobreviver sem água.
- Ah... tá certo, mãe..., e por que nossas pernas são longas e nossas patas, arredondadas?
- É que, assim, meu filho, elas nos permitem caminhar no deserto. Sabe, com essas pernas eu posso me movimentar pelo deserto melhor do que qualquer um! - disse a mãe, toda orgulhosa.
- E por que nossos cílios são tão longos? De vez em quando eles atrapalham minha visão...
- Meu filho, esses cílios longos e grossos são como uma capa protetora para os olhos. Eles ajudam na proteção dos seus olhos quando atingidos pela areia e pelo vento do deserto!
- Tá, mãe... Então a corcova é para armazenar água enquanto cruzamos o deserto, as pernas longas são para caminhar através do deserto e os cílios são para proteger meus olhos das areias do deserto. Então, que diabos estamos fazendo aqui no Zoológico???

Moral da história: "Habilidade, conhecimento, capacidade e experiências são úteis se você estiver no lugar certo".

Ditado: "Ame o seu trabalho mas não caia de amores por sua empresa, porque você nunca saberá quando ela vai parar de te amar".

*Publicado por Dhuvi-Luvio 6:39 PM




Homem é mais parecido com rato, diz estudo sobre DNA
Por Maggie Fox

WASHINGTON (Reuters) - Uma comparação entre o DNA do ser humano e os de 12 animais mostra que estamos mais próximos dos ratos que dos gatos, disseram cientistas dos Estados Unidos na quarta-feira.
A pesquisa também reforça o argumento de que o "junk DNA" (DNA-lixo) não é nada do que dá a entender seu nome, já que permanece o mesmo em muitas espécies (o que seria um sinal de sua importância).
O estudo ainda reforça a teoria de que os trechos do DNA que chamamos de genes são apenas uma parte do mundo genética.
A equipe de cientistas do Instituto Nacional de Pesquisa do Genoma Humano e de várias outras universidades comparou com o material genético do homem com pedaços de DNA de chimpanzé, babuíno, gato, cachorro, vaca, porco, rato, camundongo, galinha, paulistinha (um tipo de peixe) e duas espécies de baiacu (outro peixe).
Nas pessoas, esse pedaço usado na comparação é a região do genoma onde está o gene CFTR, cuja inatividade provoca a fibrose cística.
"A pesquisa nos dá várias provas de que estamos mais perto dos roedores que dos carnívoros", afirmou Eric Green, diretor do instituto e coordenador do estudo.
"Na sequência dos genes podemos achar mudanças que aconteceram no genoma de homens e de roedores, mas não no dos outros animais."
Essas mudanças estão nas sequências repetitivas de DNA que, até pouco tempo, acreditava-se ser uma parte não utilizada do material genético.
Antigamente achava-se que os genes, pedaços do DNA a partir dos quais se produzem as proteínas, seriam os únicos trechos ativos do material genético. Mas descobriu-se que há outros trechos que controlam os genes e que, talvez, façam até mais que isso.
"Parece que 5 por cento do nosso DNA possui importância funcional. Ocorre que apenas um terço desse total é de genes," disse Green.

*Publicado por Dhuvi-Luvio 6:30 PM


quarta-feira, agosto 13, 2003


Hermann Hesse - (02/07/1877-09/08/1962)

"Os conhecimentos podem ser transmitidos, mas nunca a sabedoria. Podemos achá-la; podemos vivê-la; podemos consentir em que ela nos norteie; podemos fazer milagres através dela. Mas não nos é dado pronunciá-la e ensiná-la."

"Se você odeia alguém, é porque odeia alguma coisa nele que faz parte de você. O que não faz parte de nós não nos perturba."

"Solidão é independência, com ela eu sempre sonhara e a obtivera afinal após tantos anos. Era fria, oh! sim!, mas também era silenciosa e grande como o frio espaço silente em que giram as estrelas."

"O suicida típico pode fazer de sua aparente debilidade uma força e um escudo, o que acontece aliás com certa freqüência: 'Estou curioso por saber até que ponto um homem pode resistir. E quando alcançar o limite do suportável, basta abrir a porta e escapar.' Há muitos suicidas que extraem força extraordinária deste pensamento."

"A alegria e o sofrimento são inseparáveis como compassos diferentes da mesma música."

*Publicado por Dhuvi-Luvio 2:24 PM


*Publicado por Dhuvi-Luvio 2:17 PM


*Publicado por Dhuvi-Luvio 2:04 PM




Dicionário do G


Genealogia -- importância que um descendente dá ao seu ancestral que, por sua vez, nunca se preocupou muito com isso.

Gentileza -- breve prefácio a dez volumes de cobranças.

Gíria -- discurso do indivíduo dotado de memória auditiva que grunhe com a língua o que ele pensa com os ouvidos; em geral ele muito se orgulha como criador ao conseguir realizar o feito de um papagaio.

Glutão -- pessoa que previne os males da moderação com a prática da dispepsia.

Gnósticos -- seita de filósofos que tentou articular uma aliança entre os primeiros cristãos e os platônicos. A aliança fracassou por falta de representantes cristãos na bancada.

Gota -- nome que os médicos dão ao reumatismo de seus pacientes ricos.

Governo -- organização que sempre leva a culpa de tudo e cujos integrantes são os únicos trabalhadores com direito a decidir sobre o próprio salário.

Gravitação -- força de atração que todos os corpos exercem uns sobre os outros determinada pela quantidade de matéria que contêm; esta quantidade de matéria é determinada pela força da atração mútua exercida. Ilustração louvável e edificante de como a ciência usa A para provar B, e B para provar A.

Guilhotina -- instrumento responsável pelo curioso hábito de dar de ombros dos franceses. Não registros desse hábito comum antes da Revolução Francesa.

*Publicado por Dhuvi-Luvio 1:30 PM



*Publicado por Dhuvi-Luvio 11:50 AM




(...) A esperança é assim, imperial, não pede licença, chega ocupando lugar no texto, exigindo que eu fale dela logo hoje, em que teria falado do passado, teria feito balanços, se ela tivesse deixado. Mas não, ela não deixa, quer o texto para si. Ela que chega com seus amigos, trazendo pela mão os projetos e cavalgando soberana o desejo.
Porque a esperança tem vida própria e nos expulsa das cavidades protetoras da memória, ela nos quer recém-nascidos, nos quer inocentes, crédulos, ávidos de luz, de sensações. A esperança quer olhar boquiaberta os fogos de Copacabana e achar que o mundo é assim, essa féerie, essa Via Láctea que escorre lentamente sobre nossas cabeças. A esperança quer abraçar amigos e acreditar que será assim para sempre, um mundo de gente abraçada, de risos e emoções.
É assim que a esperança anuncia que vai visitar aquele lugar do futuro, que viaja nua, deixando caídas no chão as roupas que hoje estão na moda. Leva consigo apenas uma boa dose de otimismo e explica que os otimistas podem vir a se enganar mas os pessimistas já se enganam no ponto de partida.
(...) Ela que, quando um cansaço imenso busca o testemunho da memória para defender renúncias, fundadas decepções, ela, arrogante como é, ciente de sua imortalidade, vira as costas, tapa os ouvidos e da soleira da porta, antes de partir para o futuro, anuncia: "tenho uma boa notícia". E todos olham para ela, porque é ela que todos queremos ouvir, é ela que tem uma voz bonita e sorriso iluminado, é ela que tem bom gosto e que sabe contar histórias.
A boa notícia é sucinta: (...) estamos vivos e partimos hoje para o futuro.


[Rosiska Darcy de Oliveira - A Dama e o Unicórnio, Ed Rocco]

*Publicado por Dhuvi-Luvio 11:41 AM




SOBRETUDO

Não me contento com uma opinião só, com uma rota ou com uma decisão só. Porque a minha cabeça vai e vem e eu preciso agregar outras coisas ao que disse, porque repenso as atitudes e aquilo que me parece tranqüilo num determinado momento, torna-se atormentador demais no dia seguinte. Dia desses escrevi falando de decisões, de reencontros comigo mesmo principalmente. Meu espírito, entretanto, não se contenta com partes em separado, é uno, busca unidade e possibilidade de estar pleno. E para tornar-me pleno preciso caminhar por caminhos sem fim dentro do meu coração e do meu cérebro. Este sempre me dá uma rasteira, assim com Deus dá nos que buscam o desconhecido com arrogância demais. E somos deuses para nós mesmos, todos sabem. Portanto, quando vou além de mim mesmo ou ainda quando me subestimo, achando que me contentarei com determinada atitude percebo que estou traindo não a mim apenas, mas ao meu Deus particular, aquele que fala ao meu espírito e à minha mente. E o que acontece em seguida? O desespero. Não conseguir me situar nem conceitualmente nem estar pleno no campo da convivência desperta terrores noturnos, medos de dormir e de ficar acordado, de agir e não agir. Devo, de uma vez por todas, tomar A Atitude com A maiúsculo já sei, mas ela é tão grande, tão além de uma simples tomada de decisão, tem tantos desvãos, tantas reentrâncias, tantas possibilidades que termina por se perder nos labirintos do cérebro, essa parte física tão propensa a falhas e enguiços.

*Publicado por Dhuvi-Luvio 11:38 AM


*Publicado por Dhuvi-Luvio 11:27 AM


*Publicado por Dhuvi-Luvio 11:22 AM


terça-feira, agosto 12, 2003


*Publicado por Dhuvi-Luvio 6:51 PM


*Publicado por Dhuvi-Luvio 6:08 PM






*Publicado por Dhuvi-Luvio 2:21 PM





Clique e ouça uma rádio muito maneira

*Publicado por Dhuvi-Luvio 2:13 PM



*Publicado por Dhuvi-Luvio 11:00 AM


Trajetória de Roberto Marinho - Folha de S.Paulo
(vale muito a pena ler)

Nenhum brasileiro acumulou tanto poder ao longo do século 20 como o jornalista e empresário Roberto Marinho, criador do maior conglomerado de mídia e entretenimento do Brasil. Seu império começou a ser erguido a partir do jornal "O Globo", herdado do pai, Irineu Marinho, e cresceu sem interrupção ao longo de sete décadas. Com uma fortuna familiar de US$ 1 bilhão, ele consta da lista dos homens mais ricos do mundo elaborada pela revista "Forbes" no ano passado.

A história das Organizações Globo pode ser dividida em três grandes fases. A primeira delas começa em 1925, com o lançamento do "Globo", percorre os anos 30 e 40, com o sucesso das revistas de quadrinhos norte-americanas, e passa pela aquisição da rádio Globo (44). A segunda começa em 1965, quando entra no ar a primeira emissora de TV, que se tornaria porta-voz do regime militar. A terceira começa em meados dos anos 90, quando o grupo abre o capital, investe em novas mídias e dá início ao processo de sucessão de Marinho.

Roberto Pisani Marinho nasceu no Rio de Janeiro no dia 3 de dezembro de 1904. Seus pais -Irineu Marinho Coelho de Barros e Francisca Pisani Barros- tiveram cinco filhos (três homens e duas mulheres). Irineu Marinho foi um jornalista importante do início do século 20. Fundou, em 1911, "A Noite", um jornal de oposição que logo conquistaria a liderança no mercado de vespertinos. Em 29 de julho de 1925, lançou "O Globo", com duas edições diárias e uma tiragem inicial de 33.435 exemplares. Roberto Marinho tinha 20 anos e foi trabalhar com o pai, como repórter e secretário particular. Vinte e um dias depois, Irineu Marinho morreu de infarto, enquanto tomava banho. Instado por sua mãe a assumir a direção do jornal, Roberto Marinho preferiu confiá-la a um colaborador do pai, Euricles de Matos, enquanto continuava seu aprendizado dentro do jornal. Apenas em maio de 1931, quando Euricles de Matos morreu, Roberto Marinho assumiu definitivamente a direção do jornal.
Tinha então 26 anos. Fizera os estudos primários em escolas públicas, depois cursara uma escola profissionalizante e interrompera o curso de humanidades para trabalhar com o pai no "Globo". Não chegou, portanto, a concluir curso superior.

"O Globo" surgiu como um jornal noticioso, em oposição ao jornalismo partidário que ainda se praticava na época, e defensor, simultaneamente, de causas populares e da entrada no país de capital estrangeiro. "O Globo" apoiou o governo provisório instituído pela Revolução de 30 e, em 1932, a Revolução Constitucionalista. Com posição editorial sempre cautelosa, fez do combate ao comunismo uma de suas marcas. O jornal fez restrições ao golpe que gerou o Estado Novo (1937), mas Marinho participou do Conselho do Departamento de Imprensa e Propaganda, responsável pela censura a jornais. Na Segunda Guerra Mundial, "O Globo" foi a favor do rompimento com a aliança da Alemanha, Itália e Japão e tomou posição a favor do fim da ditadura de Getúlio Vargas. Embora o jornal fosse o cartão de visita de Marinho, o crescimento financeiro do grupo se deu por causa da edição de gibis, histórias em quadrinhos norte-americanas e de empreendimentos imobiliários. Em dezembro de 1944, Roberto Marinho comprou a rádio Transmissora, da RCA Victor, e inaugurou sua primeira emissora, a rádio Globo. Com a eleição de Vargas, passou a lhe fazer forte oposição. Em 53, o jornal fez campanha contra a criação da Petrobras. Naquele mesmo ano, a rádio Globo foi franqueada ao jornalista Carlos Lacerda (1914-1977), que a usou para atacar Vargas e os empréstimos do governo a Samuel Wainer (1912-1980) para o lançamento do jornal "Última Hora". Embora o próprio "Globo" tenha se beneficiado de empréstimos oficiais. O suicídio do presidente, em agosto de 54, provocou grande comoção popular, durante a qual duas caminhonetes da rádio Globo e dois caminhões do jornal foram incendiados.

Em 1955, elegeu-se Juscelino Kubitschek (1956-61), a quem Marinho fez oposição moderada e de quem ganhou a primeira estação de TV, a Globo do Rio. Na eleição seguinte, apoiou Jânio Quadros, mas em seguida discordou de sua política externa e se decepcionou com a renúncia, em 1961.Ele inicialmente foi tolerante com o sucessor de Jânio, João Goulart (PTB), mas logo passou a conspirar para derrubá-lo. Colocou seus veículos à disposição da oposição e apoiou o golpe militar de 1964. No entanto, foi durante o governo de João Goulart que Roberto Marinho ganhou sua segunda concessão de TV, a Globo de São Paulo.

As Organizações Globo, "integradas no processo revolucionário", deram seu total apoio aos governos que se estabeleceram a partir de 64. Sob o regime militar, Marinho deu um salto decisivo na expansão de seus negócios ao inaugurar, em abril de 65, a TV Globo do Rio. Seu jornal estava entre os mais vendidos na cidade e a rádio era líder de audiência. A TV Globo se firmou rapidamente por três razões: um acordo financeiro e operacional com o grupo norte-americano Time-Life, a colaboração com o regime militar e o declínio das TVs Tupi e Excelsior. O acordo com o grupo Time-Life (injeção do equivalente hoje a US$ 25 milhões, mais assessoria técnica e comercial) recebeu inúmeras críticas, porque Marinho ignorou o artigo 160 da Constituição de 1946, que vetava a participação acionária de estrangeiros em empresas de comunicação. O relatório da Comissão Parlamentar de Inquérito criada para investigar o acordo concluiu que a Constituição fora de fato desrespeitada, mas o procurador-geral da República, em 67, e o presidente Artur da Costa e Silva, em 68, decidiram que a operação havia sido legal. A TV Globo conquistou os cariocas no verão de 1966, quando fez com exclusividade a cobertura ao vivo das enchentes que deixaram dezenas de mortos e feridos no Rio. A idéia da cobertura ao vivo foi do executivo Walter Clark (1936-1997), que viria a implantar, nos anos 70, o famoso "padrão Globo de qualidade". A "lua-de-mel" da emissora com o público duraria até 82, quando a Globo foi identificada com a tentativa de impedir a vitória de Leonel Brizola para o governo do Rio, no episódio conhecido como Caso Proconsult. Roberto Marinho teve grandes adversários, como Assis Chateaubriand (1892-68), Carlos Lacerda, Samuel Wainer. Brizola foi outro desafeto de décadas. Em 15 de março de 94, o locutor Cid Moreira leu, no Jornal Nacional, texto de Brizola, que ganhou na Justiça um direito de resposta. "Tudo na Globo é tendencioso e manipulado", teve de afirmar o locutor. A TV Globo ficou associada ao regime autoritário por ter sido porta-voz dos militares e por ter crescido naquele período. As empresas jornalísticas do grupo se adaptaram às regras impostas pelos governantes: o noticiário político desapareceu e o econômico fazia eco aos "milagres" de Delfim Netto e sucessores. Caso célebre de colaboração foi "Amaral Neto, o Repórter", programa em que supostos documentários ajudavam a construir a imagem positiva do regime. Em 1972, o então presidente Emílio Médici chegou a afirmar: "Sinto-me feliz todas as noites quando assisto ao noticiário. Porque, no noticiário da TV Globo, o mundo está um caos, mas o Brasil está em paz". Esse tipo de procedimento tendencioso acabou permeando o conteúdo editorial dos veículos de Marinho até a década de 80, já no correr do processo de transição democrática. Em 1983, Roberto Marinho começou a mudar os rumos de seus compromissos políticos. Naquele ano, ele informou ao presidente João Baptista Figueiredo (1979/ 85) que daria apoio a um projeto que previsse a alternância de poder no governo federal. Mas, no primeiro semestre de 1984, a Rede Globo ignorou completamente as manifestações populares em favor de eleições diretas para presidente da República. Somente a partir do comício da Candelária, no Rio, quando a campanha já tinha se consolidado e eram grandes as pressões e as hostilidades contra a emissora, a TV transmitiu reportagem completa, ao vivo. Com a derrota das Diretas-Já, a disputa pela sucessão de Figueiredo foi para o Colégio Eleitoral. Marinho passou, então, a apoiar a candidatura moderada de Tancredo Neves (PMDB) contra Paulo Maluf (PDS). Tancredo foi eleito pelo voto indireto, mas morreu antes de tomar posse. Roberto Marinho manteve sua influência no governo herdado por José Sarney (1985/90): nomeou os ministros Leônidas Pires Gonçalves (Exército) e Antonio Carlos Magalhães (Comunicações) e influiu na escolha de titulares da área econômica, como Maílson da Nóbrega. Com Sarney, a família Marinho conseguiu mais quatro concessões de TV. A imagem politicamente antipática do grupo nasceu durante o governo militar e se cristalizou no início da década de 80, quando se acelerou o processo de redemocratização. Casos como as coberturas parciais e enviesadas das greves dos metalúrgicos do ABC (79), da eleição para o governo do Rio de Janeiro (82), a relutância na cobertura da campanha das Diretas-Já (83/84), a polêmica edição do debate entre os candidatos a presidente Fernando Collor e Lula (89) marcaram não só a imagem da emissora como de todo o grupo de Marinho. O slogan "O povo não é bobo, abaixo a Rede Globo" vem, desde então, sendo repetido em diversos episódios históricos. Na eleição presidencial de 89, Marinho apoiou Fernando Collor de Mello. O segundo turno foi disputado por Collor e Lula. O último debate foi transmitido ao vivo pela Globo. Mas, no "Jornal Nacional", a emissora apresentou uma edição do debate francamente favorável a Collor, que teve um minuto e 12 segundos a mais de tempo de exposição. Era uma evidência da parcialidade da emissora. Collor e Marinho se entenderam até agosto de 92, quando a campanha pela destituição do presidente já tinha sido encampada por toda a sociedade. Em 1994 e 1998, Roberto Marinho apoiou a candidatura de Fernando Henrique Cardoso. A partir de 1995 as Organizações Globo iniciaram um processo de reconstrução de sua própria imagem. A TV Globo, que então completava 30 anos, mudou a orientação jornalística, em busca de um noticiário mais isento e despolitizado, e inaugurou o Projac (Projeto Jacarepaguá), maior complexo de estúdios, auditórios e produção televisiva da América Latina. A construção do Projac, aliás, foi cercada de polêmica porque o empreendimento recebeu empréstimo de US$ 38 milhões da Caixa Econômica Federal, operação que contrariou parecer técnico da CEF e que foi questionado na Justiça. A partir de 1995, passou a ficar mais nítida a dificuldade enfrentada pela emissora para manter os mesmos índices de audiência e sua liderança em horários estratégicos. Vencido pela idade, Roberto Marinho foi participando cada vez menos das atividades de suas empresas. Em depoimento gravado no final de 2000, a memória já estava fraca e seletiva, fixada apenas em "O Globo", o vespertino de Irineu Marinho que deu origem ao império.


*Publicado por Dhuvi-Luvio 10:56 AM


*Publicado por Dhuvi-Luvio 10:47 AM


segunda-feira, agosto 11, 2003





- Maria tinha 50 anos, nunca tinha cuidado da beleza quando subitamente, sofreu um acidente. Entrou em coma. Todo mundo achou que ela ía morrer. No vigésimo dia do coma, acordou na UTI. Quanto entendeu o que tinha acontecido e que, tinha sobrevivido, resolveu fazer uma plástica geral, tudo, começar vida nova. Lipoaspiração, liposescultura, implante de silicone, plástica no rosto, botox, pintou os cabelos de loiro, etc.

Teve alta do hospital sentindo-se a coisa mais linda do mundo, toda vamp, achando que tinha 30 anos a menos.
Assim que pagou a conta, saiu do prédio e.. bum!
Foi atropelada por um caminhão e morreu. Maria ficou Puta da vida. Chegou no céu, pediu audiência com Deus e já foi xingando:
- Caceta!! eu sobrevivo a um coma, fico linda, toda gostosa, e quando eu vou começar a aproveitar meu corpo novo você me faz morrer!!! Que sacanagem é essa???

E Deus, responde:
- Desculpe Maria! Juro que não te reconheci!!

*Publicado por Dhuvi-Luvio 10:58 AM






Um senador está andando tranqüilamente quando é atropelado por um
caminhão e morre. A alma dele chega ao Paraíso e dá de cara com São Pedro na
entrada.
- Bem-vindo ao Paraíso! - diz São Pedro - Antes que você entre, há um probleminha. Raramente vemos parlamentares por aqui, sabe, então não sabemos bem o que fazer com você.
- Não vejo problema, é só me deixar entrar - diz o antigo senador.
- Eu bem que gostaria, mas tenho ordens superiores. Vamos fazer o seguinte: você passa um dia no Inferno e um dia no Paraíso. Aí, pode escolher onde quer passar a eternidade.
- Não precisa, já resolvi. Quero ficar no Paraíso - diz o senador.
- Desculpe, mas temos as nossas regras. Assim, São Pedro o acompanha até o elevador e ele desce, desce, desce até o Inferno. A porta se abre e ele se vê no meio de um lindo campo de golfe.
Ao fundo ele vê o clube na frente do qual estão todos os amigos dele e outros políticos que haviam trabalhado com ele. Todos muito felizes em traje social. Ele é cumprimentado, abraçado e eles começam a falar sobre os bons tempos em ficaram ricos às custas do povo. Jogam uma partida descontraída e depois comem lagosta e caviar. Quem também está presente é o Diabo, um cara muito amigável que passa o tempo todo dançando e contando piadas. Eles se divertem tanto que, antes que ele perceba, já é hora de ir embora. Todos
se despedem dele com abraços e acenam enquanto o elevador sobe. Ele sobe, sobe, sobe e porta abre outra vez. São Pedro está esperando por ele.
- Agora é a vez de visitar o Paraíso. Ele passa 24 horas junto a um grupo de almas contentes que andam de nuvem em nuvem, tocando harpas e cantando.
Tudo vai muito bem e, antes que ele perceba, o dia se acaba e São Pedro retorna.
- E aí? Você passou um dia no Inferno e um dia no Paraíso. Agora escolha a sua casa eterna. Ele pensa um minuto e responde:
- Olha, eu nunca pensei, mas... O Paraíso é muito bom, mas eu acho que vou ficar melhor no Inferno. Então São Pedro o leva de volta ao elevador e ele desce, desce, desce até o Inferno.
A porta abre e ele se vê no meio de um enorme terreno baldio cheio de lixo.
Ele vê todos os amigos com as roupas rasgadas e sujas catando o entulho e colocando em sacos pretos. O Diabo vai até ele e passa o braço pelo ombro do senador.
- Não estou entendo - gagueja o senador - ontem mesmo eu estive aqui e havia
um campo de golfe, um clube, lagosta, caviar, e nós dançamos e nos divertimos o tempo todo. Agora só vejo esse fim de mundo cheio de lixo e meus amigos arrasados. O Diabo olha pra ele, sorri e diz:
- Ontem estávamos em campanha. Agora já conseguimos seu voto!

*Publicado por Dhuvi-Luvio 10:23 AM


domingo, agosto 10, 2003




Luz Dos Olhos
(Nando Reis)

Ponho o meus olhos em você, sem você estar
Dona dos meus olhos é você, avião no ar
Um dia pra esses olhos sem te ver, é como chão do mar
Liga o radio a pilha, a TV, só pra você escutar
A nova musica que eu fiz agora
Lá fora a rua vazia chora

Os meus olhos vibram ao te ver são dois fãs, um par
Luz nos olhos vidros pra poder, melhor te enxergar
Luz dos olhos para anoitecer, é só você se afastar
Pinta os lábios para escrever, a tua boca em mim
Que a nossa musica eu fiz agora, lá fora a lua irradia a gloria

E eu te chamo, eu te peco vem
Diga que você me quer, porque eu te quero também
Faço as pazes lembrando
Passo as tardes tentando lhe telefonar
Cartazes te procurando
Aeronaves seguem posando sem você desembarcar
Pra eu te dar a mão nessa hora
Levar as malas pro fusca lá fora

E eu vou guiando, eu te espero vem
Siga onde vão meus pés, porque eu te sigo também
Eu te amo, eu te peço vem
Diga que você me quer, porque eu te quero também


*Publicado por Dhuvi-Luvio 3:31 PM





Nome : Dhuvi-Lúvio
Local: Batel-Pr
Email para mim


EM CURITIBA

Links
Antigos

Powered by Blogger
Site Meter