<body>

Deixa com o Beque !!

sábado, agosto 30, 2003



Poesia erótica
Walt Whitman

Uma mulher espera por mim, ela tudo contém, nada falta. No entanto, tudo ficou faltando se o sexo faltou, ou se o orvalho do varão certo estivesse faltando. O sexo contém tudo, corpos, almas, significados, experiências, purezas, delicadezas, resultados, promulgações, canções, mandamentos, saúde, orgulho, o mistério da maternidade, o leite seminal, todas as esperanças, benefícios, doações, todas as paixões, amores, belezas, deleites da terra, todos os governos, juízes, deuses seguiram pessoas da terra. Estes estão contidos no sexo como partes de si mesmo e justificativas de si mesmo. Sem pejo a mulher de quem eu gosto conhece e assegura a delícia do seu sexo, sem pejo a mulher de quem eu gosto conhece e assegura as suas. Agora vou dispensar-me de mulheres frias, vou ficar com ela que espera por mim e com aquelas mulheres que são apaixonadas e me satisfazem. Vejo que me compreendem e não me negam, vejo que são dignas de mim, serei o marido vigoroso de tais mulheres. Elas não são em nada menos do que eu, têm a face curtida por sóis luzentes e o sopro dos ventos. A sua carne possui a velha divina maleabilidade e energia, sabem como nadar, remar, cavalgar, lutar, atirar, correr, golpear, recuar, avançar, resistir, defenderem-se, são irrevogáveis quanto a seus direitos - são calmas, claras, seguras de si próprias. Trago-as para perto de mim, vocês mulheres, não posso deixá-las ir, faria bem a vocês, estou para vocês e vocês estão para mim, não apenas para o nosso bem, mas para o bem de outros, envoltos em vocês adormecem os maiores heróis e bardos, recusam-se a despertar ao toque de qualquer homem, a não ser eu. Sou eu, mulheres, faço meu caminho, sou duro, amargo, grande, indissuadível, mas amo-as, eu não as faço sofrer além do necessário para vocês, eu verto a substância para encetar filhos e filhas aptos para tê-los, pressiono com o músculo rude e lento. Eu me abraço efetivamente, não escuto súplicas, não ouso me afastar até que deposite o que, há muito, estava acumulado dentro de mim. Através de vocês faço escoar os reprimidos rios de mim mesmo, em vocês contenho mil lágrimas progressivas, sobre vocês eu enxerto os enxertos do mais amado de mim e do mundo,
os pingos que destilo sobre vocês farão crescer moças impetuosas e atléticas, novos artistas, músicos e cantores. As crianças que eu gerar sobre vocês hão de gerar crianças
por sua vez, hei de exigir homens e mulheres perfeitos do meu consumir amoroso. Espero que eles se interpenetrem com outros, como eu e vocês nos interpenetramos agora,
Vou contar os frutos das ejeções abundantes deles, assim como conto os frutos das ejeções abundantes que eu agora dou. Vou aguardar as colheitas de amor, desde o nascimento, vida, morte, imortalidade, do que planto tão amorosamente agora.

*Publicado por Dhuvi-Luvio 8:25 PM




Inverno
(Adriana Calcanhoto e Antonio Cícero)

No dia em que fui mais feliz
Eu vi um avião
Se espelhar no seu olhar até sumir
De lá pra cá não sei
Caminho ao longo do canal
Faço longas cartas pra ninguém
E o inverno em Ipanema é quase glacial
Há algo que jamais se esclareceu
Onde foi exatamente que larguei
Naquele dia mesmo
O leão que sempre cavalguei ?
Lá mesmo esqueci
Que o destino
Sempre me quis só
No deserto sem saudade, sem remorso só
Sem amarras, barco embriagado ao mar
Não sei o que em mim
Só quer me lembrar
Que um dia o céu
Reuniu-se a terra um instante por nós dois
Pouco antes do ocidente se assombrar




Clique aqui para ouvir essa música

*Publicado por Dhuvi-Luvio 7:57 PM




The Fool On The Hill
(Lennon-Mcartney)

Day after day alone on the hill
The man with the foolish grin
is keeping perfectly still
But nobody wants to know him
They can see that he's just a fool
And he never gives an answer

But the fool on the hill
sees the sun going down
And the eyes in his head
See the world spinning round

Well on the way, his head in a cloud
The man of a thousand voices
is talking perfectly loud
But nobody ever hears him
Or the sound he appears to make
And he never seems to notice

But the fool on the hill
sees the sun going down
And the eyes in his head
See the world spinning round

Oh, round, round, round, round, round
And nobody seems to like him
they can tell what he wants to do
And he never shows his feelings

But the fool on the hill
sees the sun going down
And the eyes in his head
See the world spinning round

Oh, round, round, round, round, round
And he never listen to them
He knows that they're the fools
But they don't like him

The fool on the hill
sees the sun going down
And the eyes in his head
See the world spinning round

*Publicado por Dhuvi-Luvio 5:52 PM



sexta-feira, agosto 29, 2003




Vejam
aqui a foto-seqüência do Globo com a tortada que o co-presidente da Alca levou na cara. É muito engraçado ! O cinegrafista com certeza estava mancomunado com o pessoal dos "confeiteiros sem fronteira", aliás esse nome é do caralho !!

*Publicado por Dhuvi-Luvio 5:20 PM




O que todas as MULHERES querem:

- Um Deus que as acuda
- Mais tempo
- O antirrugas miraculoso
- A depilação indolor
- O sétimo sentido
- Uma carreira invejável
- A certeza de que não vai virar uma velha gorda
- Um homem que não a acuse de exagerar reações
- Uma costureira a domicílio
- Falar francês
- Um passaporte estrangeiro
- Salário de homem
- Não se sentir compelida a preencher os silencios de uma conversa
- Ficar bem de cabelos molhados
- Um batom que dure oito horas
- Um plano de saúde que cubra limpeza de pele
- Seguraça
- Um refúgio
- Acordar com bom hálito
- Romance eterno, mesmo depois de 20 anos de casada
- Lembrar de piadas
- Um corpo que não precise de ginástica
- A garantia que os filhos serao psicologicamente ajustados
- Aprender a fazer malas
- A cura da celulite
- Receber longas cartas de velhos amigos
- Um guru de plantão
- Uma lipo
- O anticoncepcional sem contra-indicações
- Jantares dançantes
- Mais horas de sono
- Que a tarifa do telefone celular seja equiparada à do comum
- Uma fada madrinha
- O centro das atenções
- A dieta definitiva
- A última palavra.


O que todos os HOMENS querem:


- Saber o que tem para jantar
- Uma secretária avessa a filhos
- Um engraxate que atenda no escritório
- A cura da calvice
- Uma mulher sem passado
- Ter um futuro pela frente
- Ganhar presentes
- Pilotar uma Ferrari em Monza
- Um despertador carinhoso
- A vacina contra o infarto
- Jamais ter de pedir perdão
- Colo
- Um irmão advogado
- Experimentar o gosto do poder
- A volta do sexo seguro
- Entender o que Richard Gere tem de mais
- Ter o que Richard Gere tem de mais
- Uma herança surpresa
- Dar três sem falhar
- Exibir um passado cheio de traquinagens
- A pílula que acelere o crescimento da barba
- Aprender a reagir diante de lágrimas femininas
- Não ter que dar satisfação
- Trabalhar meio período
- Um helicóptero
- O vigor dos 20, a tarimba dos 40 e o saldo bancário dos 60... tudo isso aos 35 anos
- Morrer sem chifres
- Entender de vinhos
- Um chuveiro que lembre Foz de iguaçu
- A posse do controle remoto da TV
- Impor respeito sem o menor esforço
- Ganhar em dólares
- Se safar do exército
- Não se sentir compelido a trocar o pneu de uma mulher
- Distância de fraldas sujas
- Uma caixa de ferramentas
- Um sofá depois do almoço, enquanto a mulher limpa tudo
- O sexto sentido
- Não sentir remorso por não fazer nada em casa, a não ser encher o saco da mulher e dos filhos
- Ser o cabeça do casal

*Publicado por Dhuvi-Luvio 5:14 PM




DIÁRIO DE UMA MULHER CASADA

Dia 1
Celebramos hoje nosso 25º aniversário de casamento. Tentamos reviver a lua-de-mel, mas ele não conseguiu.

DIA 2
Hoje, ele me contou o seu grande segredo: está impotente! Grande novidade. Ele, realmente, pensava que eu ainda não sabia.

DIA 3
Este casamento vai mal. Uma mulher tem as suas necessidades...

DIA 4
Estou entusiasmada. Li no jornal, que há uma nova droga no mercado, que pode resolver nosso problema. Chama-se Viagra! Ele vai substituir o Prozac pelo Viagra, na esperança que levante algo mais, além do entusiasmo.

DIA 5
Uma bênção dos céus!!!

DIA 6
A vida e maravilhosa!!!

DIA 7
Tenho de confessar: o Viagra que tem sido muito bom!!! Nunca fui tão feliz!!!

DIA 8
Acho que ele exagerou na dose de Viagra neste fim de semana. Já começo a ficar um pouco dolorida nas partes baixas...

DIA 9
Não tenho tempo para escrever... Ele pode me pegar...

DIA 10
Ok, admito, estou escondida! É que não há mulher que agüente tanto!!! O que hei de fazer? Estou toda moída...

DIA 11
EU JÁ NÃO AGÜENTO MAIS!!! É o mesmo que ir para a cama com uma furadeira Black & Decker! Acordei, esta manhã, colada aos lençóis!!!

DIA 12
Quem me dera que ele fosse viado... Deixei de me maquiar, tomar banho, escovar os dentes. Mas, mesmo assim, ele vem atrás de mim. Até bocejar se transformou num perigo!!

DIA 13
Cada vez que fecho os olhos, lá vem mais um ataque...Vivo com um míssil Scud! Mal consigo andar...

DIA 14
Já fiz de tudo para ele me deixar em paz, mas não adianta... Até já me vesti de freira, mas ainda foi pior. Ih, ele chegou... SOCORRO!!!

DIA 15
Vou acabar por matá-lo...São umas dores infernais quando me sento... O cão e o gato fogem dele e os amigos nem se atrevem a aparecer aqui em casa...

DIA 16
Hoje, sugeri-lhe que largasse o Viagra e voltasse a tomar o Prozac. Ele quase me bateu!!!

DIA 17
Coloquei Prozac na caixa do Viagra, mas parece que não fez efeito. Lá vem ele outra vez!!!

DIA 18
O Prozac começou, finalmente, a fazer efeito! Meu marido passa, agora, o dia inteiro sentado em frente à TV, com o controle remoto na mão, esperando que eu lhe faça tudo...Ah! Que vida calma e maravilhosa...

*Publicado por Dhuvi-Luvio 5:10 PM


*Publicado por Dhuvi-Luvio 4:36 PM











*Publicado por Dhuvi-Luvio 12:40 PM




BOMBA-RELÓGIO

A brisa que sempre me refrescou agora me mata
Entra mole pelo buraco da fechadura, infesta
Traz consigo a frieza da morte, ou seria o frescor ?
Invade o quarto como uma forte luz sem sombras
Domina todo o espaço parecendo inflar a cada instante
Lãs, flanelas, edredons e cobertores são insuficientes
O chumbo e o aço também não resistiriam à pressão
Imagina então meus pobres poros !

Por dentro ainda me sinto quente, um resto de alma, talvez
O sangue muda de tamanho e cor, agora parece ungüento
Um dia eu fui um rapaz moreno, com um forte propósito
Aquele sorriso beneficente e um olhar misterioso, vivo
Ainda me sinto. Embora o amor não passe mais por aqui
Hoje nem mesmo o sol deu bom-dia. É assim meu hoje !
Por quem este coração ainda haveria de bater ? Para quê ?
Bombear e bombear. Tempo ao tempo. Bomba-relógio.



*Publicado por Dhuvi-Luvio 12:20 PM









Renato Mauricio Prado


O DRAMA DE GUGA

Desde o meu papo com Juca Kfouri, no “CBN Esporte Clube” de quarta-feira, a triste história não me sai da cabeça. Falávamos sobre a má fase de Guga quando, voz consternada, Juca me contou do drama pessoal do tenista: seu irmão caçula, Guilherme, que é excepcional, enfrenta nova e grave crise de saúde e seu irmão mais velho, Rafael, teve gêmeos, também excepcionais. Não sei exatamente quando piorou o estado de Guilherme (que sofre de paralisia cerebral e microcefalia), mas os dois meninos de Rafael e Letícia têm aproximadamente um ano — e até hoje nunca tinha se falado deles. Sabe-se agora que nasceram com problemas, que alguns dizem ser genéticos, mas outros atribuem a dificuldades na hora do parto — provocando falta de oxigenação e conseqüentes danos nos cérebros. Um drama familiar deste porte é suficiente para abalar piscologicamente qualquer um. Ainda mais quando se trata de alguém sensível e tão ligado à família como Guga, que, segundo se diz, a cada viagem tem passado mais tempo ao telefone, para saber notícias do irmão e dos sobrinhos. Agora dá para entender a irritação, a falta de concentração e até o cansaço (por vezes muito mais mental que físico) que o têm acometido, impedindo-o de jogar tênis como nos melhores tempos. Pode ser até que as razões para a queda do nível de jogo de Guga não se restrinjam ao seu drama pessoal. Pode ser mesmo que, depois da cirurgia no quadril, ele nunca mais volte a jogar como antes. Mas haja o que houver daqui pra frente, uma coisa é indiscutível e deve ser sempre ressaltada: ainda que não ganhe mais absolutamente nada, Gustavo Kuerten já faz parte do seleto rol dos nossos grandes campeões esportivos em todos os tempos. Com os seus 18 títulos (entre eles o tricampeonato em Roland Garros e a Copa do Mundo de 2000) e 43 semanas como número 1 do ranking mundial, Guga se transformou num ídolo do porte de Ronaldinho, Romário e Zico no futebol; Emerson Fittipaldi, Nelson Piquet e Ayrton Senna na F-1; Adhemar de Oliveira e João do Pulo no atletismo; e Oscar, Hortência e Paula no basquete. Isto posto e diante da dimensão de seu drama pessoal, o mínimo que se pode pedir é respeito, compreensão e solidariedade. Força, campeão!

Mulher de fibra, Alice Kuerten enfrenta mais uma armadilha do destino. Primeiro foi a doença do filho caçula, depois a morte precoce do marido Aldo — aos 41 anos, de infarto — e agora, o novo drama, no nascimento dos gêmeos, seus dois primeiros netos. Dona Alice é vice-presidente da APAE — Associação dos Pais e Amigos dos Excepcionais — e presidente do Instituto Guga Kuerten, criado para ajudar o esporte e os excepcionais. Por mais duro que seja, ninguém, como ela, parece ter tanta força para enfrentar tais provações da vida.

*Publicado por Dhuvi-Luvio 11:28 AM



quinta-feira, agosto 28, 2003





Ferrari culpa Barrichello por acidente na Hungria

RIO - A culpa é de Rubens Barrichello. Essa foi a conclusão que a Ferrari chegou para o acidente sofrido pelo brasileiro no GP da Hungria, realizado no último domingo em Hungaroring, Budapeste. No começo da volta de número 20, a suspensão traseira esquerda do carro de Rubinho simplesmente se quebrou, voando junto com o pneu.
Para a equipe italiana, uma manobra errada do brasileiro teria provocado a fadiga do triângulo que prende a suspensão e, obviamente, a roda ao carro. Barrichello teria passado com muita força por cima da zebra entre as voltas 6 e 7. Então, uma freada também brusca na volta 20 acabou por provocar a quebra do material.
Veja o comunicado emitido pela Ferrari em seu site oficial.

"Após uma acurada análise dos dados disponíveis e depois de estudar o vídeo-tape do GP da Hungria, a Ferrari chegou à conclusão da causa mais provável para o acidente de Rubens Barrichello. Quando o carro que o precedia (no caso, a Williams do colombiano Juan Pablo Montoya) chegou perto demais, Barrichello atingiu a zebra por duas vezes em um ângulo não muito comum entre as voltas de número seis e sete. O impacto causou uma pressão excessiva no triângulo da suspensão traseira esquerda. Depois de uma forte freada na reta no começo da volta 20, essa parte cedeu".

Simplesmente ridículo, quer dizer que um fórmula 1 não pode passar em zebras. Eles não devem ter visto a corrida, todos os carros faziam a mesma trajetória... Outra palhaçada desse Jean Todt, francês filho-da-puta !!

*Publicado por Dhuvi-Luvio 12:12 PM


*Publicado por Dhuvi-Luvio 12:05 PM





*Publicado por Dhuvi-Luvio 11:20 AM



quarta-feira, agosto 27, 2003









Clique na figura para ver os desenhos do maior gênio da história : Leonardo da Vinci

*Publicado por Dhuvi-Luvio 3:27 PM


*Publicado por Dhuvi-Luvio 3:20 PM




Ex-bombeiro americano conta como foram últimas horas de vida de Sérgio Vieira de Mello

BAGDÁ - Durante três longas e agonizantes horas, o sargento americano William Von Zehle tentou salvar o brasileiro Sérgio Vieira de Mello, chefe da missão da ONU no Iraque, que estava preso sob quilos concreto e ferro retorcido, restos do que era seu escritório na sede da ONU em Bagdá.

Von Zehle foi um dos primeiros militares americanos a chegar ao quartel-general da organização, minutos depois de um caminhão-bomba explodir sob a janela do escritório de Vieira de Mello, matando 23 pessoas e ferindo mais de cem. Sem saber nada sobre a vítima além de seu primeiro nome, o americano lembra que estava a um braço de distância do brasileiro, contou ele à rede CNN. Ele lembrou que em momento algum, mesmo em suas últimas horas, o brasileiro mencionou que era Sérgio Vieira de Mello, funcionário veterano da ONU e o homem escolhido pelo secretário-geral da organização, Kofi Annan, para liderar a missão no Iraque.
- Sérgio, Sérgio! Fique comigo! Não durma. Você está indo bem - gritava ele.

Von Zehle, um bombeiro aposentado de 52 anos de Connecticut, lutava contra o tempo e a falta de equipamentos para chegar até Vieira de Mello por um buraco. Para abrir caminho em meio aos escombros, retirava pedra por pedra com uma ferramenta improvisada: uma bolsa de mulher presa a uma corda de cortina. O ex-bombeiro lembra que durante todo o tempo conversava com Vieira de Mello para mantê-lo consciente. O brasileiro lhe contou sobre sua vida, sua mulher, seus dois filhos e sua casa no Brasil.
Preso, pendurado de cabeça para baixo, com ossos quebrados e provavelmente com hemorragia interna, Vieira de Mello perguntava: - Como estão todos? Há quantas pessoas feridas? Você pode me dizer o que aconteceu? - lembra Von Zehle. - Eu pensava: ele está todo ferido e está pensado nos outros? - disse o ex-bombeiro.
Ele lembra que deu morfina para diminuir a dor do brasileiro, enquanto outro médico militar tentava salvar um homem chamado Gil, preso pouco acima de Vieira da Mello.
- Aqui não era seguro, o tempo estava contra nós - disse Von Zehle, acrescentando que o tempo todo temia que a montanha de escombros ruísse.
À medida que o tempo passava, a voz de Vieira de Mello ficava mais fraca e sua fala menos coerente. Quando as equipes de resgate conseguiram libertar um homem que estava em cima dele, o brasileiro se silenciou. Seu coração ainda batia, mas ele estava inconsciente. Pouco depois, Vieira de Mello morreu.
- Eu venho fazendo isso há 31 anos e mas dessa vez me senti pior do que em qualquer outra ocasião - disse Von Zehle. - Por causa da frustração de não ter o equipamento que nós precisamos para fazer o trabalho correto. Horas mais tarde, quando assistia em uma TV via satélite a uma reportagem sobre Vieira de Mello, foi que Von Zehle percebeu quem era o homem que ele tentara salvar.
- Eu me senti ainda pior por causa do que eles estavam dizendo. O secretário-geral (da ONU) falava sobre os anos dele (Vieira de Mello) dedicados ao serviço e eu pensava na perda que é ter alguém como ele sendo levado no vigor de seus anos - disse Von Zehle.

Foi nesse momento que o americano sentiu 'uma obrigação moral' de escrever uma carta para o secretário-geral da ONU, Kofi Annan, contando-lhe as últimas palavras de Vieira de Mello. Rapidamente, em um esforço de memória para lembrar-se ao máximo a seqüência dos fatos, ele escreveu uma página e a entregou a um representante local da ONU.- Eu pensei que talvez a família e o secretário-geral gostariam de saber como ele foi um cavalheiro até o fim - disse ele.

O americano disse que não poderia revelar à imprensa o último pedido feito por Vieira de Mello por sentir que estaria traindo a confiança do brasileiro. Dias depois, numa cerimônia no aeroporto internacional de Bagdá, o diretor do programa Petróleo-por-Comida da ONU, Benon Sevan, citou a carta de Zehle a Annan.
- Mesmo sob a dor mais extrema, preso nos escombros de seu escritório, ele disse ao sargento Von Zehle, que tentava resgatá-lo: 'Não deixe que eles retirem a missão'.
No velório de Vieira de Mello no Rio, no sábado, Annan novamente fez referência às palavras na carta de Zehle, dizendo que o último desejo do brasileiro era que a ONU continuasse no Iraque:

- Respeitemos isso. Deixe que Sérgio, que deu sua vida nessa causa, encontre seu memorial num Iraque livre e soberano.

*Publicado por Dhuvi-Luvio 3:15 PM




O cantor e compositor carioca ROGERIO SKYLAB iniciou oficialmente sua carreira, lançando em 1992 seu primeiro disco solo: “FORA DA GREI”. O disco, independente, teve boa acolhida da crítica. No “Juri B”do Jornal do Brasil, durante o mês de agosto, foi a grande zebra, colocado entre os dez melhores lançamentos do mês, ao lado de Sonic Youth que conquistou o disco do mês com o álbum duplo “Dirty”. Segundo Mauro Trindade, FORA DA GREI “é um disco inteiramente à parte da massa amorfa despejada pelas rádios de sucesso”(J.B. - 26.08.92). No jornal “O GLOBO”, FORA DA GREI foi considerado por Tom Leão como um resultado no mínimo original.

Nos shows de lançamento, SKYLAB apresentou-se com: Jorge Mautner - Projeto Benditos Malditos - no Café Laranjeiras e participou da segunda edição da festa “RADIOLLA”, no antigo TORRE DE BABEL, ao lado de BARÃO VERMELHO e BIQUINI CAVADÃO - festa produzida por Maurício Valladares. Depois, com produção do guitarrista ROBERTINHO DE RECIFE, lançou o disco “SKYLAB”, inspirado em ZÉ DO CAIXÃO, pelo selo Special. Gravado e mixado no estúdio Lagoa, o disco teve a participação de ROBERTINHO DE RECIFE na guitarra e LUIZ ANTONIO nos teclados e arranjos. Concluído em 98, todas as faixas são de autoria de ROGERIO SKYLAB e foram masterizadas no estúdio MANHATTAN.

O show de lançamento foi no Teatro Ipanema, em março de 1999 e, em artigo do crítico Sílvio Essinger (J.B. – 24.03.99), sua música foi assim definida: “Seu Heavy Metal funciona em conjunção com o violão típico de uma seresta de Sílvio Caldas. Bizarro, caricato, maldito, genial?”. Apresentando-se pela terceira vez no programa do JÔ SOARES, SKYLAB mostrou algumas músicas do disco como “MATADOURO DAS ALMAS” e “MATADOR DE PASSARINHOS”, além de uma inédita “PRIVADA ENTUPIDA” que consta de seu novo álbum “SKYLAB II”.

Esteve também no programa “MUVUCA” de REGINA CAZÉ, apresentando sua música “URUBÚ”. No CEP 20000, celeiro do underground carioca, apresentou-se várias vezes, tendo sido incluído no CD que acompanhou a revista TRIP – sua participação foi com a música MATADOR DE PASSARINHOS. Em seguida, SKYLAB lançou seu CD “SKYLAB II”, produção independente, gravado ao vivo no HIPÓDROMO UP. O CD veio com 18 ´faixas e acompanhado de ALEXANDRE BG – guitarra; ALEXANDRE GUICHARD – violão; WLAD – baixo; Marcelo B – bateria. Uma de suas músicas mais pedidas em shows, “NAQUELA NOITE”, está nesse CD e diz assim em um de seus trechos: “Com um alicate eu retorcia/ os seus mamilos tão delicados/, ela pedia pra que eu parasse/ e eu sentia uma estranha calma./ Os vaga-lumes contracenavam/ e a lua cheia iluminava.”( na edição comemorativa da REVISTA PROGRAMA do Jornal do Brasil, n. 1000, Maurício Valladares considerou “NAQUELA NOITE” como uma das suas 10 mais).

Agora está lançando “SKYLAB III”. O CD, cheio de referências, é dedicado a DAMINHÃO EXPERIENÇA músico carioca que sempre viveu a margem do sistema e produziu uma obra absolutamente experimental. Neste trabalho, SKYLAB põe foco no mundo marginal carioca e, num trabalho de colagem, traz ao disco não só pessoas distantes do grande público (Joe Romano, Zumbi do Mato) como também Caetano Veloso, Arrigo Barnabé, Leonel Brizola e algumas passagens do filme “Bandido da Luz Vermelha”. Dentro de uma estética trash e ao mesmo tempo lírica (ROGERIO SKYLAB desenvolve também um trabalho de poesias paralelo ao de músico-letrista), sua performance tem na “faca”o elemento primordial - com ela, SKYLAB ilustra o sentido que empresta ao ato de criar: cortar, esquartejar.

Clique aqui para baixar algumas de suas músicas. E aqui para ler uma entrevista cedida ao Vela.

*Publicado por Dhuvi-Luvio 3:06 PM




Nome : Dhuvi-Lúvio
Local: Batel-Pr
Email para mim


EM CURITIBA

Links
Antigos

Powered by Blogger
Site Meter