<body>

Deixa com o Beque !!

sábado, novembro 29, 2003

*Publicado por Dhuvi-Luvio 12:32 PM




1. Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club Band, The Beatles
2. Pet Sounds, The Beach Boys
3. Revolver, The Beatles
4. Highway 61 Revisited, Bob Dylan
5. Rubber Soul, The Beatles
6. What's Going On, Marvin Gaye
7. Exile on Main Street, The Rolling Stones
8. London Calling, The Clash
9. Blonde on Blonde, Bob Dylan
10. The Beatles ("The White Album"), The Beatles


Aqui a lista completa. Os caras gostam mesmo dos garotos de Liverpool.

*Publicado por Dhuvi-Luvio 12:24 PM




UMA CANÇÃO

Uma canção
para pessoas sãs
para ouvidos sãos
para todos os santos
loucos

Uma canção
para a vida cadela
para o mundo cão
para todos os tantos
outros

Uma canção
para embalar o bebê
para embalar quem bebe
para todos os prantos
mortos

Uma canção
para lembrar o perdido
para lembrar o pedido
para todos os cantos
tortos

*Publicado por Dhuvi-Luvio 11:48 AM




REVISTA TPM desse mês...

Dar... Por falar em dar... dar não é fazer amor. Dar é dar. Fazer amor é lindo, é sublime, é encantador, é esplêndido, mas dar é bom pra cacete. Dar é aquela coisa que alguém te puxa os cabelos da nuca, te chama de nomes que eu não escreveria, não te vira com delicadeza, não sente vergonha de ritmos animais. Dar é bom. Melhor do que dar, só dar por dar. Dar sem querer casar, sem querer apresentar pra mãe, sem querer dar o primeiro abraço no Ano Novo. Dar porque o cara te esquenta a coluna vertebral, te amolece o gingado, te molha o instinto. Dar porque a vida de uma publicitária em começo de carreira é estressante e dar relaxa. Dar porque se você não der para ele hoje, vai dar amanhã, ou depois de amanhã. Tem caras que você vai acabar dando, não tem jeito. Dar sem esperar ouvir promessas, sem esperar ouvir carinhos, sem esperar ouvir futuro. Dar é bom, na hora. Durante um mês. Para
as mais desavisadas, talvez anos.
Mas dar é dar demais e ficar vazia. Dar é não ganhar. É não ganhar um eu te amo baixinho perdido no meio do escuro. É não ganhar uma mão no ombro quando o caos da cidade parece querer te abduzir. É não ter alguém pra querer casar, para apresentar pra mãe, pra dar o primeiro abraço de Ano Novo e pra falar: "Que cê acha amor?". Dar é inevitável, dê mesmo, dê sempre, dê muito.

Mas dê mais ainda, muito mais do que qualquer coisa, uma chance ao amor, esse sim é o maior tesão. Esse sim relaxa, cura o mau humor, ameniza todas as crises e faz você flutuar o suficiente pra nem perceber as catarradas na rua. Se você for chata, suas amigas perdoam. Se você for brava, as suas amigas perdoam. Até se você for magra, as suas amigas perdoam. Experimente ser amada...

*Publicado por Dhuvi-Luvio 11:33 AM




Por que os homens procuram prostitutas?
(Regina Navarro Lins)

Gilmar, um advogado de 45 anos, separou-se da ex-mulher há oito anos e nunca mais quis saber de casamento. Teve alguns namoros que não duraram mais de três ou quatro meses. Segundo ele, havia muitas obrigações a cumprir que o desagradavam e o saldo era de aborrecimentos. A partir daí, passou a ter encontros casuais com algumas mulheres quando se sentia atraído, mas era cauteloso para não deixar que se transformasse num namoro. Às vezes, alguém que conhecia no escritório, no fórum ou apresentada por algum amigo. A nova estratégia também não funcionou; as mulheres com quem saía criavam uma expectativa de continuidade que o deixava constrangido.
Tomou uma decisão radical, que considera a mais sensata da sua vida: só transar com garotas de programa. “Já há algum tempo tive a certeza de não querer me relacionar amorosamente com nenhuma mulher. Gosto de morar sozinho e fazer o que quero da vida. Não quero filhos e não sinto falta nenhuma de alguém do meu lado, mas adoro fazer sexo. Quando ainda saía com uma mulher interessante, na verdade meu objetivo principal era transar sem compromisso. Aí, eu a levava para jantar, depois para ouvir música em algum lugar e às 5h da manhã a situação era a seguinte: exausto, já tendo gastado a maior grana, eu ainda não sabia se ela ia querer ou não transar comigo. Resolvi simplificar as coisas.

Conheço algumas meninas de programa lindas, de 20 e poucos anos, que vêm quando telefono e por quem tenho carinho, mas não sou cobrado em nada. Dinheiro eu já gastava também quando saía com qualquer outra mulher. Afinal, tudo nesse mundo é pago mesmo. A diferença está na maior ou menor dose de hipocrisia que vem junto com o produto. Agora posso escolher só os melhores momentos. Sempre que penso nesse assunto, vem à minha cabeça o lema de uma empresa carioca: ‘Alugar é melhor’.”

Com a liberação dos anos 60, supunha-se que a prostituição estivesse com os dias contados. O homem não mais teria interesse em fazer sexo com uma desconhecida quando poderia ter prazer com a namorada que ele ama ou com a mulher, agora, uma pessoa que valoriza a satisfação sexual. Na falta de uma relação estável, uma colega de trabalho, uma amiga ou alguém que conhecesse numa festa poderia lhe dar um prazer mais completo sem que precisasse pagar. Mas nada disso aconteceu. A prostituição, ao contrário do que se esperava, aumentou e se sofisticou bastante. Os jornais diariamente testemunham a variedade de serviços oferecidos. A imagem da prostituta sofrida, malcuidada e infeliz foi substituída pela garota de programa, jovem, bonita, bem-vestida.

Há alguns anos um caso ficou famoso no mundo todo, causando perplexidade e um certo incômodo em quem buscava satisfação. O ator inglês Hugh Grant, casado com uma bela atriz e modelo pertencente ao time das mulheres mais desejadas do planeta, foi flagrado praticando sexo oral com uma prostituta dentro do carro, numa rua de Los Angeles. Independentemente do que façam sexualmente com suas mulheres ou namoradas, os homens continuam desejando se relacionar com prostitutas. Por quê?

Atualmente, as mulheres exigem cada vez mais seu direito ao prazer sexual. O homem se sente avaliado, julgado no seu desempenho e na sua competência nessa área. Vai para o ato sexual temendo não corresponder ao que a mulher espera e assim decepcioná-la. Qualquer falha pode abalar a certeza de sua virilidade, além de se sentir cobrado no seu comportamento antes, durante e depois do sexo.

Com a prostituta, o homem se sente livre para fazer o que deseja no sexo, do jeito e da forma que quiser e quando tiver vontade. O pagamento em dinheiro o livra de qualquer outro tipo de dívida. Não precisa se preocupar com o que a mulher deseja, se está agradando ou correspondendo às suas expectativas. Não há nenhuma cobrança. Se ela tem ou não orgasmo não é problema dele. Não precisa fingir que está apaixonado ou que vai procurá-la novamente, nem precisa pensar numa desculpa quando ela lhe telefonar. Isso nunca vai acontecer. Mesmo sendo um prazer individual, as regras não deixam dúvidas e ninguém está sendo enganado.

Acrescente-se a isso, a tendência atual de se valorizar a individualidade, de se buscar a auto-suficiência, não se admitindo mais que o outro cause qualquer tipo de insatisfação. Para a filósofa francesa Elisabeth Badinter, a exploração do ego comanda uma nova ideologia: o narcisismo. “Conheça-te a ti mesmo” e “ama-te” são as duas condições prévias para qualquer valorização do ego. A época de falsos pudores e de falsas modéstias já passou. Uma vez que inaptidões e inapetências são colocadas por conta de um ego infeliz, bloqueado, é um dever escutá-lo, olhá-lo e dissecá-lo para estar em condições de liberá-lo.


*Publicado por Dhuvi-Luvio 11:18 AM




- Há um tempo atrás você não queria comprar um chimpanzé ? Desistiu ?
- Meu amigo Rafa que era veterinário do Zoo do Rio me desaconselhou.
- Qual a razão ?
- Disse que eu teria que conseguir inúmeras autorizações se quisesse tê-lo oficialmente (o macaco).
- Ibama ?
- É. Além do mais, os macacos são transmissores (e receptores) de terríveis (??) doenças.
- E o rapá ?
- Tirando o Rapá, meu cão Labrador que ainda não tenho, como estimação eu voltaria ao macaco mesmo.
- Qualquer macaco ?
- Não, tem de ser o chimpanzé.
- Qual o motivo ?
- Por que eu acho que é o único que poderei ensinar a fazer cocô no vaso sanitário
- E xixi também.
- Além de puxar a descarga...
- É eles são nossos primos, 99% de coincidência genética.
- Por isso mesmo, são super-inteligentes. Eles só não falam...
- Meu caro, se você quer alguém com tanta inteligência, então adote uma criança...
- Mas aí é que está a questão: a criança fala !!
- E daí ??
- Você acha que se os cachorros falassem eles seriam os melhores amigos dos homens ?
- Caraca, você é louco...
- Os cães sobreviveram até hoje justamente por sua fidelidade e o fato de não falarem...
- Você com certeza é louco, mas faz sentido !
- Quem faz sentido é soldado...
- Quando é mesmo que você volta a beber ??

*Publicado por Dhuvi-Luvio 11:04 AM


sexta-feira, novembro 28, 2003


*Publicado por Dhuvi-Luvio 3:59 PM




Significados dos tempos modernos

AMOR: Enfermidade temporária que se cura com o casamento. Palavra de quatro letras, duas vogais e dois idiotas.
DANÇAR: É a frustração vertical de um desejo horizontal.
CÉREBRO: Órgão que serve para que pensemos que pensamos.
ESCOTEIROS: 40 crianças vestidas de idiota, comandadas por um idiota vestido de criança.
DOR DE CABEÇA: Anticonceptivo mais usado pela mulher destes tempos.
VIRGEM: Menina de 9 anos, muito feia, que corre mais que o primo.
EXAME ORAL: Prova para conseguir um estágio na Casa Branca.
LÍNGUA: Órgão sexual que os antigos usavam para falar.
UROLOGISTA: Especialista que vê o seu pênis com desprezo, o pega com nojo e lhe cobra como se o houvesse chupado.
CONFIANÇA: Via livre que se dá a uma pessoa para que cometa uma série de abusos.
DIPLOMACIA: Arte de dizer "lindo cachorro", até encontrar uma pedra para atirar nele.
FÁCIL: Diz-se da mulher que tem a moral sexual de um homem.
GINECOLOGISTA: Especialista que trabalha no lugar onde outros se divertem.
HERÓI: Indivíduo que, diferentemente do resto, não pôde sair correndo.
HOMEM: Ser masculino que durante seus primeiros nove meses de vida quer sair de um lugar em que tenta entrar pelo resto de sua vida.
INDIFERENÇA: Atitude que uma mulher adota perante um homem que não lhe interessa, que é interpretada pelo homem como se estivesse "se fazendo de difícil".
INTELECTUAL: Indivíduo capaz de pensar por mais de duas horas em algo que não seja sexo.
MODÉSTIA: Reconhecer que não se é perfeito, mas sem dizê-lo a ninguém.
NINFOMANÍACA: Termo com o qual um homem define uma mulher que deseja fazer sexo mais vezes que ele.
TRABALHO EM EQUIPE: Possibilidade de colocar a culpa nos outros.

*Publicado por Dhuvi-Luvio 3:58 PM




Como
isso tudo começou...

*Publicado por Dhuvi-Luvio 3:57 PM





CASAMENTO - BURRO FALANTE


"O pior casamento é viver só, a dois."
Anônimo


"As pessoas casam-se por falta de juízo; separam-se por falta de paciência; e casam-se novamente por falta de memória."
Anônimo

"Deus, para a felicidade do homem, inventou a fé e o amor. O diabo invejoso fez o homem confundir fé com religião e amor com casamento."
Machado de Assis

"Há pessoas que ao se casar duplicam a solidão."
Michael Vincent Miller

"O amor...! grandes palavras antes, palavrinhas durante, palavrões depois."
Henry Becque

"O casamento está a caminho de se tornar uma das nossas mais violentas instituições."
Michael Vincent Miller

"O casamento feliz é uma penitenciária cinco estrelas."
Hélio Pellegrino

"O pior casamento é o que dá certo."
Millôr Fernandes

"Um casamento bem sucedido precisa ser refeito todos os dias."
Andre Émile Herzog Maurois

"Casamento é um jogo muito especial: ou ganham os dois ou ambos perdem."
Grit

"É impossível que duas pessoas compartilhem absolutamente tudo entre si. Quando se aceita que, mesmo entre os seres humanos mais próximos, continuem a existir distâncias infinitas, pode-se desenvolver uma vida maravilhosa lado a lado."
Rilke

"Lembre-se de que um casamento depende de duas coisas: encontrar a pessoa certa e ser a pessoa certa."
S. Brown

"Um casamento de sucesso requer apaixonar-se muitas vezes pela mesma pessoa."
Robert Wagner

*Publicado por Dhuvi-Luvio 3:36 PM





Trabalha, imigrante
por Francisco Mahfuz

Uma das discussões calorosas da Faculdade de Letras era baseada no questionamento sobre "o que é ser brasileiro". Eu nunca cheguei nem perto de ter uma resposta, especialmente porque me negava a acreditar em qualquer explicacao que tivesse "samba", "futebol" ou "alegria" nos seus argumentos. Isso até chegar em Londres, quando eu descobri a característica mais marcante do nosso povo: a falcatrua.

A quem se adianta pra atirar a primeira pedra, já aviso: não é tentada aqui nenhuma teorização revolucionária ou algo do tipo. Não faço mais do que revisitar aquela velha história do "jeitinho brasileiro" - só estou sendo sincero e referindo-me ao mesmo com uma denominação menos hipócrita.

Está precisando de um passaporte português falsificado? Quer aprender como andar de ônibus e metrô sem pagar? Precisa abrir uma conta de banco estando ilegal no país? Nao sabe onde comprar comida para uma semana com o dinheiro de duas cervejas? Barbada. Desce em Oxford Street, caminha pro oeste e entra num mercadinho turco; no fundo, uma legítimo boteco brasileiro te espera, e a chave do conhecimento mais caro na Europa: o atalho.

Os brasileiros estao espalhados por todos os cantos; é até um pouco difícil andar pelos pontos mais movimentados da cidade e não encontrar ninguém falando português. Pra quem trabalha no ramo do sub-emprego, pulando de hotel em hotel, é bem possível nunca falar em inglês, o que é facilmente explicável: quem vem pra cá geralmente tem algum contato, que já tinha algum contato, e assim forma-se uma conexão interminável de pessoas que nunca se viram, mas que têm amigos em comum. Eu, em certo momento, morei com quatro porto-alegrenses que não se conheciam, mas que chegaram aqui através da mesma pessoa.

Fora os empregos mais óbvios (garçom e bartender, pra quem ainda não sabe), nossos compatriotas estão envolvidos nas coisas mais mirabolantes: transporte de móveis e malas com vans, cabelereiros dentro de cyber-cafés, linha de produção de sanduíches, saunas gays, e por aí vai. São também excelentes contatos pra quem quer conseguir drogas baratas (os espanhóis são competidores fortes nesse aspecto, apesar de serem um pouco mais sofisticados).

Isso não quer dizer que não sejamos um povo trabalhador, muito pelo contrário: tem muita gente ralando demais aqui. Jornadas de 60 horas semanais (já tive as minhas), condições muito abaixo da insalubridade, desistência quase completa de alguma dignidade: e isso é só pra começar. Mas alguma malandragem sempre existe, e isso muitas vezes faz toda a diferença na experiência européia.

Muitos vêm pra cá com sonhos dourados de trabalhar em lugares como o do filme "Cocktail", passar todo o resto do dia visitando museus e monumentos e as noites em raves enlouquecidas. Quando a realidade de ter que ser adulto e se sustentar bate na cara, neguinho tem que aprender a se virar ou volta pra casa com o rabo entre as pernas.
Em Londres a gente aprende a ser brasileiro.

Que bom.

*Publicado por Dhuvi-Luvio 3:20 PM




INDIGNE-SE COM O SHOW DE HORRORES DE KUBRICK

Podem me chamar de doente, mas quando estou no dentista, me lembro de "Maratona da Morte"; no ginecologista, de "Gêmeos – Mórbida Semelhança"; no oftalmologista, aí depende: se a consulta relaciona-se a procedimentos cirúrgicos, vou de "O Cão Andaluz", se é mais superficial, tipo lente de contato, fico com "Laranja Mecânica". Se você viu esses filmes, não preciso nem especificar a cena, que você sabe exatamente do que estou falando. Se não viu, veja, mas pule essas partes que causam traumas pro resto da vida.

É claro que esta não é a única memória criada por "Laranja Mecânica". Há outras, e todas são repulsivas. E, no entanto, este filme que agora completa trinta anos de existência está decididamente entre os melhores já feitos. Pelo menos na opinião desta sua humilde narradora. E na de outras pessoas mais cotadas.

Kubrick, o gênio, fez "Laranja" em 71, logo após consagrar-se pela terceira ou quarta vez com "2001, Uma Odisséia no Espaço" (antes, a aclamação havia vindo com "Glória Feita de Sangue", "Spartacus" e "Doutor Fantástico", só pra ficar nos unânimes). "Laranja" era pra ser um filminho de baixo orçamento, um descanso do diretor entre dois épicos, "2001" e "Barry Lyndon". Mas, para um perfeccionista como Kubrick, não existiam diminutivos. Ele pegou a obra-prima de Anthony Burgess, escreveu o roteiro sozinho – foi seu primeiro script solo –, escolheu o elenco, produziu e dirigiu "Laranja". No final, só podia mesmo assiná-lo como "um filme de Stanley Kubrick".

Um detalhe sobre Burgess, hoje considerado um dos grandes escritores ingleses modernos, se não o maior. Em 59, ele foi diagnosticado com um tumor no cérebro. Os médicos lhe davam no máximo mais um ano de vida. Para deixar algo que sustentasse a família, Burgess redigiu, em curtíssimo espaço de tempo, uns três romances, incluindo "Laranja Mecânica". Em seguida, sobreviveu por mais um quarto de século. Faz a gente pensar que erros médicos podem não ser tão ruins assim, né?

"Laranja" não põe muita fé na humanidade. Começa com Alex, um delinqüente juvenil (no filme, ele tem 20 e poucos anos; no livro, 15), narrando suas aventuras de duas noites. Num futuro próximo, que talvez hoje já soe como passado, as ruas à noite são dominadas por grupos de garotos que falam uma língua estranha e aterrorizam qualquer coisa que se mexa. Obviamente, nenhuma relação com o nosso presente. Alex toma leite com drogas, pisoteia um mendigo, briga com uma gangue rival, rouba um carro, brinca de "rei da estrada", causando inúmeros acidentes automobilísticos, veste máscaras de horror e invade um lar, onde destrói tudo, invalida o marido e estupra a mulher, enquanto canta "Singing in the Rain". Já em casa, lamentando a jornada de "pouca energia gasta", se masturba ouvindo Beethoven e tem visões apocalípticas. No dia seguinte, Alex falta à escola, é visitado por seu agente de condicional, vai a uma loja de música (ele é apaixonado pelo velho "Ludwig Van"), e seduz duas jovens. No livro, elas são meninas de 10 anos; Kubrick, aparentemente, não quis jogar mais lenha na fogueira de algo que já seria suficientemente polêmico sem pedofilia no meio. Prefere mostrar 40 segundos de um ménage-a-trois explícito, só que acelerado, ao som de "William Tell" (o filme foi censurado no Brasil durante anos, e só liberado com a inclusão de ridículas bolinhas pretas que ficavam pulando na tela para cobrir as vergonhas dos personagens nus). A seguir, Alex ensina uma lição a seus marginais amotinados, se droga mais um pouco, e entra numa casa onde mora uma senhora com suas dezenas de gatos (e nós, humanistas que somos, nos preocupamos com o que Alex vai fazer com os felinos). Num duelo em que ele segura um falo gigante contra a mulher e seu busto de Beethoven, Alex a mata. Sua gangue o trái e ele vai preso.

Ahn... Este é apenas o terço inicial da obra.

Tudo isso já seria bastante ultrajante por si só. Ser contado em primeira pessoa por Alex, que se declara "seu humilde narrador" e nos chama de "seus únicos amigos", também não ajuda. Porém, pra tornar esta fábula ainda mais inesquecível, Burgess inventou um vocabulário especial composto por palavras russas, expressões ciganas e grunhidos em inglês. As palavras que mais aparecem? Não contei, mas devem ser "horrorshow", que quer dizer "ótimo", e "krovvy", que significa "sangue". O verbo "snuff", popular hoje como sinônimo de filmes pornôs que matam suas atrizes de verdade, também está lá, mas quer dizer somente "morrer".

Se você está revoltado com a saga de ultra-violência cometida por Alex, vai se indignar ainda mais ao saber que isso é fichinha perto dos abusos que Alex sofre por parte do Estado. Não é que a gente fica com pena do miserável? Nosso criminoso passa por uma lavagem cerebral que o transforma em uma laranja mecânica, algo que parece orgânico mas que funciona mecanicamente. Qualquer ato de violência lhe provoca mal-estar. Este é o ponto central da história, proferido pelo chapelão da prisão: "quando um homem deixa de poder escolher, ele deixa de ser um homem". Alex não tem mais como optar – ele só pode ser bom, mas não por livre arbítrio. Ao sair da cadeia, ele é perseguido por suas vítimas, tenta o suicídio (numa cena memorável, Alex se joga de uma janela. Kubrick faz com que a gente adote seu ponto de vista ao arremessar uma câmera ligada de um último andar), e vira garoto-propaganda de um governo totalitário. No grand-finale, ele se imagina transando com uma moça, rodeado por um público vestido em estilo vitoriano, que o aplaude. E fala pra gente: "I was cured all right" ("eu estava mesmo curado").

"Laranja Mecânica" constitui a mais fiel adaptação cinematográfica que conheço. Quase todos os diálogos do livro, na sua linguagem (in)decifrável, estão lá. Desde a essência da obra, com seu clima opressivo, até o sarcasmo do protagonista, Kubrick não deixou escapar um detalhe sequer. Por que, então, o filme é tão melhor que o livro? (não que o livro não seja um estouro, mas o filme é uma obra de arte única). Acho que é por causa das minúcias. Por exemplo, a idéia doentia de cantarolar "Cantando na Chuva" durante o estupro não aparece no livro. Esta música aparentemente inocente inclui trechos como "estou pronto para o amor" e "tenho um sorriso no meu rosto para toda a raça humana". Você nunca mais vai encarar Gene Kelly do mesmo jeito.

E nem Beethoven, nem o cinema, nem a bíblia, nem a ideologia pró-pena de morte. E, evidentemente, nem o oftalmologista (a propósito, Malcolm McDowell, que interpretou Alex brilhantemente, teve sua córnea machucada durante as filmagens). "Laranja Mecânica" muda nossa percepção de todas as coisas. É por isso que é um grande, enorme filme que, mesmo depois de 30 anos, mantém toda sua potência intacta. Você pode ver "Laranja" e entender porque, em outras épocas, o cinema ainda era considerado arte, a sétima. Ou pode ficar com os abacaxis de hoje. Ao contrário de Alex, você tem livre arbítrio. Ou não tem?


Lola Aronovich é professora de inglês e cinéfila

*Publicado por Dhuvi-Luvio 2:55 PM





Hoje é aniversário de 60 anos de minha mamãe Rosinha !!
Depois de longas e muitas primaveras passaremos juntos seu aniversário.
E rezo e espero que os próximos também estejamos unidos.
Feliz aniversário com muito amor e muita saúde para você, baixinha !!




Antigamente havia uma mania de as pessoas escreverem poesias e dedicatórias em cadernos de lembranças.
Na mudança apareceu um livrinho desses que minha mãe nem lembrava que existia.
E Bingo ! Olha só o que eu achei no livrinho, uma azaração do meu Pai, dando uma de mosca de padaria em cima do docinho da Rosinha. Isso foi em junho de 1958, eles ainda estavam em rocesso de conhecimento e minha mãe tinha 15 anos (!!!).
Além de mosca, esse Décio era um terrível papa-anjo...




Oba !! Hoje tem jantarzinho no Saanga com consumo livre. Deixa com o Beque...

*Publicado por Dhuvi-Luvio 8:11 AM


quinta-feira, novembro 27, 2003

*Publicado por Dhuvi-Luvio 6:46 PM




*Publicado por Dhuvi-Luvio 1:17 PM






DOENÇAS DA COLUNA
As doenças reumáticas que afetam a coluna vertebral se manifestam por lombalgias, dorsalgias, cervicalgias(dores no pescoço), fraqueza muscular nas pernas e dor nas nádegas. Há dezenas de doenças que podem causar dores na coluna, portanto o seu reumatologista deverá investigar a causa com cuidado, procedendo a vários exames e fazendo uma boa anamnese(entrevista com o paciente). O diagnóstico sempre é difícil de ser encontrado, mas precisa ser selado. Trata-se de uma das doenças mais comuns existentes atualmente, também é uma das causas mais importantes da aposentadoria por invalidez e independe da idade.

Acomete 80% da população. Representa 30% das queixas na Reumatologia. Ocorre após os 20 anos e aumenta muito a sua ocorrência após os 50 anos. Há fator genético na lesão do disco lombar.

DEFINIÇÕES

LOMBALGIA: dor nas costas entre a última costela e a prega glútea (início da nádega).

LOMBOCIATALGIA: lombalgia associada à irradiação da dor para um dos membros inferiores.

CIATALGIA / CIÁTICA: dor que se inicia na raiz da coxa e ultrapassa o(s) joelho(s). Geralmente alcança o(s) pé(s).

Esses três tipos de dor se subclassificam em: aguda, subaguda e crônica.

CAUSAS MAIS COMUNS (Etiopatogenia)

Se dividem em: mecânico-degenerativas, não-mecânicas localizadas e psicossomáticas como repercussão de doença sistêmica.

As causa mais comuns de dores na coluna são: osteoartrose(bicos de papagaio), osteoporose, desordens mecânicas profissionais, DORT (Lér), artrite reumatóide, ruptura de disco intervertebral, estenose do duto espinal, osteoartrite, espondilite anquilosante, trauma, osteoporose, polimialgia reumática, fibromialgia, doenças de próstata, doenças de útero/ovários/trompas, infecção ou cálculo renal, doenças dos intestinos ou pâncreas, câncer, alteração da curvatura da coluna (cifose, lordose, escoliose), deformações congênitas e outras doenças reumáticas.

FATORES QUE AGRAVAM A DOR NA COLUNA

Falta de exercícios, obesidade, gravidez, doença reumática, postura incorreta e estresse.

TRATAMENTO

Na fase de crise, quando há dor, o paciente deve fazer repouso, calor local com bolsa de água quente ou fisioterapia com calor, tomar antiinflamatórios prescritos pelo seu reumatologista. Fora das crises o paciente deve usar colchão firme, sem tábua, com densidade entre 28 e 32, evitar levantar pesos ou carregar crianças no colo, dobrar os joelhos ao abaixar-se, não trabalhar ou andar com má postura, sentar-se corretamente, dormir com travesseiro de altura apropriada, as mulheres não devem usar saltos altos nos calçados.

Existem exercícios especiais para fortalecer os músculos das costas e diminuir as dores. Qualquer exercício só deverá ser feito quando as dores cessarem, recomenda-se natação, ciclismo, aeróbica e exercícios leves. Se o paciente for obeso deve emagrecer.

O seu médico poderá prescrever antiinflamatórios, miorrelaxantes, corticóides, antidepressivos, ansiolíticos, termoterapia, vitamina B1 (Benerva), e nos casos mais graves, codeína, meperidina e cirurgia.

CRISE

A crise dura até 1,5 mês. Deve-se fazer repouso + medicação + fisioterapia. Repouso na cama com almofada sob os joelhos, deitado de costas, em cama firme, por até quatro dias. Pode ser deitado de lado também. Alternar deambulação e repouso. Usa calor ou frio para aliviar a dor. Massagem com gelo é eficaz.

Fisioterapia com ultrassom e TENS são indispensáveis. Deve-se educar o paciente sobre a postura, hábitos e posições no trabalho. Evitar permanecer na mesma posição por muito tempo. Manter o peso ideal, mudar de decúbito a cada meia hora, evitar levantar pesos, não usar saltos altos nos calçados, dobrar os joelhos ao se abaixar, não carregar crianças, reduzir mamas grandes.

MEDICAMENTOS
- paracetamol + naproxeno/ibuprofeno + relaxante muscular (Sirdalud, Carisoprodol). - Se a dor piora com o repouso: diclofenaco, meloxicam, celecoxib, sulindaco. - Se antiinflamatório e repouso não resolverem: corticóide VO ou IM 1-2 ampolas 4/4 DIAS. - Amitriptilina 10-25 mg/dia na fase aguda (analgesia).

APÓS A CRISE
Fazer repouso dorsal diário por toda a vida. Na lombalgia mecânica fazer exercícios físicos de flexão e alongamento, ou aeróbica de baixo impacto se não houver lesão nos exames de imagem, sob prescrição médica. Iniciar 15 dias após o término da crise. Recomenda-se natação e hidroginástica.

*Publicado por Dhuvi-Luvio 1:03 PM


*Publicado por Dhuvi-Luvio 12:40 PM




Os pêlos que encravam
(Ana Coutinho)

Todas as mulheres sabem. Os homens também devem saber, principalmente os que têm barba espessa. Mas as mulheres, que precisam arrancá-los com muito mais freqüência, têm maior experiência em pêlos. Principalmente os encravados.

O pêlo encravado é um pêlo que não quer sair e não quer ficar. Poderíamos dizer que é um indeciso — não fosse as tentativas e dores por que ele passa, aprisionado dentro da pele. Não é uma escolha — nem do pêlo nem da pele. É, praticamente, uma fatalidade.

O pêlo fica ali, crescendo por dentro do corpo, mas não cresce muito, claro. Cresce o suficiente pra atrapalhar, e não o suficiente pra despontar pro lado de fora da gente.

E daí, nós, mulheres, diante de um pêlo encravado, nos sentimos frente a um desafio, um obstáculo a ser superado, uma prova de fogo. "Vai ser fácil", pensamos. E lá vem o início de um processo árduo, que normalmente deixa tudo pior do que estava: começamos a espremer, apertar, furar. Mas não sai. O pêlo foge da gente, assim como uma veia bailarina, que dança nos braços de alguns pacientes.

No final, aquela região está vermelha, machucada, ardendo; e com o pêlo lá dentro, invencível.

Poucas coisas, na vida, são tão chatas como os malditos pêlos encravados. Mas elas existem.

De quantas coisas queremos nos livrar e não conseguimos? Quantos sentimentos estão dentro de nós e queríamos tirá-los à pinça ainda que doesse?

Há amores que são como os pêlos encravados. Não vão e nem ficam. Não queremos aquele amor, e ao mesmo tempo não conseguimos expeli-los. Em alguns casos mais graves, são amores que ainda crescem dentro de nós, como os pêlos, porém sem permitir acesso de pinça ou de fórceps.

Amores-pêlos encravados podem durar toda uma vida, ou alguns instantes. Podem infeccionar e, às vezes, até matar.

Há pessoas que não percebem que seus amores são pêlos encravados. Pensam que poderiam se livrar deles a qualquer instante. "Vai ser fácil", elas dizem quando terminam.

Porém é só começar a tentar esquecê-lo que nos machucamos. E, normalmente, quanto mais tentamos, pior fica a situação. Sai sangue, mas não sai o pêlo. E dói.

Principalmente porque, no fundo, tentamos esquecê-los tentando conquistá-los. E basta querer muito conquistar alguém, pra meter os pés pelas mãos e machucar-se. São os pêlos encravados, que não conseguimos deixar quietos.

Eles nos atrapalham, eu sei. Mas, se há uma receita, ela não é o creme, ou a lixa, ou a pedra. A receita, para os pêlos e para os amores, é o tempo.

Experimente deixá-los ali, cobertos por uma calcinha um pouco maior, um pensamento diferente, uma coberta acolhedora. Experimente não fazer nada, ainda sabendo que isso é o que há de mais difícil a ser feito. O nada.

E daí deixe o tempo agir. Ele acalma a gente, acalma a pele, acalma o coração também.

Até que, de novo, tenhamos a pele lisinha. Se cutucarmos muito, periga ficar a cicatriz. Mas também não é tão grave assim: afinal, que amor não deixa marcas na gente?



*Publicado por Dhuvi-Luvio 12:31 PM


*Publicado por Dhuvi-Luvio 12:21 PM


quarta-feira, novembro 26, 2003




terça-feira, novembro 25, 2003



- Rosinha ganha ducha nova de presente
- Babosas da sacada viraram xampu
- Pombos não são correios são despertadores
- Laura já faz graça mesmo na barriga
- Carolina continua encantando quem passa na janela
- Perlinha não ficou nem um mês com o Plastiquinho
- Daniela está me enrolando ou está sem tempo
- Pretinho vai ser decidido amanhã de manhã
- Psoríase de novo no spam
- Flashs lá de fora são mesmo relâmpagos
- Com jeitinho coube tudo
- Meninos querem um computador novo de novo
- Patty resolveu dar o ar da graça, quase
- Teresa muito feliz no Balneário
- Costinha que dói e não passa
- Buenos Aires em janeiro
- E o cara de novo com teclados
- Luzia em compasso de espera
- Dorme e acorda cansada com o sonho
- A culpa é do vizinho, graças
- Manoel diz que só chove
- Carioca ficou longe da Coronel
- Dentista a vista, mas a prazo
- Nem pense em descer, Flusão

*Publicado por Dhuvi-Luvio 8:34 PM





O governo brasileiro gastou 28 milhões de dólares no desenvolvimento de mísseis.

"O MAA-1 Piranha é um míssil de defesa aérea projetado para operações de patrulha e interceptação, em situações onde exista a possibilidade de confronto do tipo "dogfight" ou combate aproximado entre duas aeronaves.

Primeiro armamento inteligente projetado no Brasil pelo Centro Técnico Aeroespacial, o MAA-1 absorveu investimentos totais de US$ 28 milhões.

O míssil é disparado de um avião; identifica o alvo pelo calor do motor do inimigo ou do seu atrito com o ar, por meio de um sistema que combina radar e sensores infra-vermelhos. Os primeiros testes em vôo do míssil MAA-1 Piranha na nova aeronave de treinamento avançado de ataque leve AL-X, fabricada pela Embraer foram realizados no centro de lançamento de Barreira do Inferno, em Natal (RN).

No Brasil, o AL-X vai operar em missões de vigilância de fronteira, perseguição e interceptação de alvos aéreos e atividades ilegais na Amazônia, complementando a estrutura do Sistema de Vigilância da região amazônica (Sivam). O MAA-1 Piranha concorre com o americano Sidewinder, na versão 9L, considerado o mais famoso míssil ar-ar de curto alcance do mundo.

A FAB - Força Aérea Brasileira adquiriu da fabricante Mectron um lote inicial de 100 mísseis Piranha. O valor unitário do sistema é estimado em aproximadamente US$ 100 mil."

Trechos extraídos do artigo "FAB faz primeiro teste do míssil Piranha", de Karla Correia, de Brasília, publicado no caderno Nacional, página A-4, da Gazeta Mercantil, em 12/11/2003. -
Circulando.com

*Publicado por Dhuvi-Luvio 7:42 PM


segunda-feira, novembro 24, 2003




PACIÊNCIA

Entre que a casa é sua
Merece o meu beijo
Alguém que assim sua
Qual é o seu desejo?
Será que o meu compactua?

Sente-se aqui, sinta-se à vontade
Se possível fique nua
Não se importe com a claridade
Com as minhas falcatruas

Como vai o estudo, a faculdade?
E a plumagem da perua?
Mostra-me só a metade
Apenas o outro lado da lua

Numa noite assim é claro que chove
Parto pra cima e ela recua
Algo lá embaixo com o sarro se move
Como um imã que na polaridade flutua

O que é que você vai beber?
Algo que a hora insinua
Eu quero mais é beber você
Álcool agora desvirtua

Que prato você mais gosta?
Aquele que não se enxágua
Eu não troco você por lagosta
Gosto mais é de carne crua

Vou colocar um disco na vitrola
Quem sabe o Chico pontua
"Eu te amo" entra de sola
"Trocando em miúdos" tumultua

Faço da sala um escuro
Mas ela não se situa
Começa a fazer jogo duro
E na mesma hora se menstrua

Acendo a luz e o cigarro
E já que enfim nada se efetua
Pego a chave do carro
Não fique assim, a vida continua...

*Publicado por Dhuvi-Luvio 10:32 PM



domingo, novembro 23, 2003



Passar por louco
(Veríssimo)

As velhas frases não perdem a utilidade. “Façam o que eu mando, não o que eu faço” é o que os Estados Unidos, o país mais endividado do mundo, não param de dizer aos outros quando recomendam austeridade fiscal, ou quando pregam o comércio livre universal enquanto subsidiam sua agricultura e protegem sua indústria. Outra frase pronta, “se fazer de louco para passar bem”, se adapta ao governo Lula e pode mesmo ser a justificativa histórica do PT, quando for prestar conta das suas incoerências no poder.

Como não há mais dúvidas de que este é um governo esquizofrênico, resta saber até que ponto é uma esquizofrenia pensada, estratégica, talvez até ensaiada, e no fim compreensível. Ou até que ponto é um governo que se faz de louco para ser viável. Quem acreditou que Lula e o PT no governo fariam diferente se apega à esperança de que haja uma coerência mestre por trás da aparente confusão. Que a equipe econômica não esteja dedicada a avalizar a defesa do Pensamento Único segundo a qual ele era único porque não existia outro e sim a uma mudança gradual do modelo para não assustar ninguém. Que até desastres de RP como a ameaça de punir dissidentes, os velhinhos do Berzoini na fila para se recadastrarem e o corte de verba para deficientes tenham uma lógica secreta. Que o mais importante, ao entrar em território dominado pelo inimigo e antes de garantir posições, seja mesmo a camuflagem. Que o verdadeiro governo Lula começa no ano que vem. Ou até que a decepção interna seja só uma concessão para disfarçar a grande diferença deste governo, que é a nova postura internacional do Brasil.

O perigo é que aconteça o que aconteceu com aquele cara que teve tanto sucesso se fazendo de louco para passar bem que acabou internado, e ficou o resto da vida tentando convencer os médicos que sua esquizofrenia era fingida e insistindo que não estava apenas se fazendo de normal para sair do asilo. Pois vale tanto para os loucos como para os sãos: a gente não é o que diz que é ou pretende ser, a gente é o que faz. Ou deixa de fazer.

*Publicado por Dhuvi-Luvio 2:00 PM




NUDISMO - PRAIAS OFICIAIS

TAMBABA ­ PB
A 30 km da capital da Paraíba, João Pessoa, Tambaba foi a primeira praia do Nordeste liberada para o nudismo. Protegida por árvores de grande porte e falésias, tem mar calmo e formações rochosas com piscinas naturais. Os nativos já freqüentam as areias de Tambaba sem roupa há muito tempo, mas o naturismo só foi oficializado em 1989. A praia é dividida em três áreas, sendo que apenas uma delas é exclusiva para famílias e casais. Nas outras, homens desacompanhados são bem-vindos. E, na terceira, dá até pra ficar com roupa de banho.
- Acesso: Pela Rodovia PB-08. De João Pessoa são aproximadamente 30 km de estrada asfaltada.
- Infra-estrutura: Há pequenas pousadas rústicas. Numa delas, dentro da área naturista, os hóspedes pelados circulam numa boa.
- Informações: PBtur: tel. (83) 226-7078, ou no site www.tambaba.com.br


MASSARANDUPIÓ - BA
Na Linha Verde, a 93 km de Salvador, Massarandupió é a mais nova área liberada para os peladões. Foi criada pela prefeitura para absorver os hóspedes naturistas do Resort Costa do Sauípe, na praia vizinha. O cenário, selvagem, é de mar limpo, ondas fortes e dunas amareladas. A área reservada aos nudistas está a 20 minutos de caminhada da entrada da praia e tem as mesmas regras de Tambaba. Homem não entra sozinho, roupa de banho, nem pensar, e olhar para a mulherada... só se for de rabo de olho. Na baixa temporada, entretanto, basta tirar o calção e curtir: a praia fica completamente deserta.
- Acesso: Pelo km 75 da Linha Verde, sentido Salvador­Aracaju, mais 7 km de estrada de terra.
- Infra-estrutura: A praia é quase deserta, mas há um quiosque e um local para camping na área de nudismo.
- Informações: Abanat (Associação Baiana de Naturismo): tel. (71) 231-3472/230-3288, ou no site www.naturismo.hpg.com.br


BARRA SECA ­ ES
É a única praia de naturismo do Espírito Santo. Fica no município de Linhares (litoral norte do estado), a 142 km de Vitória. Por estar dentro de uma ilha, a praia garante aos nudistas muita privacidade. É preciso estacionar o carro na outra margem do Rio Ipiranga e atravessar em barcos ou canoas da associação de naturistas local. Tem 2 km de areia reservados para a prática do naturismo, com áreas delimitadas para homens desacompanhados.
- Acesso: Pela BR-101 até Pontal do Ipiranga, onde se estaciona o carro com relativa segurança antes de atravessar o rio para Barra Seca.
- Infra-estrutura: Pequena (só funciona no verão). Na Praia de Urussuquara, a 1 km de Barra Seca, há pousada e área para camping.
- Informações: NATMG (Associação dos Naturistas de Minas Gerais): tel. (27) 3227-5470, ou no site www.natmg.org.br


OLHO DE BOI ­ RJ
Quem for só na tentativa de espiar uma sósia de Brigitte Bardot nua pode se dar mal: a praia é mais freqüentada por gays do que por mulheres bonitas. Como toda a costa de Búzios, a Olho de Boi é pequena, discreta e charmosa. A faixa de 100 metros de areia fica protegida entre costões rochosos e tem mar limpo e calmo, com muitas pedras no fundo. No extremo esquerdo, conhecido como "paredão", a água, ao bater na parede, cai em forma de cascata. Um luxo. Agora, se você for sedentário, um conselho: não vá. O acesso é difícil, não pela extensão (a trilha tem menos de 1 km), mas pela pirambeira considerável.
- Acesso: A trilha para a Olho de Boi começa na ponta direita da Praia Brava.
- Infra-estrutura: Nenhuma. A praia é 100% selvagem.
- Informações: Situr: tel. (24) 623-2099


PRAIA DO PINHO ­ SC
Os freqüentadores da Praia do Pinho, no Balneário Camboriú, foram os pioneiros a conseguir o.k. oficial para tirar a roupa, em 1988. Tem duas praias: uma maior, com 400 metros, para casais, e outra com 100 metros, para desacompanhados. Montanhas escarpadas cercam a região, garantindo a privacidade dos nudistas que circulam pela pousada, restaurantes e campings. O clima, acredite, é tão familiar que você vai se sentir em qualquer outro destino tradicional de férias no verão. Ou quase.
- Acesso: Pela BR-101, entre o Balneário Camboriú e Itapema, ou pela Praia de Laranjeiras.
- Infra-estrutura: Total. Boas pousadas, restaurantes e área de estacionamento.
- Informações: AAPP (Associação Amigos da Praia do Pinho): tel. (47) 9983-7536, ou no site www.braznet.com.br/~pinho


GALHETA ­ SC
Freqüentada desde a década de 70 por nudistas, o Parque Municipal da Galheta fica entre duas praias movimentadas de Floripa: a Barra da Lagoa e a Mole. A pequena trilha (300 metros, a partir da Praia Mole), o morro que a separa da estrada e a falta de estrutura fazem com que a praia mantenha-se selvagem e isolada. Ruim para quem gosta de ficar com os chinelinhos pro ar, ótima para quem gosta de ficar peladão na natureza: pequenas duchas de água doce, mar de água cristalina, areia branca e fina, pedras emolduradas por montanhas com arbustos, orquídeas e bromélias. Como muitos pontos da ilha catarinense, o lugar também tem ondas boas para surfe. E uma incrível concentração de mulheres bonitas.

- Acesso: Trilha a partir da Praia Mole, 16 km ao sul do Centro de Florianópolis. • Infra-estrutura: Nenhuma.
- Informações: Associação dos Amigos da Galheta: tel. (48) 691-8015


PEDRAS ALTAS ­ SC
Em Palhoça, a 30 km de Florianópolis, a bonita praia de Pedras Altas é cercada por formações rochosas, que isolam a área para você ficar peladão numa boa. O mar é tranqüilo, ideal para crianças ­ e são elas, com seus papais e mamães, que mais freqüentam a área, especialmente o lado da praia reservado a casais e famílias. O código de ética é fiscalizado pelo Clube Naturista local. Para quem está lá só para curtir, o lugar certo está do outro lado da praia. Lá é tudo liberado, inclusive homens e mulheres solteiríssimos.

- Acesso: Há placas indicativas na BR-101.
- Infra-estrutura: Os dois lados da praia oferecem bar e restaurante. No lado naturista há uma pousada bem simples, área de camping e estacionamento.
- Informações: Clube Naturista Pedras Altas: tel. (48) 9967-7028/9901-6769, ou no site www.naturis.com.br


PEDRA GRANDE ­ BA
É uma praia de nudismo clandestina ­ a área foi loteada e os proprietários colocaram placas proibindo peladões na praia ­, mas todo mundo vai. O point não é uma extensão natural da Praia dos Coqueiros, a mais freqüentada de Trancoso. Para chegar à área naturista, é só caminhar 20 minutos para o sul, em direção a Caraíva, por trechos de areia fina e dourada, com paradas para banho no mar esverdeado (sacrifício, não?). As freqüentadoras são tão alto-astral quanto a paisagem: meninas malhadas e descoladas, que adoram música eletrônica e costumam desfilar de topless desde o último bar da Praia dos Coqueiros até a área de nudismo.
- Acesso: Trancoso fica a 25 km de Porto Seguro.
- Infra-estrutura: Na Pedra Grande, nenhuma. Mas Trancoso é lotada de bares, restaurantes e pousadas de primeira.


PRAIA DA FIGUEIRA ­ RJ
O nudismo aqui também não é oficial, mas a praia é tão famosa entre os adeptos que seu apelido é Praia dos Pelados. Aqui ninguém pretende seguir a filosofia e as regras naturistas. Traduzindo: dá para ir desacompanhado ou levar a namorada para rolar aquele clima, que absolutamente ninguém vai te incomodar. Essa liberdade total faz com que muita gente leve tudo na sacanagem. Resultado: muitas gatinhas acabaram desistindo de tomar sol peladas por lá. Mas é divertido pelo menos para quem quer conhecer o famoso reduto dos alternativos de Trindade. Se não gostar do clima, é só seguir pela mesma trilha para tomar sol (com roupas de banho) nas tranqüilas piscinas naturais da Praia do Cachadaço.
- Acesso: Pelo km 268 da Rio­Santos, a 30 km de Parati, depois da Praia do Meio.
- Infra-estrutura: Tá brincando? Em Trindade? Só se for uma barraca, um violão...

*Publicado por Dhuvi-Luvio 1:49 PM




Nome : Dhuvi-Lúvio
Local: Batel-Pr
Email para mim


EM CURITIBA

Links
Antigos

Powered by Blogger
Site Meter