<body>

Deixa com o Beque !!

sábado, janeiro 31, 2004



A vida é uma caixinha de surpresas
(JOTAKAPA)

Quantas vezes já ouvimos dizer que "a vida é uma caixinha de surpresas" ou nós próprios pronunciamos essa mesma expressão? Pois é, muitas vezes! Especialmente quando nos surge uma daquelas surpresa pela frente que nos toca de forma mais intensa.

A vida é feita de surpresas, aliás um encadeado de surpresas, umas boas, outras más, umas grandes, outras pequenas, de diversas formas e tamanhos, de diferentes sabores e intensidades, umas como resultado de opções que nós próprios tomamos, outras são completamente imprevisíveis e incontroláveis.
São acontecimentos que não estão planeados e que não conseguimos prever, são acontecimentos inesperados aos quais temos de saber reagir da melhor forma para que tanto esses acontecimentos como os seus efeitos nos causem o menor dano possível em cada momento. Aliás cada momento da vida é também ele uma pequena surpresa porque não sabemos ao certo o que ele nos reserva até o vivermos. É único e imprevisível.

Nas surpresas menos boas facilmente ficamos desalentados, o nosso sorriso desaparece, tudo à nossa volta nos parece bem mais cinzento, temos alguma sensação de impotência perante os efeitos dessas surpresas, ficamos tristes.
Nessas alturas temos de ser capazes de acreditar que o nosso sorriso não nos abandonou mas apenas hibernou durante um bocadinho. Em breve vai regressar bastando uma pequena surpresa agradável para contrariar o desânimo e a tristeza. É nesses momentos que temos de encontrar forças para reagir e renovar o estado de espírito, que temos de estar atentos às surpresas que vão fazer inverter o ciclo negativo e para isso temos também de estar receptivos a ser surpreendidos de forma positiva.

E quando a surpresa é agradável, então o nosso sorriso desponta, os olhos brilham, o animo regressa e até parece que o mundo à nossa volta é bem mais colorido! Nessas alturas temos de saber retirar das surpresas tudo aquilo que elas nos trazem de bom, temos de desfrutar da alegria, temos de partilhar o nosso sorriso com quem nos rodeia, em especial com as pessoas que nos acompanham na vida e nos tocam de forma especial. Contagiar os outros com o nosso estado de espírito!

A vida vai continuar a ser uma caixinha de surpresas, uma após a outra as surpresas vão fazer com que a monotonia não se instale e vão fazer com que seja divertido e emocionante ir descobrindo o que essa mesma caixinha nos vai reservando ao longo da vida!

*Publicado por Dhuvi-Luvio 2:09 PM


TALVEZ


Pode ser tesão
o que mais cabe
de certeza

Quem sabe
é o coração
que deixou a luz acesa

Sei lá
Mas aqui não sei
Ali seria insensatez

Novamente ser
De novo mais uma vez
Esse tal de talvez

*Publicado por Dhuvi-Luvio 12:58 PM




Mundo Foderoso

*Publicado por Dhuvi-Luvio 12:30 PM




Dennis Hope - O dono do universo
(Revista Terra)

Você quer comprar um lote na lua? Fale com este homem: ele se diz proprietário do sistema solar e já faturou 6 milhões de dólares

Há 23 anos o americano Dennis Hope, de 56 anos, ri à toa. Observando a Lua, ele teve uma idéia que mudou o curso da sua história - e do sistema solar. Hope acabara de se separar da mulher, estava desempregado e sem um vintém. Enquanto dirigia numa estrada e se perguntava o que faria, ele olhou para o céu e pensou na quantidade de terra inexplorada na Lua. Imediatamente, lembrou de uma aula de ciências políticas que teve na faculdade, em que aprendeu sobre o Tratado Espacial, assinado pelos membros da Organização das Nações Unidas em 1967. Conforme o documento, nenhuma nação poderia ser proprietária de corpos celestes. Mas a lei não proibia pessoas físicas ou jurídicas de reclamar para si a posse de planetas ou satélites. Essa brecha foi a salvação de Hope. Em 1980, ele enviou uma carta à ONU e aos governos dos Estados Unidos e da então União Soviética reivindicando a propriedade do sistema solar. Como ninguém se manifestou, Hope fundou a Embaixada Lunar em Gardnerville, no Estado de Nevada, e iniciou a venda de lotes na Lua. Até hoje, o astuto empresário já fechou negócios com clientes de mais de 180 países. Suas pechinchas "do outro mundo" são oferecidas no site www.lunarembassy.com. Em entrevista à TERRA, Dennis Hope, que se nomeou presidente do Governo Galáctico, explica as vantagens de se comprar um terreno fora do nosso planeta.

Por que o senhor vende terrenos na Lua?
A Embaixada Lunar foi criada com um propósito lucrativo. Se eu não vendesse os lotes, o negócio não funcionaria. E o que eu faria com tanta terra? Guardaria para o meu lazer e de minha família? Isso seria ridículo.

Que tipo de pessoa compra terra na Lua? O ex-presidente americano Jimmy Carter é seu cliente?
Temos clientes de todas as profissões e níveis. Além de Jimmy Carter, Ronald Reagan e outras 400 celebridades, como George Lucas, Clint Eastwood, John Travolta e Tom Cruise, também têm lotes na Lua.

Qual é a vantagem de alguém ser dono de um lote lunar?
Cada pessoa que compra um terreno tem um motivo específico. A Embaixada Lunar já fez negócios com mais de 1 300 empresas de diversos segmentos, entre elas as cadeias de hotéis Marriott e Hilton.

O senhor acredita que será possível morar na Lua?
Hoje não há atmosfera para se respirar ali e, quando o Sol atinge a Lua, a temperatura é de 121 graus. Mas creio que num futuro próximo vamos ter avanços que tornarão a vida na Lua e em planetas como Marte possível para nós. As plantas serão cultivadas em ambientes criados para possibilitar seu desenvolvimento, bem como os animais. E as pessoas viverão em edificações protegidas da radiação e das altas temperaturas. Será uma grande aventura.

Que argumentos o senhor usou para convencer o seu primeiro comprador?
Eu nunca tentei convencer ninguém. Simplesmente faço a pessoa saber que as terras estão à venda e que eu viabilizo a compra. Vendi terrenos para quem acha engraçado ter um lote na Lua. Mas 42% dos meus clientes registram a propriedade em nome da família para assegurar que seus netos se beneficiem no futuro.

Quando morar na Lua for uma realidade, o senhor tem a intenção de se mudar para lá?
Pretendo ter uma casa na Lua e outra em Marte, mas não penso em morar lá em tempo integral. Espero continuar como presidente do Governo Galáctico, pois acredito que meu talento e energia possam ser bem utilizados na Terra, onde eu poderia trabalhar com os processos diplomáticos que serão necessários entre o governo lunar e os governos terrestres.

A Embaixada Lunar já vendeu terrenos para brasileiros?
Sim, para cerca de 1 560 pessoas, incluindo um ex-governador [cujo nome Hope não revela]. Mas não temos representantes no Brasil ou em outro país da América Latina. Atualmente, contamos com sete revendedores, que chamo de embaixadores, em países da Europa, Ásia e Oceania.

O senhor pretende ter um representante no Brasil?
Eu gostaria muito de fazer negócio com algum brasileiro. A taxa mínima para uma franquia é de 75 mil dólares, que podem ser pagos em prestações. É um negócio muito lucrativo. Quem trabalhar bem pode ganhar 400 mil dólares em seis meses.



Cifras Astronômicas

162 milhões de hectares já foram vendidos na Lua
4 bilhões de hectares lunares ainda estão sem dono
300 mil pessoas já compraram terrenos de Hope
US$ 31,50 é o preço de um terreno de 4 mil m2 (quase meio hectare) na Lua
US$ 250 mil é quanto custa Plutão inteiro

*Publicado por Dhuvi-Luvio 10:59 AM






Um mecânico está desmontando o cabeçote de uma moto, quando ele vê na
oficina um cirurgião cardiologista muito conhecido. Ele está olhando o
mecânico trabalhar.
O mecânico pára e pergunta: - Hei, doutor, posso lhe fazer uma pergunta?
O cirurgião, um tanto surpreso, concorda e vai até a moto na qual o mecânico
está trabalhando.
O mecânico se levanta e começa: - Doutor, olhe este motor. Eu abro seu
coração, tiro válvulas, conserto-as, ponho-as de volta e fecho novamente, e,
quando eu terminei, ele volta a trabalhar como se fosse novo. Como é então
que eu ganho tão pouco e o senhor tanto, quando nosso trabalho é
praticamente o mesmo?
O cirurgião dá um sorriso, se inclina e fala baixinho ao mecânico: -
Tente fazer isso com o motor funcionando!

*Publicado por Dhuvi-Luvio 10:00 AM


quinta-feira, janeiro 29, 2004





Fazendo a diferença
(Stephen Kanitz-Veja)

Ser rico, famoso ou poderoso tem sido o objetivo da maioria das pessoas, mas sempre falta algo. Recentemente, ouvi sobre uma nova postura ética de sucesso, que vale a pena resumir aqui, porque na época ninguém noticiou.

Numa reunião no World Economic Forum, em Davos, o local onde o mundo empresarial se reúne uma vez por ano em janeiro, um empresário que acabava de fazer um tremendo negócio foi convidado numa das várias sessões a expor suas idéias.

Primeiro perguntaram como ele se sentia, subitamente um bilionário. Sem pestanejar um único minuto, ele afirmou que o dinheiro não lhe pertencia, e que doaria toda sua fortuna a instituições beneficentes.

"Sou simplesmente fruto do acaso, tenho os genes certos e estou no momento certo, no setor certo. É difícil falar em 'mérito' numa situação dessas."

"Se eu, o Bill Gates aqui presente, ou então o Warren Buffett, tivéssemos nascido 2.000 anos atrás, nenhum de nós teria tido o porte atlético necessário para se tornar um general do Império Romano, posição de destaque equivalente à nossa, na época. Teríamos sido trucidados na primeira batalha."

Alguns seres humanos sempre estarão momentaneamente mais adequados ao ambiente que os outros e receberão, portanto, melhores salários, apesar do esforço dos demais.

A idéia da meritocracia, tão decantada pela direita conservadora como justificativa para a sua riqueza, cai por terra se levarmos em consideração a nova teoria de que somos todos frutos do acaso genético das interpolações do DNA de nossos pais.

Se nossos genes são mero acaso da variação genética, falar em QI, mérito, proeza atlética e se achar merecedor de 100% dos ganhos que esses atributos nos proporcionam não faz mais muito sentido. O que há de meritocrático em ter os genes certos?

Ninguém está sugerindo o outro extremo de salários iguais para todos, porque toda sociedade precisa incentivar os que se esforçam mais, os que trabalham melhor e especialmente os que assumem riscos e têm a coragem de inovar.

O que essa nova postura sugere delicadamente é uma maior humildade e generosidade daqueles que ganham fortunas por ter uma inteligência superior, um porte atlético avantajado ou um talento excepcional. Por trás de toda "fortuna" existe um elemento de sorte, muito maior do que os "afortunados" gostariam de admitir.

Mas a frase que mais tocou a platéia estarrecida foi esta: "Mesmo doando toda a minha fortuna", disse o empresário, "continuará a existir uma enorme injustiça social no mundo. Eu terei tido um privilégio que muitos não terão. O privilégio de ter feito uma diferença com o meu trabalho e minha vida."

Segundo essa visão, o mundo é dividido entre aqueles que fizeram ou não uma diferença com sua vida, o dinheiro não é o objetivo final. E existem inúmeras maneiras de fazer uma diferença, desde inventar coisas, gerar novos empregos, criar novos produtos, até ajudar os outros com o dinheiro obtido.

Aproximadamente 55% dos empresários americanos não pretendem legar sua fortuna aos filhos. Acham que estariam estragando sua vida gerando playboys e um bando de infelizes. Percebem que o divertido na vida é chegar lá, não estar lá. Ser filho de empresário e receber de mão beijada uma BMW, um Rolex e uma supermesada não é o caminho mais curto para a felicidade. Muito pelo contrário, é uma roubada.

Por isso, os ricos de lá criaram instituições como a Fundação Rockfeller, a Fundação Ford, a Fundação Kellogg, a Fundação Hewlett. No Brasil, estamos muito longe de convencer os empresários a fazer o mesmo, razão pela qual sua fortuna provavelmente virará mais um imposto. O imposto sobre herança.

O segredo da felicidade, portanto, não é ganhar dinheiro, que a maioria acabará perdendo de uma forma ou de outra. O segredo é ter feito uma diferença.

*Publicado por Dhuvi-Luvio 6:16 PM




Receita de Mulher
(Vinícius dDe Moraes )

As muito feias que me perdoem
Mas beleza é fundamental. É preciso
Que haja qualquer coisa de dança, qualquer coisa de haute "couture"
Em tudo isso (ou então
Que a mulher se socialize elegantemente em azul, como na República Popular Chinesa).
Não há meio-termo possível. É preciso
Qu tudo isso seja belo. É preciso que súbito
Tenha-se a impressão de ver uma garça apenas pousada e que um rosto
Adquira de vez em quando essa cor só encontrável no terceiro minuto da aurora.
É preciso que tudo isso seja sem ser, mas que se reflita e desabroche
No olhar dos homens. É preciso, é absolutamente preciso
Que tudo seja belo e inesperado. É preciso que umas pálpebras cerradas
Lembrem um verso de Eluard e que se acaricie nuns braços
Alguma coisa além da carne: que se os toque
Como ao âmbar de uma tarde. Ah, deixai-e dizer-vos
Que é preciso que a mulher que ali está como a corola ante o pássaro
Seja bela ou tenha pelo menos um rosto que lembre um templo e
Seja leve como um resto de nuvem: mas que seja uma nuvem
Com olhos e nádegas. Nádegas é importantíssimo. Olhos, então
Nem se fala, que olhem com certa maldade inocente. Uma boca
Fresca (nunca úmida!) e também de extrema pertinência.
É preciso que as extremidades sejam magras; que uns ossos
Despontem, sobretudo a rótula no cruzar das pernas, e as pontas pélvicas
No enlaçar de uma cintura semovente.
Gravíssimo é, porém, o problema das saboneteiras: uma mulher sem saboneteiras
É como um rio sem pontes. Indispensável
Que haja uma hipótese de barriguinha, e em seguida
A mulher se alteie em cálice, e que seus seios
Sejam uma expressão greco-romana, mais que gótica ou barroca
E possam iluminar o escuro com uma capacidade mínima de 5 velas.
Sobremodo pertinaz é estarem a caveira e a coluna vertebral
Levemente à mostra; e que exista um grande latifúndio dorsal!
Os membros que terminem como hastes, mas bem haja um certo volume de coxas
E que elas sejam lisas, lisas como a pétala e cobertas de suavíssima penugem
No entanto, sensível à carícia em sentido contrário.
É aconselhável na axila uma doce relva com aroma próprio
Apenas sensível (um mínimo de produtos farmacêuticos!)
Preferíveis sem dúvida os pescoços longos
De forma que a cabeça dê por vezes a impressão
De nada ter a ver com o corpo, e a mulher não lembre
Flores sem mistério. Pés e mãos devem conter elementos góticos
Discretos. A pele deve ser fresca nas mãos, nos braços, no dorso e na face
Mas que as concavidades e reentrâncias tenham uma temperatura nunca inferior
A 37° centígrados podendo eventualmente provocar queimaduras
Do 1° grau. Os olhos, que sejam de preferência grandes
E de rotação pelo menos tão lenta quanto a da Terra; e
Que se coloquem sempre para lá de um invisível muro da paixão
Que é preciso ultrapassar. Que a mulher seja em princípio alta
Ou, caso baixa, que tenha a atitude mental dos altos píncaros.
Ah, que a mulher dê sempre a impressão de que, se se fechar os olhos
Ao abri-los ela não mais estará presente
Com seu sorriso e suas tramas. Que ela surja, não venha; parta, não vá
E que possua uma certa capacidade de emudecer subitamente e nos fazer beber
O fel da dúvida. Oh, sobretudo
Que ele não perca nunca, não importa em que mundo
Não importa em que circunstâncias, a sua infinita volubilidade
De pássaro; e que acariciada no fundo de si mesma
Transforme-se em fera sem perder sua graça de ave; e que exale sempre
O impossível perfume; e destile sempre
O embriagante mel; e cante sempre o inaudível canto
Da sua combustão; e não deixe de ser nunca a eterna dançarina
Do efêmero; e em sua incalculável imperfeição
Constitua a coisa mais bela e mais perfeita de toda a criação inumerável.

*Publicado por Dhuvi-Luvio 5:10 PM


*Publicado por Dhuvi-Luvio 10:43 AM



*Publicado por Dhuvi-Luvio 9:14 AM


terça-feira, janeiro 27, 2004



Cerveja pode ajudar a emagrecer, dizem cientistas
(Marcelo Crescenti - BBC Brasil)

O cientista biotécnico alemão Ulrich Stachow prevê que no futuro cervejas transgênicas poderão conter calorias que não serão absorvidas pelo corpo humano. Como a cerveja tem um efeito diurético, a bebida poderá ajudar no emagrecimento.
A Universidade de Weihenstephan, no sul da Alemanha, também afirma que a bebida pode fazer bem à saúde. A universidade desenvolveu uma cerveja com ingredientes que podem vir a prevenir o câncer. “O efeito da bebida ainda está sendo testado”, diz o professor Werner Back, da universidade alemã.
Ele disse à BBC Brasil que acha uma injustiça que só o consumo de vinho seja considerado saudável: “A cerveja também faz bem à saúde”.

Prevenção de doenças

O diretor da Associação de Cervejarias Alemãs, Erich Dederichs, lembra que vários estudos provam que beber cerveja é saudável, mesmo sem a adição de outros ingredientes.
Segundo Dederichs, cerveja faz bem para o coração e ajuda a prevenção de osteoporose e de várias outras doenças.

Cerveja contra o envelhecimento

Os nutricionistas concordam, mas alertam que só o consumo moderado da bebida faz bem – no máximo dois copos médios de cerveja por dia, ou 800 ml. Quem bebe mais do que isso ingere muito álcool, o que acaba prejudicando o organismo.
Uma pequena cervejaria no leste da Alemanha lançou recentemente uma marca de cerveja que, segundo a empresa, pode retardar o envelhecimento.
Dirk Fock, diretor da cervejaria Neuzelle, no estado alemão de Brandenburgo, diz que a chamada “anti-aging bier” contém elementos que também são usados em cremes antienvelhecimento, como algas.
Ainda não está provado que a cerveja atrasa realmente o envelhecimento. Com ou sem propriedades medicinais, a cerveja continua sendo uma das bebidas mais populares entre os alemães, que bebem uma média de 120 litros por pessoa a cada ano.

*Publicado por Dhuvi-Luvio 1:09 PM


segunda-feira, janeiro 26, 2004




Google lança serviço de amizades online

O Google está novamente diversificando seus serviços. Desta vez, a aposta é uma rede de amizades online, semelhante ao popular Friendster, e que leva o nome de Orkut, em homenagem a seu criador, Orkut Buyukkokten, ex-professor da Universidade de Stanford e engenheiro do Google.

O
Orkut.com tem a intenção de criar “correntes” de amigos. Um amigo convida o outro, que, por sua vez, repassa a corrente para seu círculo de amizades. O grupo entra na comunidade, mediante o pagamento de uma taxa, e pode compartilhar informações, eventos e interesses comuns.

“A principal intenção de nosso serviço é fazer a vida social dos nossos usuários e seus amigos mais ativa e estimulante”, afirma o site em um comunicado.

Entretanto, o serviço não é aberto. Só podem entrar os internautas convidados por outros membros do grupo, da mesma maneira como o Friendster.

Enquanto raras companhias conseguem lucros notáveis com seus sites, o modelo de comunidades de amizades é um dos serviços mais intrigam os investidores e criadores de conteúdo, em virtude justamente de seus bons resultados. Com a adoção permanente do Orkut, o Google mostra que pretende abocanhar uma parte do nicho pertencente às companhias de relacionamentos virtuais.

O Orkut surgiu a partir de uma das iniciativas do Google de permitir que seus engenheiros e cientistas passem um dia da semana trabalhando em seus projetos pessoais durante o expediente, segundo a porta-voz Eileen Rodriguez. Orkut Buyukkokten trabalhou no projeto durante algum tempo e apresentou os resultados à companhia, que decidiu investir na proposta.

*Publicado por Dhuvi-Luvio 4:53 PM





Desperdícios da Vida
(Ana Coutinho)

Aprendemos desde cedo a evitar o desperdício, comer até limpar o prato, não jogar fora quando ainda tem um restinho e aproveitar as frutas antes que apodreçam. Pois bem: esse é o certo, o ideal, como tem de ser.

Mas na vida desperdiçamos algo ainda mais sagrado do que a comida. E essa é a grande dor da solidão.

As pessoas que não têm um parceiro, não se apaixonam, e nem acham um apaixonado, sofrem de solidão, mas deveria chamar-se dor de desperdício. Estar sozinho não dói quando queremos mesmo um banho mais longo, quando temos mil amigos com que contar, ou quando precisamos fazer compras no shopping.

Estar sozinho dói quando temos algo a dividir e não há ninguém para compartilhar esse tempo. Dói quando a casa está arrumadinha, o sol alaranjado, ou o dia dos namorados se aproxima. Porque não conseguimos aproveitar esses momentos quando estamos sozinhos, e é um tremendo desperdício uma cama de casal gigante se ela está vazia.

Por alguma razão sentimos que essas bobagens de filmes românticos não têm tanta graça quando falta uma mão pra segurar firme. Como o sonho, que sonhado junto é realidade — não é assim que diz a frase?

Ah! Jogamos sonhos dos sozinhos ao relento, classificando-os como sonhos apenas, podendo ser esquecidos ou perdidos entre os monólogos que formamos com a única pessoa que temos: nós mesmos.

Assim é um almoço especial, uma garrafa de vinho, um corpinho sarado. Inúteis na solidão. Desperdiçados se não houver duas taças ou outros olhos para admirarem.

O desperdício, ao contrário do que pensam, não tem nada a ver com baixa auto-estima. Opostamente a isso, é quando gostamos muito de nós mesmos que dói mais a solidão. Insistimos que somos absolutamente capazes de fazer alguém feliz, que temos idéias ótimas de presentes, que somos criativos, bonitos, inteligentes, sedutores e estamos na nossa melhor forma, mas é um desperdício e uma arrogância acharmos isso tudo sozinhos.

Os que tentam consolar dizem para dar tempo ao tempo — "Um dia aparece a pessoa certa", afirmam. Um dia já teremos mais estrias e usaremos calcinhas enormes. Para o lixo as lingeries lindas que passaram anos desperdiçadas embaixo de tanta roupa.

Quem sabe criaremos para nós, dia desses, uma coleta seletiva e podemos reaproveitar o tempo passado, da mesma forma que aproveitamos o papel reciclado, e daí não haverá mais lixo, nem dia perdido. Tudo de volta, de outro jeito, em outra hora, tão "aproveitável" quanto foi um dia, na tal solidão, a dor de desperdício...



*Publicado por Dhuvi-Luvio 4:47 PM


Árvore cai e mata casal em Curitiba

Um rapaz e uma moça morreram na manhã deste domingo após serem atingidos pela queda de uma árvore na praça Santos Andrade, no centro de Curitiba. Fábio Maurício Gubava, 19 anos, morreu na hora. Sua namorada, Li Kwan Zhen, 24 anos, chegou a ser levada ao pronto atendimento do hospital Cajuru mas acabou morrendo ao meio-dia.

Segundo o Corpo de Bombeiros, o casal passava pelo calçadão da praça, em frente ao prédio da UFPR, quando a árvore, um pinheiro, caiu. O acidente aconteceu por volta das 6h30m
.


Casal é atingido por asa delta em São Conrado

Um casal foi atingido por uma asa delta, durante o pouso de um vôo duplo, na Praia de São Conrado na manhã deste domingo. Jonilson Carneiro contou que estava com Juliana Carla Leal de Melo na areia, fora da faixa destinada ao pouso, quando foi alertado por outros pilotos para se abaixar. Ele tentou proteger a amiga, que teve corte na cabeça. Jonilson machucou o ombro. Eles foram atendidos por uma enfermeira da Associação Brasileira de Vôo Livre.

Caraca ! Acho melhor eu ir ficando por aqui mesmo...

*Publicado por Dhuvi-Luvio 3:55 PM




Filmadora digital - grava até 150 minutos em cartão SD.
Também tira fotos na resoulução de 3.2 Mpixels

*Publicado por Dhuvi-Luvio 3:42 PM


*Publicado por Dhuvi-Luvio 3:40 PM





Nome : Dhuvi-Lúvio
Local: Batel-Pr
Email para mim


EM CURITIBA

Links
Antigos

Powered by Blogger
Site Meter