<body>

Deixa com o Beque !!

sexta-feira, julho 16, 2004


 
 
Fotoblog da Laurinha tem agora um redirecionador:
 
clik.to/laurinha

*Publicado por Dhuvi-Luvio 12:58 PM


*Publicado por Dhuvi-Luvio 12:30 PM


 
(
www.thousandimages.com)
 
Acontece de tudo mas o sexo não sai de moda. A coisa foi mesmo muito bem planejada...
Ela confirma me beijando. Daqueles beijos premeditados a dar tesão. Beijo com alento !
O gozo é uma maneira explícita do genital gritar. Clímax de segundos, mas é um instante
diferente que não deve ser medido com relógios. Ela confirma sorrindo com a malícia de
quem quer todo o tempo do mundo. E mexe os cabelos como em câmera lenta...

 
 

*Publicado por Dhuvi-Luvio 11:37 AM





Este site brasileiro é muito legal para quem é beatlemaníaco
Ele disponibiliza esta foto da capa do melhor álbum da banda
de forma que ao apontar o mouse sobre o item ele vai contando
a história de quem ou o quê e o porquê de estar ali... Show !!!

*Publicado por Dhuvi-Luvio 10:56 AM



(Lienzo - Pintura acrílica)

 
Justiça de Goiás determina regras em orgia
 
O Tribunal de Justiça de Goiás decidiu em sentença especificar regras para uma orgia sexual. De acordo com a insólita e inédita decisão dos magistrados, o homem que, por vontade própria, participar de uma sessão de sexo grupal não pode alegar ser vítima de crime de atentado violento ao pudor.De acordo com o jornal O Globo, o acórdão do TJ de Goiás, publicado no dia 6, é uma resposta a um pedido de Luziano Costa da Silva. Ele reclamou da conduta de um amigo em uma orgia.Luziano acusou o amigo José Roberto de Oliveira de ter praticado contra ele "ato libidinoso diverso da conjunção carnal". Ele alegou que, como estava bêbado, não pôde se defender. Por meio do Ministério Público, recorreu à Justiça. O tribunal concluiu porém que não existem crime, pois a suposta vítima concordou com a prática do sexo grupal.O acórdão dos desembargadores não deixa margem para dúvidas. "A prática de sexo grupal é ato que agride a moral e os bons costumes minimamente civilizados. Se o indivíduo, de forma voluntária e espontânea, participa de orgia promovida por amigos seus, não pode ao final do contubérnio dizer-se vítima de atentado violento ao pudor", diz o documento.Para o Tribunal de Justiça de Goiás a orgia só tem uma regra clara. Quem participa de sexo grupal já pode imaginar o que está por vir e não tem o direito de reclamar depois.


*Publicado por Dhuvi-Luvio 10:34 AM




A Armazém Companhia de Teatro volta à cidade de origem para falar das origens do universo. ?Casca de Noz?, que estréia temporada nesta sexta-feira, é uma peça baseada no livro ?As Cosmicômicas?, de Ítalo Calvino, e traz como personagem principal Qfwfq, um sujeito que nasceu há milhões de anos (e não apenas dez mil anos atrás, como na música de Raul de Seixas).

Esse cara de nome estranho presenciou fenômenos que levaram o universo a ser tal como o conhecemos hoje. Qfwfq conta, por exemplo, que o Big Bang resultou de uma macarronada cósmica. Isso mesmo: macarronada! Pelos relatos do antiquíssimo personagem (vivido pela premiada Patrícia Selonk), surgem nebulosas, galáxias, estrelas, cometas, planetas, pedras e átomos de hidrogênio. Os corpos celestes e quânticos ganham características humanas ? e o universo, como no famoso livro do físico Stephen Hawking, pode ser encontrado numa casca de noz. É a física (essa ciência hermética) transformada em teatro (essa arte pública).

Para a adaptação de ?As cosmicômicas?, o diretor Paulo de Moraes contou mais uma vez com a parceria do poeta e dramaturgo Maurício Arruda Mendonça. O desafio da dupla foi traduzir uma prosa complexa, que parte de postulados científicos, quase sempre anteriores ao surgimento do planeta Terra, e criar uma ação teatral próxima ao público. ?Tivemos até aulas de física com o professor Jorge Vieira, no Rio?, conta Moraes.

O caminho para transformar a literatura da física em física do teatro passa pelo humor de Ítalo Calvino (1923-1985). A veia cômica de autor italiano foi fundamental para o trabalho de Moraes e Arruda Mendonça. ?Calvino sabe oscilar, com maestria, entre a sutileza e o deboche?, diz o diretor. Assim, o talento humorístico do autor italiano faz o público se aproximar de algo que, à primeira vista, parece abstrato, como a ciência moderna.

Em ?Casca de Noz?, Qfwfq é um modesto vendedor de nozes que se vê seqüestrado por quatro cientistas malucos. Estes o interrogam implacavelmente sobre os enigmas do universo. Qfqwq abre o jogo e conta o que sabe ? histórias da época em que o mundo ainda não era mundo, todas temperadas com muita fantasia e riso. Pela memória astronômica de Qfqwq, a criação do universo torna-se um acontecimento tão simples quanto uma brincadeira de criança.
?A peça é uma ficção científica ao contrário. Não fala do futuro, mas do passado remoto?, define Paulo de Moraes.

*Publicado por Dhuvi-Luvio 1:58 AM




 
 
Reflexões sobre traição
(Debora Bottcher)


Digiro mal a traição ? e não precisa ser necessariamente uma história minha; basta que alguém próximo a mim passe pela questão. E adoeço. Desenvolvo uma tal correlação entre corpo e alma que o único movimento que gero é um paralisar externo, literal. Aquele grito que fica entravado na garganta - porque ainda me comporto como uma mulher centrada - explode por dentro e causa um terrível mal-estar. Guardo o susto e a raiva a sete chaves e mantenho a pose, mas meu interior se quebra em mais mil pedaços que, cada vez mais, sinto serem impossíveis de colar. Diante da dor alheia, não demonstro a minha incompreensão, nem faço críticas ou comentários desnecessários. Não sou libriana, mas aprendi a manter o equilíbrio quando tudo ao redor escorre para o caos. E, seja como for, não tenho conselhos pra dar, nem soluções mágicas ou imediatas. Acho que cada um desliza sobre a vida de um jeito próprio e, se eu tivesse uma receita infalível, trataria mesmo de usar pra mim. Mas falando do tema sem paixões pessoais, percebo que a modernidade nos conta que relações abertas são o ponto alto da nova era. Sem posses, nem obrigações, dizem que as pessoas envolvidas conseguem ser mais felizes. A pergunta que me faço é se as mulheres que lutaram tanto por sua liberdade e liberação sexual tinham em mente essa reviravolta nos seus conceitos e valores emocionais, e se, verdadeiramente, estão adaptadas e plenas nesse novo papel. Todos nós já ouvimos contar de pessoas que se sabem traídas e permanecem na relação - por vezes, em guerra silenciosa com a/o amante de plantão. No século de nossas avós isso era comum, e há bem pouco tempo nos espantávamos de como viver assim podia ser possível. Hoje consideramos que esse movimento é um círculo vicioso e, em plena era de colher os frutos de nossa revolução feminina, até somos capazes de justificar tal atitude: a situação financeira (quase sempre difícil), os filhos pequenos, nosso emocional bagunçado. Ainda não somos tão independentes como queremos parecer e a indagação que me faço, quando me deparo com casos assim, é: -Quem será que se engana: o traído ou o que trai? A posição "extra-oficial" é um privilégio ou uma tortura?? Todo mundo sofre, é o que concluo... Uma amiga (Zoe de Camaris) - certamente mais madura que eu - pondera: -Cada mulher é uma rosa, única, especial. E questiona: -Por que o encontro do homem que amamos com outra nos magoa tanto assim?? É uma boa pergunta e eu sei responder: porque a outra - por vezes nem mais bonita nem mais inteligente, nada especial - se agiganta sobre nós. Há nela algo que nos escapou, não temos ou perdemos, e isso nos diminui. É ela o fantasma do nosso medo materializado em verdade: roubou nosso "tesouro". Essas são conclusões de quem vive esse conflito: fica com a auto-estima em frangalhos e, não raro, atribui à "vilã" do momento poderes que a tornam um ser acima do bem e do mal, dotado de virtudes que só uma mente transtornada consegue conceber - e que, na maioria das vezes, é mera ilusão. Quem só assiste o desenrolar do processo e, especialmente, quem nunca passou por ele tende a simplificar tudo com uma clareza curiosa e quem sabe se, em alguns casos, a coisa não se encaixe nesse olhar redutor capaz de transformar uma tragédia pessoal num fato corriqueiro. Além disso, há, hoje em dia, um sem-número de pessoas que julga a traição um procedimento normal, sendo sua aceitação parte do processo de evolução da humanidade, e há quem diga que se você ainda não entendeu é porque não alcançou esse grau de maturidade. Talvez seja assim. Talvez seja preciso ser muito superior para encarar esse tipo de baque com naturalidade. Eu ainda não alcancei o topo desse "monte", e quem sabe se quando chegar lá não terei perdido minha total capacidade de ser atingida emocionalmente, completamente desencantada, mas tendo aprendido a olhar para tudo com objetividade racional. A vantagem será não adoecer, vítima de somatizações incontroláveis. Só tenho que escolher se quero ser uma mulher de pedra - totalmente inatingível - ou se, a despeito da dor, vou preferir conservar minha sensibilidade, não minimizando, em nenhum tempo, uma situação que, até onde sei, só causa estragos, marcas e traumas, às vezes, insuperáveis.

*Publicado por Dhuvi-Luvio 1:08 AM


*Publicado por Dhuvi-Luvio 1:03 AM




Os garimpeiros de Serra Pelada não vão ter que gastar suas pepitas com um
mísero show de rebolado: a pioneira do "culto ao bundão" da TV brasileira
a ex-chacrete
Rita Cadillac também entrou no ramo do filme pornô, com sexo
mais que explícito. A garotada, com hoje 40 anos, esperou por isso uma meia
vida inteira e não sei se hoje tem a mesma graça. Talvez o tesão incubado
ainda reaja, mas a verdade é que a maioria desse pessoal não teve muita
opção naquela época e a figura da chacrete com aquele rabão rebolando, e o
dedinho girando ao pedir os comerciais, fazendo aquela cara de "me come" com
certeza marcou muita gente e fez exercitar muitos braços...




Download Filme Rita Cadillac - Sedução (Trailer Anal)

Download Filme Rita Cadillac - Sedução (Trailer Oral)
 
Fotos do Filme Sedução - Rita Cadillac


*Publicado por Dhuvi-Luvio 12:40 AM



Alguma coisa não está cheirando bem no meu computador... Ventoinha parada !
Quem de nós pode passar uma semana sem computador e sem Internet ?
Eu pude,  mas a que preço: meu HD principal foi para as picas com 1 mês sem backup... 
A quantidade de fotos despejada da máquina digital era enorme, filmes também.
Desespero geral e irrestrito. Compro um novo HD para transferir os dados do antigo.
Ao formatar o novo HD com Fdisk e Format percebo que os valores estão diferentes
do esperado: é claro, o babaca-mor não desplugou o ATA133 e a BIOS assimilou o
antigo como o principal. Conclusão: acabei por foder mais ainda a jaca arrombada !!
Os sites de recuperação de dados pediram no mínimo R$800,00 pelo serviço, somando
com o custo de R$350,00 por um HD novo lá estava a jeba entrando com cacos de vidro...
Mas para quem crê e é obstinado um desafio desses é mais que um presente.
Passei horas pesquisando na rede por programas que fizessem tal milagre. Após ínumeras
tentivas em vão com os santos falsos de plantão achei um programa em um site chinês
que clareou bem a caverna em que estava: Recover it All, esse é o nome do santo.
É claro que eu tive que aprender chinês em algumas poucas horas, mas isso é apenas
um detalhe, nada que a barra de status do IE não deixa de ajudar...
Deixo aqui meu testemunho: fiquei dois dias inteiro para recuperar todos os meus dados
e com um detalhe importante, consegui recuperar até arquivos que havia supostamente
perdidos e coisas que havia apagado há anos. Caraca, isso é que eu chamo de regressão digital...

*Publicado por Dhuvi-Luvio 12:05 AM




Nome : Dhuvi-Lúvio
Local: Batel-Pr
Email para mim


EM CURITIBA

Links
Antigos

Powered by Blogger
Site Meter