<body>

Deixa com o Beque !!

quarta-feira, setembro 22, 2004



- Você conhece o player IFOD, quer dizer o IPOD da Apple ?
- Para quem gosta do messenger: vários e inusitados emoticons...
- Fotos de Luciana Gimenez nua
- Festival do bikini em 300 fotos (página pesada)
- As Ronaldinhas em Power Point zipado
- Câmeras internas flagram as meninas no bronzeamento artificial...
- Jaqueline Santos na revista Sexy
- Eu não posso crer que isso seja verdade...
- Luana Piovani cruzando as pernas é notícia internacional
- Bruna surfistinha, sucesso na internet (surfista??)
- Que menina mais gulosa (video conteúdo adulto)
- Lembram da Tatiane, aquela mulatinha da tatoo ?
- Essa loira é nova no pedaço: linda de viver !
- Camila, a "cowgirl" brasileira sucesso internacional
- Fotos caseiras de italianos pervertidos (135 galerias grotescas)
- Você prefere o esquerdo ou o direito ? Os dois juntos não dá...

*Publicado por Dhuvi-Luvio 6:53 PM




O Adultério e A Desonesta
(André Peltry)

É comum ouvir que o Brasil é um país onde há leis que pegam e leis que não pegam, como se isso fosse uma originalidade brasileira como a jabuticaba. É uma injustiça. Há muitos países que sofrem com o mesmo problema. Na Grécia, apenas para ficar num exemplo notório por causa da atenção dedicada ao país devido às Olimpíadas, existe uma lei óbvia segundo a qual os motoqueiros precisam andar de capacete. Conforme se viu em inúmeras cenas do centro de Atenas, transmitidas pela televisão, os motoqueiros andam por todos os lugares, circulam nas barbas dos guardas de trânsito, mas raramente usam capacete. Na Grécia, a tal lei do capacete não pegou. As leis, principalmente as que interferem na vida cotidiana dos cidadãos, requerem uma sintonia fina entre vários componentes: aparato policial, comportamento coletivo, grau de escolaridade etc. Do contrário, elas tendem a não sair do papel. No Brasil, existe muita lei que não pega por falta dessa sintonia. Ou não há polícia suficiente para fazê-la ser cumprida. Ou a lei destoa fortemente de arraigados hábitos coletivos. E assim por diante.

O Congresso Nacional, a casa das leis, é mestre em embaralhar essa sintonia. Acaba, por exemplo, de avançar mais um passo no sentido de fazer com que o adultério deixe de ser considerado um crime. No Código Penal em vigor desde os anos 40 do século passado, adultério é crime sujeito a penas que podem chegar a seis meses de prisão. O comportamento e os valores da sociedade brasileira ultrapassaram esse dispositivo legal e tornaram-no obsoleto. Condenar alguém, homem ou mulher, por adultério virou uma piada, embora ainda existam condenações desse tipo de vez em quando nos rincões do país. O Congresso também está se preparando para eliminar do Código Penal a expressão "mulher honesta", que vem a ser aquela que poderia ser considerada vítima de rapto com propósitos libidinosos ? sim, porque a mulher desonesta não poderia ser considerada uma vítima de tal crime... Na década de 40, "mulher honesta" provavelmente queria dizer mulher virgem ou casada e dona-de-casa. Hoje, isso não passa de preconceito tacanho.

O que chama atenção, no fundo, é o descompasso do Congresso Nacional com o ritmo da sociedade brasileira, pois só agora deputados e senadores estão perto de mudar uma lei que, entre os cidadãos comuns, há muito já virou sinônimo de piada ou de preconceito barato. Nesse ritmo, o Congresso vai aprovar o casamento homossexual perto da entrada do quarto milênio, talvez. Sim, porque avanços de comportamento social, tal como o casamento entre pessoas do mesmo sexo, são inexoráveis. São só uma questão de tempo. Mais cedo ou mais tarde, tornam-se aceitos ? mas o Congresso Nacional, como uma ilha boiando no passado, parece não se dar conta disso. Eis um dos motivos pelos quais há leis que pegam e leis que não pegam.

*Publicado por Dhuvi-Luvio 6:01 PM


terça-feira, setembro 21, 2004



Vanessa Zoth. Gostou ?
Aqui tem mais...

*Publicado por Dhuvi-Luvio 8:07 PM




Confira dicas para não cair em golpes na web
(IDG Now!)

Além de esclarecer os internautas sobre a segurança da rede, o "Movimento Internet Segura", promovido pela Câmara-e.net em parceria com outras empresas, tem a intenção de alertar sobre procedimentos úteis contra fraudes.

Entre as dicas estão não fornecer senhas para e-mails com pedidos de recadastramento e não informar dados pessoais. Confira a lista completa com orientações para não cair em armadilhas:

1-) Tenha instalado antivírus (de preferência atualizado automaticamente, porque nós temos a tendência de esquecer de fazer as atualizações manualmente), um firewall e um anti-spam;

2-) Nunca informe senhas para qualquer pessoa ou para qualquer pedido de cadastramento ou recadastramento sob nenhum argumento;

3-) Recuse qualquer e-mail no qual o remetente seja desconhecido, ou que sua identidade levante suspeitas. Essas mensagens devem ser deletadas. Preste atenção em endereços falsos;

4-) Uma das formas mais comuns de aplicação de golpes é a exigência de pagamentos antecipados. Ao sentir qualquer desconfiança, não efetue o pagamento.

5-) Jamais forneça dados como CPF, RG, número do cartão de crédito. Também recuse participar de sorteios ou correntes. Normalmente ações como estas são armadilhas para roubar dados e identidades;

6-) Não aceite ofertas tentadoras via email , geralmente encaminhadas por logins falsos, que prometem prêmios instantâneos ou descontos especiais;

7- ) Cuidado com mensagens beneficentes ou que contenham imagens de catástrofes, atos de barbárie, pornografia ou acidentes. A curiosidade do internauta é explorada pelos falsários, com o intuito de aplicar golpes. Geralmente os arquivos com as supostas imagens carregam programas de invasão que se instalam ocultamente no computador do usuário, para posteriormente roubar senhas e dados cadastrais da pessoa;

8-) Não abrir anexos de e-mails vindos de desconhecidos ou mesmo de conhecidos, mas com texto suspeito ou sem sentido. Leia as mensagens antes de clicar nos links. Se ficar tentado em clicar no link de uma mensagem, verifique antes se a extensão é um arquivo .exe ou .zip , ou se refere a um formulário. Caso positivo delete imediatamente a mensagem.

*Publicado por Dhuvi-Luvio 7:59 PM


*Publicado por Dhuvi-Luvio 4:21 PM



*Publicado por Dhuvi-Luvio 2:07 PM






segunda-feira, setembro 20, 2004





Baixando mensagens do GMail pelo Outlook Express (via POP3)
(Web Insider)

Um pequeno software consegue logar nos servidores do sistema, converter suas mensagens e transferir tudo para o cliente de correio, tipo Outlook ou Eudora.

É difícil de entender todo o hype em torno do Google Mail (Gmail) quando, na prática, usar webmail é quase como um retrocesso. O Google promete liberar acesso via POP3 em um futuro breve, para que as pessoas possam baixar as mensagens pelo Outlook ou qualquer outro cliente de e-mail.

Enquanto a promessa não se cumpre, conheça a maravilha que é um programinha chamado Pop Goes the Gmail. O funcionamento é muito simples. O software faz uma interface entre os servidores do Gmail e o seu cliente de e-mail, convertendo as mensagens na web para o formato MIME - podendo, assim, ser lido em programa convencional de correio.

Funciona que é uma beleza. Para usar, você precisa instalar o .NET Framework no seu Windows, encontrado no site da Microsoft ou pelo Windows Update. Em seguida,
faça o download do PGtM e configure-o.

Basta colocar o seu login e senha do Gmail. Nas configurações avançadas, um detalhe. A porta padrão para POP3 é 110, mas que já é usada pelo seu programa de correio. A fim de evitar conflitos, o ideal é usar outra porta no PGtM. Em geral, as pessoas têm usado o óbvio: a porta 111 para POP3 e a porta 26 para SMTP, visto que a porta padrão deste protocolo é a 25. Tudo isso é facilmente configurado na aba "avançado" do programa.

As outras opções avançadas [poucas] podem ser modificadas ao gosto do freguês, mas recomenda-se deixar no padrão.

Agora, é só configurar o programa de e-mail, tipo Outlook ou Eudora. Crie uma nova conta e, na parte onde geralmente se coloca o servidor de e-mail (POP3 e SMTP), basta escrever "localhost", sem as aspas. Em nome de usuário, coloque seu login do Gmail, sem a extensão @gmail.com - e a senha, evidentemente. Por último, configure essa conta específica para que ela olhe o POP3 na porta 111 e o SMTP na porta 26, como foi previamente configurado no PGtM.

Não tem muito mistério. O PGtM ainda pode lhe avisar, em um intervalo marcado de tempo, quando há novas mensagens. Elas vão chegar normalmente no seu programa de correio, como se fossem mensagens comuns. E você pode responder normalmente, direto do Outlook & Cia.

Pois bem, agora é só configurar tudo e começar a usar de verdade o Gmail como um e-mail de verdade. Quando você quiser fazer uma busca avançada nas mensagens, é só entrar no webmail.

O autor do PGtM é um programador de 18 anos, Jon Barker, residente de Surrey, no Reino Unido. Trabalha desenvolvendo e testando software em uma agência de viagens.

Barker pagou 20 libras pelo eBay para ganhar uma conta no Gmail, na época em que apenas poucos felizardos foram convidados a testar. Para criar o PGtM, inspirou-se em um outro programinha, relativamente conhecido, chamado YahooPOPs, que faz o mesmo serviço com o webmail do Yahoo.

Em termos concretos, o que Barker faz está indo contra as normas do Gmail, descritas claramente no contrato de licença. Dentre outros motivos, está o mais óbvio: ao baixar suas mensagens para o Outlook, você não precisa ver as propagandas (ads).

De qualquer sorte, Barker garante que recebeu, esta semana, um e-mail de Alan Eustice, vice-presidente do departamento de pesquisa do Google, mostrando-se impressionado com a qualidade técnica do PGtM. Agora, é aguardar para ver se a própria equipe do Gmail agiliza a implementação do suporte nativo a POP3.


Página Oficial do PGtGM

*Publicado por Dhuvi-Luvio 2:53 PM




Nome : Dhuvi-Lúvio
Local: Batel-Pr
Email para mim


EM CURITIBA

Links
Antigos

Powered by Blogger
Site Meter