<body>

Deixa com o Beque !!

sexta-feira, outubro 08, 2004



Fotos de Daniela Cecconello na Playboy

*Publicado por Dhuvi-Luvio 1:21 PM




HOT LINKS DA SEX-TA FEIRA

- Juliana Ciccarelli, adivinha irmã de quem ??
- Sylvie Blum, fotógrafa de corpos nus
- Parece mas não é: muito engraçado e inteligente
- Video de uma inserção de piercing bem onde você pensou...
- Essa amadora é simplesmente imperdível...
- Um casal de vinte e poucos anos que adora baladas, e muita safadeza...
- Três gatas da Sexy "malhando" na academia
- Lolita loirinha em fotos de excelente resolução.
- Fotos de alta resolução de Jenna Fire em diretório aberto
- Uma coleção completa de revistas Playboys brasileiras
- As ruivas também merecem nossos aplausos...
- Girls Rock em Indie Nudes: divirta-se
- Mais um diretório aberto de beldades...
- O menor orgão sexual do mundo (e você ainda pode tocá-lo)
- Andrea Luanda bombando na revista Sexy...
- Tanta gente assim nua deve ser mesmo excitante...
- Basquete liberado, bola na sexta
- Três garotas grandes mas em uniforme escolar...
- O nome dela infelizmente é Zdenka Podkapova, mas vale o clique
- Se você quer movimentos, então é aqui...
- Lara, gracinha vinda do Banda Podre...

*Publicado por Dhuvi-Luvio 10:49 AM




Gigante adormecido
(Tales Alvarenga)

Caro leitor. Sempre que lhe apresentarem um índice animador a respeito do desempenho brasileiro, peça que lhe digam em que posição estão os outros países. É preciso olhar para fora se você quer entender o que acontece aqui dentro. O Brasil oscila levemente para cima e para baixo há mais de vinte anos. E tem âncoras de tal porte atrapalhando sua movimentação que deverá levar uma geração, pelo menos, para conseguir algum progresso digno de admiração. Tenho repetido isso neste espaço nas últimas semanas, enquanto brasileiros, embriagados de patriotismo, continuam insistindo que nossas exportações nunca foram tão milionárias, que o crescimento do PIB finalmente abriu as asas e que, maravilha das maravilhas, o superávit primário será elevado de 4,25% para 4,50% do PIB! Sinceramente, não estou impressionado. Esses números falam de gotas. Acho mais adequado falarmos de oceano.

Oceano: na semana passada, o Banco Mundial divulgou uma pesquisa realizada em 53 países em desenvolvimento. No trabalho, o Brasil aparece como um dos mais atrasados em matéria de clima propício a investimentos. De 1.642 empresários ouvidos pelo Banco Mundial sobre o Brasil, 67% apontaram a corrupção como um empecilho significativo para investir no país e 51% admitiram que é preciso pagar propina para fazer negócios. Na avaliação, o Brasil aparece como um dos piores países do mundo para resolver problemas através da Justiça, e só três outras nações apresentam um ambiente mais nefasto em matéria de criminalidade. No tópico dos impostos, das leis trabalhistas e da concessão de crédito, o Brasil foi apontado como o pior entre todos os 53 países.

Note-se que não se está comparando o Brasil com as duas ou três dezenas de países ricos. O buraco é mais embaixo. Perdemos na comparação com a turma do Terceiro Mundo. A pesquisa não levantou dados absolutos. Retrata a opinião dos entrevistados em cada país. Há países mais corruptos que o Brasil, como a Rússia, onde os investidores não acham esse detalhe tão prejudicial. O que vale é a visão comparativa que se tem quando o desempenho do Brasil é posto lado a lado com o de outras nações.

O retrato é lamentável, mas não mudará enquanto os brasileiros continuarem prisioneiros de uma visão pontual a respeito do país, baseada em estatísticas divulgadas a cada seis meses. É preciso encarar nossa incompetência olho no olho. Boas notícias de curto alcance devem ser apresentadas como excelentes pequenos passos de uma longa caminhada. Por exemplo: na semana passada, o Brasil teve sua cotação melhorada em matéria de risco para investimentos. A agência internacional de classificação de risco Fitch elevou a cotação brasileira de B+ para BB-. O fato foi comemorado como grande conquista. Essa conquista, no entanto, leva o Brasil de volta para a cotação que já tinha em junho de 2002. Pior do que isso, na lista de 90 países avaliados, o Brasil aparece em 66º lugar. Piores do que nós, só 24 países. Quer saber seus nomes? Turcomenistão, Benin, Camarões, Gâmbia, Gana, Indonésia, Lesoto... É preciso dizer mais? É a isso que chamo de examinar as coisas pelo ângulo relativo.

*Publicado por Dhuvi-Luvio 10:20 AM





Divagação

Confesso: Atravessei por baixo
da passarela do momento
e por um instante,
fui atropelado pelo tempo.

Braços, pernas, olhos,
lábios, nariz e as orelhas,
voaram para o outro
lado da pista;
enquanto o coração
estava preso ao fio
da razão.

O socorro não chegou
e ninguém
a não ser eu mesmo,
pôde tocar
nos meus próprios destroços.

Sei que estou morrendo
mais uma vez,
por um sentimento,
onde a infinitude
é um fato concreto.

*Publicado por Dhuvi-Luvio 9:45 AM


terça-feira, outubro 05, 2004


*Publicado por Dhuvi-Luvio 11:07 AM




Mario Quintana por Mario Quintana

Nasci em Alegrete, em 30 de julho de 1906. Creio que foi a principal coisa que me aconteceu. E agora pedem-me que fale sobre mim mesmo. Bem! Eu sempre achei que toda confissão não transfigurada pela arte é indecente. Minha vida está nos meus poemas, meus poemas são eu mesmo, nunca escrevi uma vírgula que não fosse uma confissão. Ah! mas o que querem são detalhes, cruezas, fofocas... Aí vai! Estou com 78 anos, mas sem idade. Idades só há duas: ou se está vivo ou morto. Neste último caso é idade demais, pois foi-nos prometida a Eternidade.
Nasci no rigor do inverno, temperatura: 1grau; e ainda por cima prematuramente, o que me deixava meio complexado, pois achava que não astava pronto. Até que um dia descobri que alguém tão completo como Winston Churchill nascera prematuro - o mesmo tendo acontecido a sir Isaac Newton! Excusez du peu... Prefiro citar a opinião dos outros sobre mim. Dizem que sou modesto. Pelo contrário, sou tão orgulhoso que acho que nunca escrevi algo à minha altura. Porque poesia é insatisfação, um anseio de auto-superação. Um poeta satisfeito não satisfaz. Dizem que sou tímido. Nada disso! sou é caladão, introspectivo. Não sei porque sujeitam os introvertidos a tratamentos. Só por não poderem ser chatos como os outros?
Exatamente por execrar a chatice, a longuidão, é que eu adoro a síntese. Outro elemento da poesia é a busca da forma (não da fôrma), a dosagem das palavras. Talvez concorra para esse meu cuidado o fato de ter sido prático de farmácia durante cinco anos. Note-se que é o mesmo caso de Carlos Drummond de Andrade, de Alberto de Oliveira, de Érico Veríssimo - que bem sabem (ou souberam) o que é a luta amorosa com as palavras.




SIMULTANEIDADE

- Eu amo o mundo! Eu detesto o mundo!
- Eu creio em Deus! Deus é um absurdo!
- Eu vou me matar! Eu quero viver!
- Você é louco?
- Não, sou poeta
.




EU OUÇO MÚSICA

Eu ouço música como quem apanha chuva:
resignado e triste de saber que existe um mundo
do Outro Mundo...

Eu ouço música como quem está morto
e sente já um profundo desconforto
de me verem ainda neste mundo de cá...

Perdoai, maestros, meu estranho ar!

Eu ouço música como um anjo doente
que não pode voar.




OLHO EM REDOR

"Olho em redor do bar em que escrevo estas linhas.
Aquele homem ali no balcão, caninha após caninha,
nem desconfia que se acha conosco desde o início
das eras. Pensa que está somente afogando problemas
dele, João Silva... Ele está é bebendo a milenar
inquietação do mundo!"

*Publicado por Dhuvi-Luvio 10:28 AM


segunda-feira, outubro 04, 2004

*Publicado por Dhuvi-Luvio 2:35 PM




CAPÍTULO I

PARTE ESPECIAL

LIVRO I - DO DIREITO DAS OBRIGAÇÕES

TÍTULO I - DAS MODALIDADES DAS OBRIGAÇÕES

CAPÍTULO I

DAS OBRIGAÇÕES DE DAR

Seção I ? Das Obrigações de Dar Coisa Certa

Art. 233. A obrigação de dar coisa certa abrange os acessórios dela embora não mencionados, salvo se o contrário resultar do título ou
das circunstâncias do caso.

Art. 234. Se, no caso do artigo antecedente, a coisa se perder, sem culpa do devedor, antes da tradição, ou pendente a condição
suspensiva, fica resolvida a obrigação para ambas as partes; se a perda resultar de culpa do devedor, responderá este pelo equivalente e
mais perdas e danos.


Livro "O Código Civil Brasileiro" - O pior é que isso é sério...
O código começa assim mesmo: "das obrigações de dar" ???

*Publicado por Dhuvi-Luvio 2:31 PM


*Publicado por Dhuvi-Luvio 2:23 PM




*Publicado por Dhuvi-Luvio 1:15 PM






Nome : Dhuvi-Lúvio
Local: Batel-Pr
Email para mim


EM CURITIBA

Links
Antigos

Powered by Blogger
Site Meter